Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10862
Title: Cultura Pós-moderna: uma análise da dominação capitalista no Brasil
Authors: Floriano, Fernanda de Carvalho
metadata.dc.contributor.advisor: Vale, Andréa Araújo do
Issue Date: 2018
Abstract: O presente trabalho tem por objetivo compreender como a nova dinâmica cultural do capitalismo, chamada de pós-modernismo, coopera para o avanço do conservadorismo através da cultura. A metodologia utilizada será uma articulação das concepções da teoria de base – a teoria social marxista – com um conjunto de técnicas – que permitirão a construção da realidade – que se relacionam com os interesses de investigação. Para tanto, a pesquisa exigiu uma ampla abordagem bibliográfica da tese aqui sustentada, qual seja: a cultura pós-moderna contribui para a ascensão do conservadorismo na sociedade por meio da difusão de um modo de vida fragmentado, a-histórico, relativista e individualista. Esse processo ocorre através da cultura, cultura não como arte estética em si, mas cultura como modo de vida, costumes, hábitos e como representação social. Para isso, tornou-se fundamental compreender a mutação de sensibilidade que ocorreu do Modernismo para o “Pós-modernismo”. A Modernidade é considerada o período das certezas, da história, da ciência, da verdade, das grandes narrativas, das visões totalizantes de mundo, crença em valores universais, entre outros. O Pós-modernismo é a negação dos valores da modernidade, rejeita quaisquer valores emancipatórios e universalizantes, vê o mundo de forma fragmentada, individual, instável, e relativiza o conhecimento negando a história, portanto é um período marcado por uma falta de profundidade. Essa alteração de sensibilidade afeta o modo de vida da sociedade reiterando o conservadorismo. O conservadorismo é uma visão de mundo que tem por premissas uma análise da sociedade regida por leis naturais, conduzida por uma harmonia social e possui aversão a mudanças políticas, econômicas, sociais e culturais. A visão de mundo conservadora é a ideologia difundida na sociedade capitalista, no Brasil ela está presente desde a formação social brasileira, que tem como característica a busca por progresso sem romper com elementos arcaicos do colonialismo, sem romper com o patrimonialismo, com a ideia de nação e com os interesses da classe dominante. Os traços constitutivos da formação social brasileira são elementos importantes para compreender o Brasil de hoje, pois a sociedade brasileira parece ter se tornado ainda mais conservadora, mais individualista, mais intolerante. Principalmente após as manifestações de junho de 2013, em que a direita volta às ruas e avança nos espaços populares e ideias extremamente conservadoras, como “apoio a monarquia”, determinação de uma única cultura (hétero, família mononuclear etc.), rejeição de pautas referente a direitos LGBTs, da mulher, censura da arte, entre outros exemplos, “reaparecem” fortemente na conjuntura do país. Juntamente com essas pautas ascende o candidato a presidência Jair Bolsonaro, que fomenta o discurso de ódio contra as minorias (grupos marginalizados socialmente), nega a história e fortifica a ideia de “identidade nacional” em torno da imagem de nação brasileira e dispara nas pesquisas com apoio das “fake news” propagadas através das redes sociais e aplicativos de conversação. Sem nenhum tipo efetivo de fiscalização e punição para os criadores das fakes news, a democracia corre sério risco de ter um presidente de extrema direita eleito pela relativização de fatos comprovados, pela propagação de falsas notícias travestidas de verdade.
metadata.dc.description.abstractother: The present work aims to understand how the new cultural dynamics of capitalism, called postmodernism, cooperates for the advancement of conservatism through culture. The methodology used will be an articulation of the conceptions of the basic theory - Marxist social theory - with a set of techniques - that will allow the construction of reality - that relate to research interests. In order to do so, the research required a broad bibliographical approach to the thesis here, namely: postmodern culture contributes to the rise of conservatism in society through the diffusion of a fragmented, a-historical, relativistic and individualistic way of life. This process occurs through culture, culture not as aesthetic art itself, but culture as way of life, customs, habits and social representation. For this, it became fundamental to understand the mutation of sensibility that occurred from Modernism to "Postmodernism". Modernity is considered the period of certainties, of history, of science, of truth, of great narratives, of totalizing worldviews, of belief in universal values, among others. Postmodernism is the negation of the values of modernity, rejects any emancipatory and universalizing values, sees the world in a fragmented, individual, unstable form, and relativisms knowledge by denying history, so it is a period marked by a lack of depth. This change in sensitivity affects the way of life of society by reiterating conservatism. Conservatism is a view of the world that has as its premises an analysis of society governed by natural laws, driven by a social harmony and has aversion to political, economic, social and cultural changes. The conservative world view is the ideology spread in capitalist society; in Brazil it is present since the Brazilian social formation, whose characteristic is the search for progress without breaking with archaic elements of colonialism, without breaking with patrimonialism, with the idea of nation and with the interests of the ruling class. The constitutive traits of Brazilian social formation are important elements for understanding Brazil today, since Brazilian society seems to have become even more conservative, more individualistic, and more intolerant. Especially after the demonstrations in June 2013, where the right wing returns to the streets and advances in popular spaces and extremely conservative ideas, such as "support for the monarchy", determination of a single culture (hetero, mononuclear family, etc.) referring to LGBT rights, women, art censorship, among other examples, "reappear" strongly in the conjuncture of the country. Along with these guidelines, presidential candidate Jair Bolsonaro, who foments hate speech against minorities (socially marginalized groups), denies the history, fortifies the idea of “national identity” around the image of a Brazilian nation, and triggers research with the support of "fake news" propagated through social networks and conversation applications. With no effective type of scrutiny and punishment for the creators of the fakes news, democracy runs the serious risk of having a president of the extreme right elected by relativizing proven facts, by the propagation of false stories truly travestied.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10862
Appears in Collections:PPGSSDR - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação Fernanda Floriano.pdf853.95 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons