Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10475
Title: Sala Griot como espaço de educação descolonial: aplicação da Lei 10639/03 no rompimento da dominação epistemológica
Authors: Monteiro, Luísa Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor: Silveira, Elisabete Cristina Cruvello da
metadata.dc.contributor.members: Rios, Flávia Mateus
Guerreiro, Lídice de Barros
Issue Date: 2018
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: A monografia visa discutir a importância da Educação Decolonial e antirracista na realidade social brasileira, a partir da experiência de campo no Instituto de Educação Ismael Coutinho (IEPIC). As questões norteadoras são: Até que ponto a Sala Griot no Instituto de Educação Professor Ismael Coutinho configura-se como um espaço de educação decolonial? Como os analistas do campo das Ciências Sociais e Educação concebem educação decolonial como estratégia para a implementação da Lei 10.639/03? Parte-se do suposto que a educação decolonial valoriza as produções desenvolvidas em locais e por grupos subalternizados historicamente com o intuito de romper a dominação epistemológica. Tal proposta articula-se às competências do professor de sociologia escolar, como também integram os Parâmetros Curriculares Nacionais. Nesse sentido, entende-se que a Lei 10639/03 sugere uma reinterpretação e ressignificação da história e das relações étnico raciais no nosso país através do currículo da escola básica.. Metodologicamente, a pesquisa realiza uma revisão bibliográfica fundamentada em Oliveira, Gandau, Walsh, Castro-Gómez, Maldonado-Torres, Gilberto Freyre, Florestan Fernandes, Kabengele Munanga, entre outros. A respeito da Sala Griot no IEPIC entrevistas são realizadas com docentes e alunos a fim de reconstituir a história desse espaço, bem como diferenciar bullying de racismo.
metadata.dc.description.abstractother: This work aims to discuss the importance of a Decolonial and Antiracist pedagogy practice in the Brazilian social reality, starting from a field experience at Instituto de Educação Ismael Coutinho (IEPIC). The guiding questions are: to what extent the Griot Room in IEPIC constitutes a space of decolonial education? How analysts in the field of Social Sciences and Education conceive decolonial education as strategy of the Law 10639/03 enforcement. It’s assumed that decolonial education values the productions developed in places and by groups historically subalternized with the intention of breaking the epistemological domination. This proposal articulates to the competences of the professor of school sociology, as well as they integrated the National Curricular Parameters. In this sense, it is understood that Law 10639/03 suggests a reinterpretation and re-signification of the history and racial-ethnic relations in our country through the curriculum of the basic school. Methodologically the research carries out a bibliographic review based on Oliveira, Gandau, Walsh, Castro-Gómez, Maldonado-Torres, Gilberto Freyre, Florestan Fernandes, Kabengele Munanga, among others. Regarding the Griot Room in IEPIC, interviews are held with lecturers and students in order to reconstitute the history of this space as well as differentiate bullying from racism.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10475
Appears in Collections:CSO - Trabalhos de Conclusão de Curso - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC - Luísa Rodrigues Monteiro - 2018.pdf771.07 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons