Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1027
Title: O desafio do autocuidado de pacientes oncológicos estomizados: da reflexão à ação
Authors: Silva, Daniela Ferreira da
metadata.dc.contributor.advisor: Espírito Santo, Fátima Helena do
metadata.dc.contributor.members: Berardinelli, Lina Márcia Miguéis
Daher, Donizete Vago
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Silva, Daniela Ferreira da. O desafio do autocuidado de pacientes oncológicos estomizados: da reflexão à ação. 2013. 129 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde)- Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2014.
Abstract: Trata-se de pesquisa qualitativa sobre o autocuidado do paciente oncológico estomizado que tem como objetivos: analisar os requisitos de autocuidado do paciente oncológico estomizado, descrever a trajetória do paciente oncológico com o estoma intestinal e identificar os requisitos de autocuidado referidos por estes pacientes. A pesquisa foi realizada no ambulatório de estomaterapia de um Instituto de tratamento oncológico localizado na região central da cidade do Rio de Janeiro com treze pacientes oncológicos adultos com estoma intestinal de eliminação definitivo ou não, matriculados na instituição que estavam em acompanhamento ambulatorial. Para a coleta de dados foi realizada entrevista semiestruturada e, após análise de conteúdo temática, foram elaboradas as seguintes categorias: vivendo com o estoma intestinal; o desafio do autocuidado: da reflexão à ação e as expectativas e os sentimentos. Os resultados apontaram que o paciente oncológico vivencia uma trajetória marcada por surpresas, ansiedade, medo e falta de esperança, entretanto, durante o processo de adoecimento passa a refletir sobre sua vida buscando estratégias de enfrentamento e adaptação frente à doença e tratamento. A confecção de um estoma é uma etapa difícil do tratamento do câncer, pois os pacientes entendem o estoma intestinal como algo assustador que rompe com a normalidade do corpo, mesmo quando traz alívio das dores provocadas pela doença. O estoma intestinal provoca mudanças de ordem emocional, física, fisiológica e social no cotidiano desses pacientes, com repercussões na sua autonomia, independência e autoimagem que limitam sua convivência social. Os requisitos de autocuidado de maior importância referidos pelos sujeitos da pesquisa foram: provisão de cuidados associados com o processo de eliminação e os excrementos; manutenção do equilíbrio entre a solidão e a interação social e modificações do autoconceito e autoimagem, aceitando estar em determinado estado de saúde e necessitar de formas específicas de atendimento de saúde. Em contrapartida, constatou-se que passam a desenvolver habilidades para a limpeza do dispositivo coletor, mas não se sentem preparados para realizar a troca do dispositivo, necessitando da ajuda de um familiar ou amigo para essa atividade. Concluiu-se que frente às necessidades destes pacientes o enfermeiro precisa atuar implementando ações educativas que proporcionem suporte a esses pacientes, estimulando ainda um processo de conscientização junto com esses pacientes acerca do seu autocuidado e da necessidade de adotar estratégias frente aos desafios da vivência com o estoma, contribuindo assim para reduzir os riscos e agravos à sua saúde. Nesse sentido é necessário que o enfermeiro reflita sobre as necessidades e demandas desses pacientes visando promover um cuidado que contribua para sua recuperação, manutenção e adaptação a nova situação de saúde em uma relação dialógica em que conhecimentos e experiências sejam compartilhadas tendo como meta a melhoria da qualidade de vida desses pacientes.
metadata.dc.description.abstractother: It is a qualitative research on the self-care of ostomate oncologic patient that has as objectives: To analyze the self-care requirements of the ostomate oncologic patient, to describe the trajectory of the oncologic patient with intestinal stoma and to identify the self-care requirements referred by these patients. The research was done in the stoma therapy of an oncologic treatment Institute located in the central region of Rio de Janeiro city with thirteen adult oncologic patients with intestinal stoma of definitive or not elimination, enrolled in the institution and who were in ambulatory treatment. For data collection it was done a halfstructured interview and, then, after analysis thematic contents the following categories were created: living with intestinal stoma; the challenging of self-care: from reflection to action and the expectative and feelings. The results indicated that the oncologic patient experiences a trajectory marked by surprises, anxiety, fear and lack of hope, although during the process of sickening he/she reflects on his/her life looking for strategies to face and get adapted to the sickness and the treatment. The confection of a stoma is a very hard step in the cancer treatment, since the patients understand the intestinal stoma as something scaring that breaks the normality of the body, even when it brings relief of the pain provoked by the illness. The intestinal stoma provokes changes of emotional, physic, physiologic and social aspects in the quotidian of these patients with repercussions in their autonomy, independence and self-image that limit their social relations. The self-care requirements of the greatest importance referred by the subjects of the research have been: provision of care associated with elimination process and the excrements/ maintenance of the balance between solitude and the social interaction and modifications of the self-concept and self-image, accepting to be in determined state of health and to need of specific ways of health attending. On the other hand it was found that they develop abilities for cleaning the collecting device, but they are not prepared to make the change of the device, needing the help of a family member or a friend to do this activity. One concludes that before the needs of these patients the nurse needs to act implementing educative actions that provide support to these patients, still stimulating a process of consciousness-raising of these patients about their self-care and the need of adopting strategies before the challenges of living with the stoma, contributing this way to reduce the risks and damages to their health. In this sense it is necessary that the nurse reflects on the needs and demands of these patients with the aim of promoting a care that can contribute to their recovery, maintenance and adaptation to the new health situation in a dialogic relation in which knowledge and experiences are shared, having as aim the improvements of the life quality of these patients.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1027
Appears in Collections:PACCS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Daniela Ferreira da Silva.pdf852.32 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.