Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11856
Title: Análise molecular dos genes TP53 e MDM2 em carcinomas de células escamosas de boca
Authors: Silva Júnior, José de Assis
metadata.dc.contributor.advisor: Lourenço, Simone de Queiroz Chaves
metadata.dc.contributor.advisorco: Amorim, Lídia Maria da Fonte de
Ribeiro, Georgina Severo
metadata.dc.contributor.members: Barroso, Danielle Resende Camisasca
Alves, Fábio Aguiar
Pinto, Luciana Wernersbach
Albano, Rodolpho Mattos
Janini, Maria Elisa Rangel
Issue Date: 2012
Citation: SILVA JUNIOR, José de Assis. Análise molecular dos genes TP53 e MDM2 em carcinomas de células escamosas de boca. 2012. 142. f. Tese (Doutorado em Patologia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2012.
Abstract: O carcinoma de células escamosas (CCE) é o tumor maligno mais frequente que afeta a boca. O gene TP53 é caracterizado como um supressor de tumor que codifica uma proteína nuclear de mesmo nome, p53. Apresenta-se como o gene mais comumente mutado nos CCE na região de cabeça e pescoço. Polimorfismos associados ao gene TP53 têm sido relacionados com um maior risco de desenvolvimento de neoplasias malignas. O polimorfismo PIN3 e Arg/Pro estão relacionados com funções biológicas importantes da proteína p53. A inativação da p53 também está associada ao gene MDM2, que além disso regula outros pontos de sua via de ação. O aumento de mdm2 está associado a um grande número de tumores. Recentemente, descreveu-se um polimorfismo (SNP309) na região promotora do gene MDM2, que aumenta a sua expressão, podendo contribuir para o desenvolvimento de tumores, mesmo na ausência de alterações em TP53. O presente trabalho teve o objetivo de avaliar a expressão das proteínas p53 e mdm2 em CCE de boca e verificar se os genes que codificam tais proteínas apresentam polimorfismos específicos nos indivíduos com esse tipo de tumor. Foi realizado um estudo prospectivo com pacientes com CCE em língua e assoalho, no Instituto Nacional de Câncer. De cada paciente foram coletadas amostras de tecido tumoral (n = 82) e/ou sangue periférico (n = 78) para análises moleculares. Foi incluído no estudo um grupo controle (n =224) que foi utilizado para estabelecer comparações com os polimorfismos. Na análise histopatológica foi adotada a classificação de gradação da OMS e avaliação histopatológica de risco (AHR) proposta por Brandwein-Gensler. Para o estudo imuno-histoquímico da proteína p53, foram utilizados os anticorpos DO-7 e PAb-240, e o IB-10 para mdm2. A quantificação da imunopositividade foi feita por análise digital de imagens. Para a análise dos polimorfismos Arg/Pro e SNP 309 foi utilizada a técnica de PCR em tempo real e PCR convencional para o polimorfismo PIN3. A população do estudo foi composta em sua maioria por homens, com idade média de 59 anos, tabagistas e etilistas. O estadiamento clínico mais encontrado foi o II e o patológico o IV. Na análise histopatológica, em relação à diferenciação, predominou o padrão moderadamente diferenciado, e na avaliação AHR os pacientes foram predominantemente classificados em alto risco. Observou-se imunoexpressão em 45% dos casos para o DO-7, 39% para o PAb-240 e 77% para o IB-10. Foi constatada associação entre as expressões do DO-7 e IB-10. A análise de Kaplan-Meier definiu os seguintes fatores como associados à sobrevida total: infiltrado inflamatório, invasão perineural e aumento da expressão da proteína mdm2. A expressão de p53 (clone DO-7) teve relação com o polimorfismo PIN3, enquanto o PAb-240 com o Arg/Pro. O polimorfismo de PIN3 foi associado a um maior desenvolvimento de CCE em língua e assoalho (p< 0,0001). A combinação dos polimorfismos PIN3 e SNP309 demonstraram um aumento no risco de apresentar esses tumores (p< 0,0001). Esse estudo apresentou informações relevantes na participação dos genes TP53 e MDM2 na carcinogênese bucal, dados que poderão contribuir na determinação do prognóstico e risco de desenvolvimento do CCE da boca
metadata.dc.description.abstractother: Squamous cell carcinoma (SCC) is the most frequent malignant tumor that affects the mouth. TP53 is characterized as a tumor suppressor gene that encodes a nuclear protein called p53. It is the most commonly mutated gene in head and neck SCC. Polymorphisms associated with TP53 gene have been linked to an increased risk of malignancies. PIN3 and Arg/Pro polymorphisms are related to important biological functions of p53. Inactivation of p53 is associated with MDM2 gene as well and this gene also regulates other points in its action pathway. Increases in mdm2 are associated with a large number of tumors. Recently, a polymorphism (SNP309) which increases MDM2 expression has been described in the promoter region of the gene. This may contribute to the development of tumors, even in the absence of TP53 alterations. This study aimed to evaluate p53 and mdm2 expression in SCC of the tongue and floor of mouth and also observe if the genes encoding these proteins have specific polymorphisms in individuals with this type of tumor. A prospective study with patients presenting SCC of the tongue and floor of mouth was conducted at the National Cancer Institute (INCA). For each patient, samples of tumoral tissue (n = 82) and/or peripheral blood (n= 78) were collected for molecular analysis. A control group ((n= 224) was included in the study to establish comparisons with studied polymorphisms. For histopathological analysis, the WHO grading system and Histological Risk Assessment (HRA) proposed by Brandwein-Gensler were employed. Antibodies DO-7 and PAb-240 were used for immunohistochemical study of p53 protein, and IB-10 for mdm2 expression. Quantification of the proteins expression was performed through digital image analysis. For Arg/Pro and SNP 309 polymorphisms analysis real-time PCR was the technique chosen, while conventional PCR was used for PIN3 polymorphism. The study population was composed mostly by males, with a mean age of 59 years old who smoke and drink. Most common clinical stage was stage II, while pathologic stage IV prevailed. Moderately differentiated tumors were the most common and patients were predominantly classified as high risk by HRA. Immunoreactivity was observed in 45% of cases for DO-7, 39% for PAb-240 and 77% for IB-10. An association between DO-7 and IB-10 expressions was detected. The Kaplan-Meier analysis identified the following factors as being associated with overall survival: lymphocytic infiltrate, perineural invasion and mdm2 high expression. p53 expression (DO-7 clone) was related to polymorphism PIN3, while PAb 240 showed an association with Arg/Pro polymorphism. PIN3 polymorphism was associated with an increased development of SCC in the tongue and floor of mouth (p <0.0001). The combination of PIN3 and SNP309 polymorphisms showed an increased risk for these tumors (p <0.0001). This study has provided relevant information relating to the involvement of MDM2 and TP53 genes in oral carcinogenesis. These data may help determining the prognosis and risk of developing SCC of the mouth
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11856
Appears in Collections:PPGPatol - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
JOSÉ DE ASSIS SILVA JÚNIOR TESE.pdf2.67 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons