Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10941
Title: Estimativa da taxa de produção urinária fetal através da ultrassonografia tridimensional
Authors: Peixoto Filho, Fernando Maia
metadata.dc.contributor.advisor: Sá, Renato Augusto Moreira de
metadata.dc.contributor.advisorco: Coca Velarde, Luis Guillermo
metadata.dc.contributor.members: Cardoso, Gilberto Perez
Montenegro, Carlos Antonio Barbosa
Rezende Filho, Jorge Fonte de
Silva, Luiz Guilherme Pessoa da
Carvalho, Paulo Roberto Nassar de
Issue Date: 2012
Citation: PEIXOTO FILHO, Fernando Maia. Estimativa da taxa de produção urinária fetal através da ultrassonografia tridimensional. 2012. 69 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.
Abstract: Objetivo: O objetivo principal do presente estudo foi desenvolver um modelo de predição para a estimativa da TPUF em gestações não complicadas entre 20 e 40 semanas, utilizando US 3D - VOCAL®, a partir da regressão com melhor desempenho estatístico. Métodos: A estimativa da TPUF foi calculada a partir da variação entre duas medidas do volume vesical na fase de enchimento (V1 - primeira aferição da bexiga fetal e V2 - segunda aferição da bexiga fetal) dividida pelo intervalo de tempo (em horas) entre as duas medidas. Análise dos resultados: Considerando que a TPUF é função da idade gestacional e da biometria fetal, os dados foram submetidos à análise de regressão, tendo como variável dependente, os valores da TPUF e como variável independente a idade gestacional em semanas e a biometria fetal, em milímetros, do fêmur, úmero, diâmetro biparietal e circunferência abdominal. Resultados: Foram avaliados de 160 fetos normais com idade gestacional entre 20-40 semanas; 9 deles foram excluídos porque a qualidade da imagem não foi suficiente para a visualização correta do contorno da bexiga. A análise da regressão linear da TPUF em função da idade gestacional, fêmur, úmero, circunferência abdominal, circunferência cefálica e diâmetro biparietal (DBP) geraram equações que representam o intervalo normal para a TPUF por estes parâmetros. Embora, o DBP tenha o maior coeficiente de determinação (R2 0,7066), não houve diferença estatísticamente significativa entre os parâmetros investigados para a previsão da TPUF. Conclusão: O uso de parâmetros biométricos para predição de TPUF fetal parece ser útil e pode evitar a necessidade de construir normogramas locais para diferentes populações. A mesma estratégia customização deve ser considerada a outros campos da medicina fetal
metadata.dc.description.abstractother: Objective: The main objective of this study was to develop a predictive model to estimate the FUPR in uncomplicated pregnancies between 20 and 40 weeks using three-dimensional ultrasonography (3D U.S.) VOCAL® using the regression model with better statistical performance. Methods: The estimation of FUPR was calculated from the variation between two measurements of bladder volume on filling phase (V1 - the first measurement of the fetal bladder and V2 - the second measurement of fetal bladder) divided by time (in hours) between the two measures. Analysis of results: Since FUPR is a function of gestational age and fetal biometry, the data will be submitted to regression analysis, with the dependent variable, the values of FUPR and the independent variable gestational age in weeks and fetal biometry in milimeteres, of femur, humerus, biparietal diameter and abdominal circumference. Results: We evaluated 160 fetuses with gestational ages between 20-40 weeks, 5 were excluded because the image quality was not enough to properly display the outline of the bladder. The linear regression analysis FUPR by gestational age, femur, humerus, abdominal circumference, head circumference and biparietal diameter (BPD) generated equations that represent the normal range for FUPR by each of these parameters. Although DBP has the highest coefficient of determination (R2 0.7066), no statistically significant difference between the investigated parameters for predicting the FUPR. Conclusion: The use of biometric parameters for prediction of fetal FUPR seems to be useful and may avoid the need to construct nomograms for different populations. The same strategy of customization should be considered to other fields in fetal medicine
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/10941
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FERNANDO MAIA PEIXOTO FILHO DISSERTAÇÃO.pdf337.53 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons