Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11691
Title: Estudo transversal de soroprevalência de anticorpos contra os polivírus sorotipos 1 e 3 em pacientes HIV positivos do Estado do Rio de Janeiro
Authors: Oliveira, Silas de Souza
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, Edson Elias da
metadata.dc.contributor.advisorco: Nascimento, Osvaldo José Moreira do
metadata.dc.contributor.members: Santos, Ana Paula dos
Vieira, Carmen Baur
Santos, Gina Peres Lima dos
Issue Date: 2019
Citation: OLIVEIRA, Silas de Souza. Estudo transversal de soroprevalência de anticorpos contra os poliovírus em pacientes HIV positivos do estado do Rio de Janeiro. 2019. 95 f. Dissertação (Mestrado em Neurologia/Neurociências) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.
Abstract: A Poliomielite encontra-se em fase final do processo de erradicação. Em regiões onde a doença já foi eliminada, é imprescindível a manutenção de altas taxas de cobertura vacinal para impedir a circulação dos Poliovírus (PV). Indivíduos portadores de imunodeficiência podem, potencialmente, apresentar respostas inadequadas à vacinação, permitindo assim a replicação e excreção continuada dos poliovirus para o meio ambiente. Neste contexto, o propósito deste estudo foi avaliar o perfil de imunidade humoral contra PV1 e PV3 em população HIV positivo em diferentes faixas etárias; conferir o desempenho da Vacina Oral para Poliovírus (VOP) em população de risco; bem como, verificar a influência dos níveis de células T CD4+ frente aos níveis de anticorpos anti-PV em pacientes HIV positivos. Para tanto, amostras séricas enviadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio de Janeiro Noel Nutels (LACEN/RJ) foram analisadas no Laboratório de Enterovírus da Fundação Oswaldo Cruz, por meio do ensaio de microneutralização e os títulos de anticorpos foram analisados frente à contagem de células T CD4 +obtida atravésda técnica decitometria de fluxo. Foram analisadas 353 amostras de pacientes na faixa etária entre 5 a 60 anos, procedentes de três mesorregiões do Rio de Janeiro, das quais 170 (47%) não tinham títulos protetores de anticorpos para um ou mais sorotipos de PV; 53 (14,9%) não apresentaram títulos de anticorpos protetores para os dois sorotipos; 37 (10,4%) não apresentavam títulos protetores para o PV1 e 80 (22,5%) para o PV3. Este estudo permitiu concluir que crianças com até 10 anos de idade e positivas para HIV encontram-se imunologicamente protegidas para PV1 e PV3; indivíduos HIV positivos acima dos 10 anos de idade apresentam baixa proteção imunológica para PV1 e PV3; a memória imunitária dos indivíduos vacinados com a VOP reduz significantemente a partir da faixa etária acima dos 10 anos de idade e, o nível de imunidade humoral não apresentou relação frente a imunidade celular mediante a contagem de células CD4+ na população estudada
metadata.dc.description.abstractother: Poliomyelitis is in the final stages of the eradication process. In regions where the disease has already been eliminated, it is essential to maintain high vaccination coverage rates to prevent the circulation of Poliovirus (PV). Individuals with immunodeficiency may present inadequate responses to vaccination, thus allowing the replication and continued excretion of polioviruses into the environment. In this context, this study aimed to evaluate the humoral immunity profile against PV in HIV positive population in different age groups, to verify the performance of the Poliovirus Oral Vaccine (OPV) in a population at risk, and verify the influence of CD4 + T cell levels against levels of anti-PV antibodies in HIV-positive patients. Serum samples sent offered by Noel Nutels Central Laboratory of Public Health (LACEN / RJ) were analyzed at the Enterovirus Laboratory of the Oswaldo Cruz Foundation by microneutralization tests. Antibody titers wereanalized relatively to the CD4 + T cells counting by flow cytometry. A total of 353 samples of patients aged 5 to 60 years, from three mesoregions of Rio de Janeiro, were analyzed, of which 170 (47%) had no protective antibody titers for one or more PV serotypes; 53 (14.9%) had no protective antibody titers for the two serotypes; 37 (10.4%) presented no protective titers for PV1 and 80 (22.5%) for PV3. This study allowed the conclusion that children up to 10 years of age and positive for HIV are immunologically protected for poliomyelitis; HIV positive individuals over 10 years of age have low immunological protection for PV1 and PV3; the immune memory of individuals vaccinated with OPV reduced significantly from the age group above 10 years of age, and the humoral immunity level did not show a relation to the cellular immunity by counting CD4 + cells in the study population
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11691
Appears in Collections:PPGN - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese POLIOHIV R4 atual.pdf1.87 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.