Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11835
Title: Caracterização de staphylococcus aureus resistentes a meticilina isolados de pacientes infectados, internados em dois hospitais da cidade de Niterói
Authors: Santos, Danielle Caldeira Martins dos
metadata.dc.contributor.advisor: Mondino, Silvia Susana Bona de
metadata.dc.contributor.advisorco: Alves, Fábio Aguiar
metadata.dc.contributor.members: Souza, Claudia Rezende Vieira de Mendonça
Santos, Kátia Regina Netto dos
Capasso, Ivano Raffaele Victorio de Filippis
Issue Date: 2014
Citation: SANTOS, Danielle Caldeira Martins dos. Caracterização de staphylococcus aureus resistentes a meticilina isolados de pacientes infectados, internados em dois hospitais da cidade de Niterói. 2014. 88 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2014.
Abstract: Staphylococcus aureus é agente etiológico importante de infecções de origem comunitária e hospitalar. Desde meados dos anos 80, a resistência aos antimicrobianos, principalmente a meticilina, tem apresentado aumento gradativo no mundo inteiro. A resistência a meticilina é codificada pelo gene mecA, carreado em um elemento genético móvel denominado Staphylococcal Cassette Chromosome mec (SCCmec). A tipagem do SCCmec é essencial para entender a epidemiologia molecular das amostras MRSA. O presente estudo teve como objetivo avaliar as características genotípicas e fenotípicas de amostras de S. aureus resistentes a meticilina (MRSA) isoladas de espécimes clínicos provenientes de pacientes internados no Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) e na Casa de Saúde e Maternidade Santa Martha (CSMSM), ambos na cidade de Niterói. Foram avaliadas 113 amostras identificadas como MRSA no hospital de origem e oriundas de infecção no período de agosto de 2009 a agosto de 2011. Destas amostras 75 foram oriundas do HUAP e 38 da CSMSM. A avaliação da susceptibilidade aos antimicrobianos foi realizada através do teste de difusão em Agar; 38/38 (100%) das amostras na CSMSM apresentaram resistência a cefoxitina, enquanto no HUAP 72/75 (96 %) foram resistentes a este antimicrobiano. Adicionalmente foi realizada a pesquisa do gene de resistência mecA, através da técnica Reação da Polimerase em Cadeia (PCR); todas as amostras deste estudo apresentaram este gene. Através da PCR multiplex foi identificado o tipo de SCCmec em 83/113 (73%) amostras. Foi realizada também a pesquisa dos genes lukS-PV e lukF-PV, que são responsáveis pela codificação do fator de virulência estafilocócico Leucocidina de Panton-Valentine. Estes genes foram detectados em 26 amostras do HUAP, originadas de: secreções de trato respiratório inferior (n= 2), secreção de ferida (n=2), secreção de linfonodo (n=1), tecido necrótico (n=1) e urina (n=1). Neste estudo foi detectada a presença de cinco tipos de SCCmec: tipo II 51/83 (61%); tipo IVa 25/83 (30%); tipo III 3/83 (4%); tipo I 2/83 (2%); tipo IVc e V 1/83(1%). Algumas amostras (26,5%) não tiveram seu SCCmec definido e foram considerados não tipáveis. De nosso conhecimento, esta é a primeira detecção dos tipos SCCmec I e V em amostras de S. aureus isoladas nos hospitais do estudo
metadata.dc.description.abstractother: Staphylococcus aureus is an important etiological agent of community and hospital infections in humans. Since the middle of 1980s, antimicrobial resistance, mainly to methicillin, is presenting gradual increase worldwide. Methicillin resistance is encoded by mecA gene, carried by a mobile genetic element called staphylococcal cassette chromosome mec (SCCmec). SCCmec typing is essential for understanding the molecular epidemiology of MRSA strains. The present study aims to evaluate the genotypic and phenotypic characteristics of MRSA strains isolated from clinical patients’ specimens attended at Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) and Casa de Saúde e Maternidade Santa Martha (CSMSM), both located in Niterói city. A total of 113 strains identified as MRSA from infected patients attending these hospitals from August 2009 to August 2011 were evaluated. These strains were recovered from HUAP (75 isolates) and CSMSM (38 isolates). The isolates were submitted to antimicrobial susceptibility test by the disc diffusion method according to CLSI 2012; 38/38 (100%) of the isolates from CSMSM were resistant to cefoxitin whereas 72/75 (96%) isolates from HUAP were resistant to this antimicrobial agent. The presence of mecA gene was tested in the 113 isolates by PCR, and all of them gave a positive result. The SCCmec types were determined by multiplex PCR; the distribution of SCCmec types among the 83 typeable MRSA isolates indicated that 51/83 (61%) harbored SCCmec type II; 25/83 (30%) SCCmec IVa; 3/83 (4%) SCCmec III; 2/83 (2%) SCCmec I; 1/83 (1%) SCCmec IVc and 1/83(1%) SCCmec V. Thirty MRSA strains (26,5%) were classified as non-typeable SCCmec. Detection of lukS-PV and lukF-PV genes by PCR was done in 26 CA-MRSA strains SCCmec IV; the result was positive in only seven strains isolates from HUAP: wound secretion (n=2), lower respiratory tract secretion (n=2), necrotic tissue (n=1), lymph node secretion (n=1) and urine (n=1). To our knowledge, this is the first detection of SCCmec types I and V among MRSA strains isolated from hospitals located in Rio de Janeiro metropolitan region
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11835
Appears in Collections:PPGPatol - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DANIELLE CALDEIRA MARTINS DOS SANTOS DISSERTAÇÃO.pdf7.88 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons