Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10458
Title: Transcendência e imanência: considerações de Edmund Husserl nas Cinco Lições
Authors: Martins, José Farias
metadata.dc.contributor.advisor: Tourinho, Carlos Diógenes Côrtes
metadata.dc.contributor.members: Gurgel, Diogo de França
Yazbek, André Constantino
Issue Date: 2018
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: A presente pesquisa monográfica tem como principal objetivo apresentar o importante desenvolvimento dos conceitos de “transcendência” e “imanência” nas Cinco Lições de 1907 de Edmund Husserl. A primeira parte concentra-se na definição dos termos no primeiro sentido em que são utilizados por Husserl. Os conceitos de “transcendência” e “imanência” são definidos, neste primeiro momento, em sua relação com o ato cognitivo. Denunciando a ingenuidade da atitude natural, Husserl apresenta o desafio que o enigma do conhecimento transcendente impõe à filosofia. O exercício da epoché, adotado como uma estratégia metodológica, coloca sob o índice de “nulidade” o mundo transcendente à consciência do sujeito cognoscente. A segunda parte do trabalho concentra-se nos conceitos de “transcendência” e “imanência” cujos sentidos, agora, foram modificados pelo exercício da epoché. Mesmo sob o exercício da epoché, a imanência, entendida como imanência psicológica, ainda abriga transcendências. Faz-se necessária uma radicalização do exercício da epoché para que o objeto de conhecimento apareça como “fenômeno puro” na imanência da consciência. No uso da epoché e da redução fenomenológica, Husserl apresenta-nos o domínio onde estão os “fenômenos puros”, os “objetos” de investigação da fenomenologia.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10458
Appears in Collections:GGY - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC - José Farias Martins - 2018.pdf497.59 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons