Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11038
Title: Inovações tecnológicas, trabalho e reestruturação produtiva no Brasil contemporâneo: o papel do estado, a política de inclusão digital e as desigualdades regionais
Authors: Trindade, Beatriz de Carvalho Pires
metadata.dc.contributor.advisor: Lustosa, Maria das Graças Osório Pitombeira
metadata.dc.contributor.members: Lustosa, Maria das Graças Osório Pitombeira
Blank, Javier
Alencar, Monica Maria Torres de
Issue Date: 2015
Abstract: A presente dissertação de mestrado resulta de uma investigação de natureza teórica e documental relacionada acerca do desenvolvimento capitalista em sua fase monopolista imperialista concomitantemente, em face aos seus imperativos ao desenvolvimento tecnológico com impactos a sociedade, nos marcos da reestruturação produtiva no Brasil. Este estudo propõe compreender o caráter duplo do trabalho, frente às novas formas de exploração requisitadas pelo atual padrão de desenvolvimento, segundo uma visão crítico-marxista, à qual o trabalho se constitui uma atividade natural e eterna dos seres humanos para satisfação de necessidades em qualquer forma social; nessa perspectiva em que este desempenha na sociedade capitalista, sobretudo a condição de criador de valor. Considera-se o contexto das transformações globais promovidas pelo capitalismo no contexto neoliberal, em especial, a partir de 1970 diante das implicações, aparentemente irreversíveis, ao mundo do trabalho, afetando diretamente a classe que vive do seu trabalho. Examina-se o desenvolvimento tecnológico como um dos aportes teórico-metodológicos centrais que possibilitam e ou aceleram tais mudanças empreendidas, atribuindo-se destaques mais diretos às inovações tecnológicas ligadas à microeletrônica. Para tanto, ressaltamos, para fins desta análise, que o advento e o uso do microcomputador e da internet, ressalvadas as restrições da apropriação desses instrumentos, por parte de certos segmentos das classes sociais, tornam-se importantes ferramentas tecnológicas, nos avanços do sistema produtivo. Contudo, em contrapartida, as formas de exploração do trabalho nos remetem a compreensão das tecnologias como um “fenômeno social”, no contexto das sociedades, hoje denominadas transnacionalizadas, como a brasileira. Na tentativa de melhor apreendermos as múltiplas determinações desses fenômenos, investigam-se como se processam as relações sociais e de produção, os processos de exploração da força de trabalho, as formas de intermediação do Estado em suas relações com a sociedade, enquanto criador e executor de políticas públicas. Ainda que de forma breve, examina-se o significado das políticas de “inclusão digital” no Brasil, a partir dos anos 2000, diante da competência institucional do setor público em viabilizar as estratégias do projeto em curso, denominado “Sociedade da Informação”. Verificam-se também, as modificações sociais, políticas, econômicas requeridas pelo modelo neoliberal no campo das novas tecnologias, haja vista seus rebatimentos no âmbito do desenvolvimento e das desigualdades sociais e regionais, os quais no capitalismo, a produção e a reprodução estão atreladas aos processos próprios à acumulação do capital e do trabalho. No Brasil a partir dos anos de 1990, as transformações do capitalismo neoliberal têm colaborado para a precarização do trabalho, o aumento do desemprego, o aparecimento das mais variadas formas de exploração da classe trabalhadora e, por conseguinte, o aprofundamento das desigualdades sociais e regionais que elevam os níveis da pobreza. O percurso teórico-metodológico possibilitou a comprovação de nossa hipótese, vez que, a natureza desses fenômenos não se configura em sua face aparente, imediata, mas, implica no fetichismo que guardam as relações sociais, exigindo, portanto, análises críticas capazes de desvendar a essência dessa lógica social. Sendo assim, verifica-se esse arquétipo criado como é o caso da política de inclusão digital que favorece muito mais aos interesses capitalistas.
metadata.dc.description.abstractother: This master's thesis results from an investigation of a theoretical nature and documentary related about the capitalist development in its monopolist phase imperialist concomitantly, in relation to its requirements for technological development with impacts to society, in Marcos of productive restructuring in Brazil. The present study proposes that understand the dual nature of the work, the new forms of operation requested by the current pattern of development, according to a vision critical- marxist, to which the work is a natural activity and eternal human beings for the satisfaction of needs in any social form; in this perspective in which this plays in capitalist society especially the condition of creator of value. It is the context of global changes promoted by capitalism in neoliberal context, in particular, from 1970 before the implications, seemingly irreversible, the world of work, directly affecting the class that lives by his work. It examines the technological development as a intakes of theoretical-methodological switches that enable and/or accelerate such changes undertaken, and assigning it highlights more direct technological innovations related to microelectronics. For both, we emphasize that, for the purposes of this analysis, that the advent and the use of the microcomputer and the internet, subject to the restrictions on ownership of these instruments on the part of certain segments of the social classes, become important technological tools, on the progress of the productive system. However, on the other hand, the forms of exploitation in the workplace are forcing us to understanding of technology as a "social phenomenon", in the context of societies, today called transnacionalizadas, as the Brazilian. In an attempt to better comprehend the multiple determinations of these phenomena, it investigates how to handle social relations, and production, the processes of exploitation of the workforce, the forms of intermediation of the State in its relations with the society, as a creator and implementer of public policies. Even if briefly examines the significance of the policies of "digital inclusion" in Brazil, from the year 2000, before the institutional competence of the public sector to make the strategies of the project in progress, called "Information Society". There are also, the modifications social, political, economic required by the neoliberal model in the field of new technologies, given its impact on the development and social and regional inequalities, which in capitalism, the production and reproduction are tied to processes own accumulation of capital and labor. In Brazil since the 1990s, the transformation of neoliberal capitalism has contributed to the instability of employment, the increase in unemployment, the appearance of the most varied forms of exploitation of the working class and, therefore, the deepening of social and regional inequalities that raise the levels of poverty. The course theoretical-methodological allowed proof of our hypothesis, since, the nature of these phenomena is not set up in your face apparent, immediate, but implies the fetishism that keep social relations, requiring therefore, critical analyzes able to uncover the essence of social logic. Therefore, there is this archetype created as is the case of the policy of digital inclusion that favors more to capitalist interests.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11038
Appears in Collections:PPGSSDR - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERT.BEATRIZ versão FINAL.pdf1.33 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.