Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1115
Title: Protocolo de enfermagem na prevenção da pneumonia associada ao ventilador: comparação de efeitos
Authors: Silva, Hamanda Garcia da
metadata.dc.contributor.advisor: Espírito Santo, Fátima Helena do
metadata.dc.contributor.members: Rêgo, Margarethe Maria Santiago
Lima, Márcia Valéria Rosa
Issue Date: 2010
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Silva, Hamanda Garcia da. Protocolo de enfermagem na prevenção da pneumonia associada ao ventilador: comparação de efeitos. 2010. 45 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial)-Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2010
Abstract: A pneumonia hospitalar é a segunda causa mais comum de infecção nosocomial e apresenta elevada letalidade. Nas unidades de terapia intensiva (UTI) ela está associada à ventilação mecânica (VM) que é a infecção mais comum neste ambiente. A pneumonia associada à ventilação mecânica (PAVM) é uma infecção pulmonar que surge 48 a 72 horas após a intubação endotraqueal e instituição da ventilação mecânica invasiva. A equipe multidisciplinar envolvida no cuidado com os pacientes em terapia intensiva possui relação direta com os equipamentos utilizados, nos cuidados com as vias aéreas e procedimentos, o que pode indicar que haja relação da PAVM com o tipo de cuidado que esta equipe multiprofissional oferece, principalmente com relação aos cuidados prestados pela enfermagem, que são em maior número. A manutenção da permeabilidade das vias aéreas tem sido o maior desafio e o principal objetivo na assistência de enfermagem aos pacientes intubados e em ventilação artificial. Inúmeros são os fatores que podem contribuir para que o paciente tenha PAVM, como destaca a literatura, por exemplo: a instalação da ventilação mecânica e sedação prolongada, a forma como é realizada a técnica da aspiração endotraqueal, manutenção da cabeceira do paciente baixa, higiene oral ineficaz. Porém, mesmo não podendo afirmar que a pneumonia decorre da inobservância de medidas preventivas e procedimentos técnicos durante a realização dos cuidados aos pacientes em VM, a falta de diretrizes e educação permanente são fatores que sinalizam riscos para que esses pacientes desenvolvam PAVM, mesmo para aqueles que por outras razões não tiveram pneumonia. Logo, este estudo teve como objetivo testar os efeitos da aplicação de um protocolo com intervenção de enfermagem aos clientes ventilados mecanicamente, em resposta à implantação da sistematização da prevenção de PAVM, através de protocolo assistencial de enfermagem. Trata-se de uma pesquisa de abordagem quantitativa do tipo quase experimental na qual um grupo foi submetido ao controle (Grupo teste), representado pela aplicação de um protocolo de enfermagem elaborado através das melhores práticas estabelecidas, a pacientes ventilados mecanicamente; outro grupo foi constituído de maneira retrospectiva pela análise de resultados, adquiridos em prontuários antigos (grupo controle). Como resultados, foi identificado que o risco dos pacientes contraírem PAVM sem aplicação do protocolo foi de 20% e o risco dos pacientes contraírem PAVM com a aplicação do protocolo foi de 6%. Portanto, a redução absoluta do risco de se contrair PAVM, através da aplicação do protocolo foi de 14%. Concluiu-se que a intervenção do enfermeiro realizada diretamente na assistência ao paciente e na educação da equipe de enfermagem contribui para prevenir que os pacientes ventilados mecanicamente desenvolvessem a pneumonia associada à ventilação mecânica o que demonstra a efetividade da sua utilização, tendo em vista a incidência dessa patologia entre pacientes na terapia intensiva
metadata.dc.description.abstractother: Pneumonia is the second most common cause of nosocomial infection and has high mortality rates. In intensive care units (ICU) it is associated with mechanical ventilation (MV) is the most common infection in this environment. The ventilator associated pneumonia (VAP) is a lung infection that appears 48-72 hours after endotracheal intubation and invasive mechanical ventilation. The team involved in caring for patients in intensive care has a direct relationship with the equipment used, care of the airways and procedures, which may indicate that there is a relation of VAP with the type of care that provides multidisciplinary team. Particularly in relation to the care provided by nursing, which are larger. Maintaining the patency of the airways has been the greatest challenge and primary goal in nursing care to patients intubated and artificial ventilation. There are many factors that can contribute to the patient has VAP, as highlighted by the literature, for example: the installation of mechanical ventilation and prolonged sedation, the way it is, the technique of endotracheal aspiration, maintenance of the patient's bedside low, hygiene orally ineffective. However, although we can not say that pneumonia results from the failure of preventive measures and technical procedures during the course of care to patients in mechanical ventilation, the lack of guidelines and continuing education are factors that signal risk for these patients develop VAP, even for those for other reasons did not have pneumonia. Soon this study was to test the effects of a nursing intervention protocol with customers on mechanical ventilation in response to implementation of systematic prevention of VAP, using a protocol of nursing care. This is a quantitative research approach of the type in which a quasi-experimental group was subjected to the control (test group), represented by the implementation of a nursing protocol developed through best practices established for patients on mechanical ventilation and the other group consisted retrospectively by the analysis of results obtained in ancient records (control group). As a result, we identified that the risk of patients contracting VAP without application of the protocol was 20% and the risk of patients contracting VAP with the implementation of the protocol was 6%. Therefore, the absolute risk reduction of contracting VAP by implementing the protocol was 14%. Conclude that the intervention of the nurse performed directly in patient care and education of the nursing staff contributes to prevent mechanically ventilated patients develop pneumonia associated with mechanical ventilation which demonstrates the effectiveness of their use in view of the incidence of this disease among patients in intensive care
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1115
Appears in Collections:MPEA - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Hamanda Garcia da Silva.pdf1.07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.