Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11636
Title: Atividade cortical e desempenho cognitivo de idosos institucionalizados após uma sessão de exercícios baseados em realidade virtual 2D (Exergame): estudo controlado, randomizado e duplo-cego
Authors: Alves, Mariana Rocha
metadata.dc.contributor.advisor: Monteiro Junior, Renato Sobral
metadata.dc.contributor.members: Nascimento, Osvaldo José Moreira
Pupe, Camila Castelo Branco,
Andrade, João Marcus Oliveira,
Issue Date: 2019
Citation: ALVES, Mariana Rocha. Atividade cortical e desempenho cognitivo de idosos institucionalizados após uma sessão de exercícios baseados em realidade virtual 2d (exergame): estudo controlado, randomizado e duplo-cego. 2019. 56 f. Dissertação (Mestrado em Neurociências) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.
Abstract: Introdução: Com o fenômeno do envelhecimento mundial e as incapacidades por ele geradas, a busca por Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) tem sido uma alternativa para os familiares de pessoas com idade avançada. A institucionalização é marcada por declínios na saúde dos idosos, fazendo-se necessária a busca por alternativas atrativas e que tenham efeitos positivos na melhora nas disfunções causadas nesses indivíduos. Os exercícios com realidade virtual têm sido estudados como uma forma de prevenção e reabilitação da saúde dos residentes em ILPIs. Diversas respostas funcionais têm sido evidenciadas, porém poucos mecanismos fisiológicos têm sido explorados. Dentre os mecanismos neurofisiológicos ainda não totalmente elucidados temos a atividade cortical As ondas cerebrais estão sendo estudadas como forma de auxílio na relação e identificação de patologias comuns do processo de envelhecimento cerebral, logo, se faz necessária a investigação da atividade cortical em função da estimulação com exercício e realidade virtual. Objetivo: O objetivo do presente estudo foi analisar a atividade cortical frontal e o desempenho cognitivo de idosos institucionalizados após uma única sessão de exercícios com realidade virtual. Método: Foi realizado um estudo analítico, comparativo e duplo cego para verificar o efeito agudo de uma sessão de exergame na ativação cortical frontal de idosos institucionalizados. Foram recrutados indivíduos residentes de uma ILPI da cidade de Montes Claros, os quas foram alocados aleatoriamente em dois grupos (experimental, GRV, n = 10; e controle, GCA, n = 11). O GRV foi submetidos a realização de seis exercícios baseados em realidade virtual e o GCA foi submetido aos mesmos exercícios, porém sem a interação com o ambiente virtual. Avaliações cognitivas (memória de curto prazo, memória de trabalho e memória semântica/função executiva), sintomas de depressão e atividade cortical frontal foram realizadas antes e imediatamente após a sessão de intervenção. Em adição foi realizada a coleta e análise do lactato sérico e o monitoramento da frequência cardíaca (FC) para verificar a intensidade do treinamento nos dois grupos. Foi realizado o cálculo da diferença entre os momentos pré e pós intervenção (Δ) referentes à potência relativa da atividade eletroencefalográfica (PREEG) e funções cognitivas (FCog). O Teste t para grupos independentes foi realizado, considerando significância ≤ 0,05. Adicionalmente foi realizado o cálculo do tamanho do efeito de Cohen. Resultados: A intensidade do treinamento se manteve equilibrada em ambos os grupos (lactato e FC sem diferença, p > 0,05). Houve redução significativa na PREEG da onda beta para o GRV (-29 ± 18%) em comparação ao GCA (4 ± 9%) (t= 3,5; df = 8; p < 0,01). O tamanho de efeito mostrou um pequeno aumento na Fluência Verbal no GRV (TE= 0,21) e uma manutenção dos sintomas de depressão. Conclusão: Após uma sessão de exercícios com realidade virtual a potência relativa da banda de frequência beta no córtex frontal esquerdo de idosos institucionalizados pode diminuir durante a realização de tarefas cognitivas. Este achado abre caminhos para pesquisas maiores que investiguem os mecanismos neurofisiológicos que justificam as alterações funcionais em indivíduos idosos, como por exemplo, nas funções cognitivas
metadata.dc.description.abstractother: Introduction: With the phenomenon of global aging and disabilities generated by it, the search for Long Stay Institutions for the Elderly (ILPIs) has been an alternative for the relatives of elderly people. Institutionalization is marked by declines in the health of the elderly, making the search for attractive alternatives and that has positive effects in the improvement in the dysfunctions caused by these individuals. The exercises with virtual reality have been investigated as a way of prevention and rehabilitation of the health of the residents in ILPIs. Several functional responses have been shown, but few physiological mechanisms have been explored. Among the neurophysiological mechanisms not yet fully elucidated we have the cortical activity. The brain waves are being studied as a way of aiding in the relationship and identification of common pathology of the aging process. Therefore, it is necessary to investigate the cortical activity as a function of stimulation with exercise and virtual reality. Objective: The objective of the present study was to analyze frontal cortical activity and cognitive performance of institutionalized elderly individuals after a single exercise session with virtual reality. Method: An analytical, compare and double blind study was performed to verify the acute effect of an exergame session on frontal cortical activation of institutionalized elderly. Results: Individuals living in a city of Montes Claros ILPI were recruited, which were randomly allocated into two groups (experimental, GRV, n = 10, and control, GCA, n = 11). The GRV was submitted to six exercises based on virtual reality and the GCA was submitted to the same exercises, but without the interaction with the virtual environment. Cognitive assessments (short-term memory, working memory and semantic memory / executive function), symptoms of depression and frontal cortical activity were performed before and immediately after the intervention session. In addition, serum lactate was gathered and analyzed, and heart rate (HR) was monitored to verify the intensity of training in both groups. We calculated the difference between the pre and post intervention moments (Δ) relative to the relative power of the electroencephalographic activity (PREEG) and cognitive functions (FCog). The t-test for independent groups was performed, considering significance ≤ 0.05. In addition, Cohen effect size was calculated. Results: The intensity of the training remained balanced in both groups (lactate and FC without difference, p> 0.05). There was a significant reduction in PREEG of beta wave of GRV (-29 ± 18%) compared to GCA (4 ± 9%) (t = 3,5; df = 8; p <0.01). The effect size showed a small increase in Verbal Fluency in GRV (TE = 0.21) and a maintenance of the symptoms of depression. Conclusion: After an exercise session with virtual reality, the relative power of the beta frequency band in the left frontal cortex of institutionalized elderly can decrease during the performance of cognitive tasks. This finding opens the way to more research that investigates neurophysiological mechanisms that justify functional changes in elderly individuals, such as cognitive functions
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11636
Appears in Collections:PPGN - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO DE MESTRADO -Mariana Rocha Alves.pdf2.19 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.