Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1064
Title: Ser mulher enfermeira no cuidado com o seu corpo: uma hermenêutica heideggeriana
Authors: Fazoli, Kelly Leal Silveira
metadata.dc.contributor.advisor: Simões, Sonia Mara Faria
metadata.dc.contributor.members: Souza, Ívis Emília de Oliveira
Escudeiro, Cristina Lavoyer
Issue Date: 2012
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Fazoli, Kelly Leal Silveira. Ser mulher enfermeira no cuidado com o seu corpo: uma hermenêutica heideggeriana. 2012. 76 f. Dissertação (Mestrado Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde)- Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2012
Abstract: Esta pesquisa de natureza fenomenológica, pautada no referencial teórico filosófico e metodológico de Martin Heidegger teve como objetivo compreender o significado que a mulher enfermeira atribui ao cuidado com o seu corpo. O cenário escolhido foi um hospital público da cidade de Nova Friburgo localizado na região serrana do estado do Rio de Janeiro, a etapa de campo aconteceu de julho a setembro de 2012, mediante aprovação do Comitê de Ética sob o número 57051. A entrevista fenomenológica ocorreu com 16 enfermeiras, na faixa etária de 25 a 45 anos. A análise compreensiva, primeiro momento metódico revelou que a mulher-enfermeira é um ser lançado no mundo de rotinas de sua ocupação se projetando para outras possibilidades enquanto ser, profissional, mãe, mulher. Cuida do corpo executando cuidados diários com pele, unha, cabelo, prática de atividade física e dieta alimentar balanceada. Refere medidas de prevenção contra agravos de saúde através da realização de consultas médicas e exames periódicos. Sua preocupação se revela no aparente, ou seja, no corpo físico. Entende que precisa estar bem ao cuidar dos outros, a profissão requer um bom estado de saúde que favoreça a execução das tarefas, também para acompanhar a saúde e o crescimento dos filhos. Confessa que deveria se cuidar mais, mas o tempo é restrito. Busca o cuidado pensando no futuro, por uma questão de conforto e para se sentir bem. Na hermenêutica, segundo momento, o ser-mulher-enfermeira-no-cuidado-com-o-corpo se apresenta como um ser-aí lançado no mundo da ocupação do trabalho, da casa, do filho, do marido, que cuida no cotidiano do corpo aparente, que é factual. Revela através do seu falatório um cuidado impessoal, porém voltado as suas necessidades como medidas de prevenção a agravos e/ou quando a doença já está instalada. Ressalta nesta falação, suas possibilidades enquanto ser e sua preocupação com o futuro – sua temporalidade – pois ao se cuidar, almeja um futuro melhor, tanto para ela, quanto para a sua família, especialmente os filhos. Transparece ainda em sua existencialidade, um movimento para o medo de não cuidar do corpo como deveria e gostaria. Considerações finais: Compreende-se que o significado que a mulher-enfermeira atribui ao cuidado com o seu corpo merece uma ampla discussão uma vez que ao estar atuante na profissão, a mulher vivencia múltiplas possibilidades que influem no cuidado com o seu corpo. Esta compreensão pode aprimorar a atenção à saúde da mulher trabalhadora, favorecendo a promoção da saúde com vistas à melhor qualidade de vida das mulheres-enfermeiras.
metadata.dc.description.abstractother: This phenomenological research, based on the theoretical and methodological philosophy of Martin Heidegger aimed to understand the meaning that women nurse assigned to care with your body. The scenario chosen was a public hospital in the city of Nova Friburgo located in the mountainous region of the state of Rio de Janeiro, the field phase took place from July to September 2012, with the approval of the Ethics Committee under number 57051. The phenomenological interview occurred with 16 nurses, aged 25 to 45 years. The comprehensive analysis, methodical initially revealed that the woman is a nurse-be released worldwide routines occupation is designing for other possibilities while being professional, mother, wife. Take care of the body running daily care skin, nail, hair, physical activity and balanced diet. Refers measures to prevent health hazards by conducting medical consultations and examinations. His concern is revealed in the apparent, ie the physical body. Understands what needs to be well taking care of others, the profession requires a good health condition that favors the execution of tasks, also to monitor the health and growth of children. Confesses that should be more careful, but time is limited. Searching careful thinking about the future, for the sake of comfort and feel good. In hermeneutics, second moment, the nursebe- wife-in-care-with-the-body presents itself as a being-there launched worldwide job occupation, the house, the son, the husband, who looks after the daily Body apparent, that is factual. Reveals through its careful impersonal chatter, but returned to their needs as measures to prevent the injuries and / or when the disease is already installed. Emphasized in this talk, and its possibilities as being concerned about the future - its time - because when you care for, long for a better future, both for her and for her family, especially the children. Still shines in its existentialism, a movement to fear for not taking care of the body as it should and would. Final Thoughts: It is understood that the meaning that women nurse assigned to care with your body deserves a full discussion as to be active in the profession, women face multiple possibilities to influence the care of your body. This understanding can improve health care for the working woman, favoring the promotion of health in order to offer better quality of life for women-nurses.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1064
Appears in Collections:PACCS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Kelly Leal Silveira.pdf4.15 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.