Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11157
Title: Interferência do extrato de ginkgo biloba761 no fluxo urinário de ratos in vivo
Authors: Câmara, Mônica Dalmácio Silveira Campos
metadata.dc.contributor.advisor: Cardoso, Gilberto Perez
metadata.dc.contributor.advisorco: Teixeira, Gerlinde Agate Platais Brasil
metadata.dc.contributor.members: Olej, Beni
Pereira, Mario
Moreno, Silvana
Issue Date: 2011
Citation: CÃMARA, Mônica Dalmácio Slveira Campos. Interferência do extrato de ginkgo biloba761 no fluxo urinário de ratos in vivo. 2011. 76 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011.
Abstract: A partir de 1984, houve a comprovação de que os ginkgolídeos, componentes do extrato de Ginkgobiloba 761 (EGb), possuem atividade potente e específica como antagonistas do fator ativador plaquetário (PAF), um importante agente mediador de reações inflamatórias em vários tipos celulares. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito (in vivo) do extrato de Ginkgobiloba 761 em doses terapêuticasem um modelo animal. Os métodos empregados neste estudo foram baseados nos trabalhos de MORENO et al. (2007; 2008). Utilizamos ratos Wistar de até 3 meses de idade com massa corporal entre 180 e 240 gramas. Estes animais foramsubmetidos nos últimos 8 dias do protocolo experimental ao Extrato de Ginkgobiloba 761 por via oral. Avaliamos e descrevemos os aspectos morfológicos (qualitativos) em rins, fígado, baço, coração e intestino delgado a partir da ingestão do EGb, os níveis séricos de IgG1 e o efeito da ingestão do EGb no consumo de água e alimento assim como no volume urinário e fecal. Os dados foram tabulados a partir de seus valores originais e representados na forma de histogramas. Para os testes estatísticos consideramos um n mínimo de 5 para cada grupoe utilizamos o Teste T de Student e a Análise de Variância (ANOVA) com o pós-teste de Tukey para a determinação da diferença mínima significativa. Resultados: Não houve diferença significativa (p> 0,05) no consumo de ração e ingestão de água dos animais durante o tratamento com EGb. Animais que receberam EGb tiveram um menor volume urinário e aumento de peso com uma diferença significativa (p <0,05) durante o período de exposição . Nenhuma alteração histológica foi observada em tecidos, exceto para o rim do grupo experimental, que revelou uma maior concentração de células vermelhas nos glomérulos com uma forte coloração para fator de crescimento vascular endotelial (VEGF). Conclusões: A introdução de EGb (dose terapêutica) em ratos saudáveis pode promover alterações na fisiologia do rim, mas não suficientes para modificar a arquitetura Glomerular, inclusive a nível ultra estrutural (microscopia eletrônica)
metadata.dc.description.abstractother: Since 1984, there was evidence that ginkgolides, components of 761 Ginkgo biloba extract (EGb), have potent and specific activity as antagonists of platelet-activating factor (PAF), an important mediator of inflammatory reactions in various cell types. The objective of this study was to evaluate the effect (in vivo) of Ginkgo biloba extract 761 on an animal model with therapeutics doses. The methods used were based on the work MORENO et al. (2007; 2008). Wistar rats up to 3 months of age with body mass between 180 and 240 grams. These animals were used orally EGbatthe last eight days of the experimental protocol. Evaluate and describe the morphological (qualitative) in the kidneys, liver, spleen, heart and intestines from the ingestion of EGb, the serum levels of IgG1 and IgG2a and the effect of intake of EGb in water consumption and food and feces and urine volume. Data were tabulated from their original values and represented as histograms. For statistical tests we consider a minimum of n 5 for each group and used the Student's t test and analysis of variance (ANOVA) with Tukey post-test to determine the least significant difference. Results: No significant difference (p> 0.05) on feed intake and water intake of animals during treatment with EGb. Animals that received EGb had a lower urine volume and weight increase with a significant difference (p <0.05) during the exposure period. No histological alteration was observed in tissues, except for the kidney in the experimental group revealed a higher concentration of red cells in the glomeruli with a strong staining for vascular endothelial growth factor (VEGF). Conclusions: The introduction of EGb (therapeutic dose) in healthy rats can promote changes in the physiology of the kidney, but not enough to modify the glomerular architecture, including the ultra-structural level (electron microscopy)
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11157
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MÔNICA DALMÁCIO SILVEIRA CAMPOS CAMARA DISSERTAÇÃO.pdf1.29 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons