Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10018
Title: Crise econômica brasileira de 2014: uma análise heterodoxa
Authors: Pessoa, Linnit da Silva
metadata.dc.contributor.advisor: Monfardini, Rodrigo Delpupo
metadata.dc.contributor.advisorco: Leite, Leonardo Magalhães
metadata.dc.contributor.members: Monfardini, Rodrigo Delpupo
Cerqueira, Daniela Franco
Sampaio, Adriano Vilela
Issue Date: 2018
Abstract: Não é possível explicar a recessão econômica brasileira de 2014 a partir somente de fatores exógenos, como a teoria neoclássica propõe, pois apesar do cenário externo ser relevante ao analisar o desempenho da economia, os fatores endógenos são demasiadamente importantes e não podem ser desconsiderados; dessa forma, a partir da comparação de autores das três correntes econômicas de maior circulação no meio acadêmico – marxista, keynesiana e neoclássica –, é realizada uma análise sobre suas justificativas para o desenvolvimento de crises no sistema capitalista. Decidiu-se seguir somente as correntes que apresentam uma explicação mais complexa e clara sobre esse processo; dessa forma, esse trabalho realiza uma análise sobre os motivos que levaram o Brasil à maior recessão econômica de sua história a partir das óticas marxista e keynesiana, apresentando tanto os fatores exógenos, como o desequilíbrio externo e a falta de competitividade da indústria brasileira, as políticas cambiais que visavam a desvalorização do real e a queda da exportação; quanto os fatores endógenos, como a precarização do mercado de trabalho, a queda da renda das famílias e a redução do consumo e dos investimentos públicos. A partir dessas análises, é possível observar o percurso da economia brasileira, caminhando para a recessão; e o impacto que a mudança do governo para uma agenda neoliberal intensa teve, principalmente, sobre as classes de renda mais baixas
metadata.dc.description.abstractother: It’s not possible to explain the 2014’s Brazilian economic recession only with exogenous factors, like neoclassical theory proposes, because despite the external scenario be relevant to analyze the performance of the economy, the endogenous factors are too important and cannot be disregarded; in this way, from the comparison of authors of three economic currents of largest circulation in academy – Marxist, Keynesian and neoclassical –, an analysis is made on their justifications to the development of crises in the capitalist system. It was decided to follow only the chains that feature a more complex explanation and clear about this process; in this way, this work performs an analysis on the reasons that led the Brazil to the largest economic recession in his history from the Marxian and Keynesian perspective, showing both exogenous factors, such as the external imbalance and the lack of competitiveness of Brazilian industry, exchange rate policies aimed at the devaluation of the Brazilian real and the fall of export; as the endogenous factors, such as insecurity in the labor market, the fall in household income and the reduction of both consumption and public investment. From these analyses, it’s possible to observe the path of the Brazilian economy, heading into the recession; and the impact that the change of Government to an intense neoliberal agenda had, mainly, on the lower income classes.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10018
Appears in Collections:GCE - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Linnit da Silva Pessoa (2018), Crise Econômica Brasileira de 2014 - Análise Hererodoxa.pdfLinnit da Silva Pessoa (2018), Crise Econômica Brasileira de 2014 - Análise Hererodoxa447.62 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.