Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11802
Title: A percepção do ser adolescente sobre a educação em saúde: uma perspectiva merleaupontiana
Authors: Faial, Ligia Cordeiro Matos
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, Rose Mary Costa Rosa Andrade
metadata.dc.contributor.advisorco: Pereira, Eliane Ramos
metadata.dc.contributor.members: Araújo, Silvia Teresa Carvalho de
Marins, Aline Miranda da Fonseca
Farber, Sônia Sirtoli
Pereira, Eliane Ramos
Issue Date: 2019
Citation: FAIAL, Ligia Cordeiro Matos. A percepção do ser adolescente sobre educação em saúde: uma perspectiva merleaupontiana. 2019. 153 f. Tese (Doutorado Ciências do Cuidado em Saúde) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.
Abstract: A adolescência é caracterizada por transformações biopsicossociais singulares ao indivíduo. O adolescente inserido no contexto saúde e educação reflete sobre sua existência e a compreende de maneira particular. Trata-se de uma pesquisa que teve como objetivo geral compreender a percepção do aluno sobre a educação em saúde como suporte ao cuidado e à formação do ser adolescente. E entre seus objetivos específicos buscou descrever como o discente adolescente percebe a arte do cuidar pela educação em saúde na sua formação e propor subsídios para a construção da política de cuidado à saúde institucional ao discente adolescente, a partir da experiência de escuta do aluno. Para tal desenvolveu-se um estudo descritivo fenomenológico de abordagem qualitativa, cuja técnica de produção dos dados foi a entrevista fenomenológica. A coleta de dados ocorreu após a aprovação do projeto de Tese pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal Fluminense sob o número 2.672.268. A pesquisadora realizou encontros mensais de educação em saúde com alunos adolescentes para aproximação com os sujeitos do estudo. As entrevistas ocorreram no período de agosto a novembro de 2018 e finalizaram no 66º encontro com o ser adolescente na faixa etária de 15 a 23 anos, por saturação dos significados apreendidos. O campo do estudo foi o Instituto Federal Fluminense Campus Bom Jesus do Itabapoana. Na entrevista, aplicaram-se os questionamentos: Como você percebe a educação em saúde como cuidado? Como você percebe a educação em saúde na sua formação? A partir da redução, compreensão e interpretação dos discursos apreendidos, desvelaram-se três unidades de significados: O “mundo-da-educação-em-saúde” ressignificando a arte do cuidado de si, do outro e da formação do ser adolescente; O ser adolescente que se percebe e presentifica seu futuro a partir do ambíguo “mundo-da-educação em saúde”; o “Mundo-da-educação-em- saúde” quebrando tabus: uma proposta para subsidiar a política de cuidado à saúde institucional ao discente adolescente. Desvelou-se a educação em saúde como estratégia de cuidado de si e do outro, já que o ser adolescente é atravessado pelo conhecimento emanado a cada encontro e identifica o outro como um prolongamento do cuidado de si. O saber apreendido simplifica o processo de formação do adolescente, posto que descortina incertezas, inseguranças dessa fase e fortalece habilidades e hábitos saudáveis. A arte de cuidar apoiada na educação em saúde fortalece a formação juvenil, pois multiplica o saber inerente à independência do ser adolescente. A educação em saúde como proposta de política de cuidado em saúde institucional é almejada pelos discentes porque trata de assuntos de seu interesse, porém negligenciados por família e escola. Surge a necessidade do diálogo entre os atores envolvidos no cuidado para que a educação em saúde não seja apenas uma proposta habitual, mas uma estratégia humanizada, inédita e motivacional para produção do cuidado e do comportamento saudável. O cuidado e a formação do adolescente a partir da educação em saúde acontece quando o profissional da saúde valoriza a historicidade, a espacialidade e a subjetividade do aluno, que transcende a medicalização das funções fisiológicas isoladas e desprovidas de vida.
metadata.dc.description.abstractother: Teenage years are characterized by bio-psychosocial transformations unique to the individual. The adolescents placed in the context of health and education, reflects on and comprehends their existence in a particular way. This is a research that is aimed at understanding the student´s perception on health education as a support to the adolescent care and formation. Among its specific objectives it aimed at describing how the adolescent student understands the art of caring by health education in their formation, and to propose contributions to the development of institutional health care policies to the adolescent student, from student listening experience. In order to achive it, we developed a phenomenological descriptive study with a qualitative approach, whose data production technique has been the phenomenological interview. After the Thesis Project protocol approval by the Research Ethics Committee of the Universidade Federal Fluminense under number 2.672.268, we entered the field. The researcher conducted monthly health education meetings with adolescent students in order to allow an approach to the subject of this study. At the end of each meeting the participants were invited to attend to the interview, which took place from August to November 2018, and ended at the 66th meeting with the adolescents in the age group of 15-to-23-year-old when it was felt that there was a saturation of the learned meanings. The study field was the Fluminense Federal Institute Campus Bom Jesus do Itabapoana. The interview was on the following questions: How do you feel about the health education as awareness? How do you feel about the health education in your formation? From the reduction, understanding and interpretation of the discourses learned, three units of meaning were revealed: The "world of education-in-health" resignifying the art of self-care, of the other and the formation of the adolescent being; The adolescent being who perceives themselves and presentifies their future from the ambiguous "world-of-education-in-health"; the "world-ofeducation-in-health" breaking taboos: a proposal to subsidize the policy of institutional health care to the adolescent student. It has been unveiled health education as a strategy for the care of the self and the other, since the adolescent is swept up by the knowledge given at each meeting and identifies the other as an extension of self care. The acquired knowledge simplifies the adolescent formation process since it unveils uncertainties, stage insecurities and strengthens skills and healthy habits. The art of caring supported by health education enhances youth education by multiplying knowledge related to adolescent independence. Health education with proposals related to institutional health care policies is craved by the students since it deals with the issues that are of interest to the student, but neglected by the family and by the school. There is a need of a dialogue among all the actors involved in the care so that health education is not only a standard proposal, but a unprecedent motivational humanized strategy for production of care and healthy behavior. The care and adolescent education in health education happens to the extent that the health care worker appreciates the value of the student history, spatiality, and subjectivity, which goes well beyond the medicalizing isolated physiological functions devoid of life.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11802
Appears in Collections:PACCS - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ligia Cordeiro Matos Faial TESE.pdf7.24 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons