Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11884
Title: Perfil clínico de crianças e adolescentes com imunoglobulina E (IgE) superior a 1.000 ui/ml, atendidas no Hospital Universitário Antonio Pedro
Authors: Jorge, Geraldo Jacob
metadata.dc.contributor.advisor: Herdy, Gesmar Volga Haddad
metadata.dc.contributor.advisorco: Sias, Selma Maria Azevedo
metadata.dc.contributor.members: Ribeiro, Christiane Fernandes
Morandi, José Laerte Junior Boechat
Martire, Terezinha
Issue Date: 2014
Citation: JORGE, Geraldo Jacob. Perfil clínico de crianças e adolescentes com imunoglobulina e (ige) superior a 1.000 ui/ml, atendidas no Hospital Universitário Antonio Pedro. 2014. 79 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Materno-Infantil) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2014.
Abstract: A correlação existente entre a elevação do nível sérico de Imunoglobulina E (IgE) e algumas patologias, principalmente as doenças alérgicas, determinadas infecções parasitárias e algumas imunodeficiências primárias, justifica a frequente determinação sérica da IgE na prática clínica pediátrica. Quadros como dermatite atópica, asma, rinite e alergia alimentar têm sido frequentemente associados à elevação da IgE sérica em crianças. Entre as imunodeficiências, a Síndrome de Hiper-IgE se destaca pela sua marcante elevação da IgE, além do quadro de infecções de repetição em pele e pulmão. Este estudo teve como objetivo avaliar o perfil clínico e laboratorial de crianças e adolescentes com níveis séricos de IgE superiores a 1.000 UI/mL, atendidos nos ambulatórios de Pneumologia e Alergia Pediátricas de um hospital universitário. Através de levantamento no banco de dados do Laboratório de Imunologia, revisou-se retrospectivamente prontuários de pacientes com IgE ≥ 1.000 UI/ml, no período de janeiro de 2007 a dezembro de 2012, e com idade inferior a 19 anos. Dos 65 prontuários revisados, idade média de 8,9 anos (± 4,1 anos), 63 (96,8%) tinham doenças alérgicas, 1 (1,6%) Síndrome de Hiper-IgE, e 1 (1,6%) causa não definida. Os valores séricos de IgE variaram de 1.066 a 33.089 UI/mL, media de 3.786,52 UI/mL e mediana de 2.000 UI/mL. No grupo com doenças atópicas observou-se que 58 (92,0%) tinham o diagnóstico de rinite, 56 (88,9%) de asma, 11 (17,4%) de dermatite atópica e 9 (14,3%) de alergia alimentar. Na avaliação isolada das patologias alérgicas, apenas em pacientes com dermatite atópica foi encontrada uma diferença estatisticamente significativa do nível sérico de IgE em relação a outras doenças alérgicas. Eosinofilia sérica ≥500 células/mm3 foi verificada em 43 (66,1%) pacientes, com média de 956 células/mm3. O paciente com diagnóstico de Síndrome de Hiper- IgE apresentou IgE sérica de 22.885 UI/mL. Em seu histórico, foi hospitalizado repetidas vezes com infecções cutâneas e pneumonias. Concluiu-se que, na amostra examinada, foi encontrado principalmente quadros de doenças atópicas, com maior prevalência de rinite e asma. O nível sérico de IgE encontrou-se aumentado de forma especial em pacientes com dermatite atópica. As parasitoses intestinais não foram apontadas como causa de elevação da IgE sérica. E que a Síndrome de Hiper-IgE deve ser sempre lembrada como diagnóstico entre as crianças com elevação da IgE sérica, acima de 2.000 UI/mL, associada a sinais clínicos de imunodeficiência
metadata.dc.description.abstractother: Several studies have demonstrated the important correlation between serum immunoglobulin E (IgE) levels and some diseases, mainly allergic diseases, parasitic infections and primary immunodeficiency diseases, justifying common serum IgE measurements in pediatric clinical practice. Diseases such atopic dermatitis, asthma, rhinitis and food allergy has often been associated with increased serum IgE level in children. Among immune conditions Hyper-IgE Syndrome highlights for its peculiar elevated IgE serum, associated with recurrent skin and pulmonary infections. This study aimed to evaluate the clinical profile of children and adolescents with serum IgE level above 1,000 IU/ml, in pulmonology and allergy outpatient pediatric clinic of a university hospital. Data from the immunology laboratory was abstracted and medical records of patients with IgE ≥ 1,000 IU/ml under 19 years old, from January 2007 to December 2012, was reviewed for clinical diagnosis, comorbidities and laboratory parameters. Among the 65 charts reviewed, mean age 8.9 years (±4.1 years), 63 (96.8%) had allergic diseases, 1 (1.6%) had Hyper-IgE Syndrome, and 1 (1.6%) undefined cause. Serum IgE levels ranged from 1,066 to 33,089 IU/ml, average 3,786.52 IU /ml and median 2,000 IU/mL. In the group with atopic diseases was observed that 58 (92.0 %) were diagnosed as rhinitis, 56 (88.9%) asthma, 11 (17.4%) atopic dermatitis and 9 (14.3%) food allergy. Only atopic dermatitis patients had a statistically significant difference in serum IgE levels in comparison with other allergic diseases. Serum eosinophilia ≥500 cells/mm3 was observed in 43 (66.1%) patients, mean 956 cells/mm3. The patient diagnosed as Hyper-IgE Syndrome presented serum IgE level of 22,885 IU/ml. His medical history, showed repeatedly hospitalizations with skin infections and pneumonias. In conclusion, the present study found mainly atopic diseases with higher prevalence of rhinitis and asthma. The serum IgE level was increased in a special way in patients with atopic dermatitis. Parasitic diseases were not a significant cause of increased serum IgE level. Hyper-IgE Syndrome should always be inquired among children with elevated IgE levels above 2,000 IU/ml and clinical signs of immunodeficiency
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11884
Appears in Collections:MESP-MI - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
GERALDO JACOB JORGE DISSERTAÇÃO.pdf630.43 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons