Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11888
Title: O efeito da terapia anti-retroviral na prevalência das manifestações bucais associadas à infecção pelo HIV/AIDS
Authors: Santos, Cesar Werneck Noce dos
metadata.dc.contributor.advisor: Ferreira, Sonia Maria Soares
metadata.dc.contributor.advisorco: Dias, Eliane Pedra
Silva Junior, Arley
metadata.dc.contributor.members: Silva Junior, Arley
Luiz, Ronir Raggio
Oliveira, Solange Artimos de
Issue Date: 2006
Citation: Santos, Cesar Werneck Noce dos. O efeito da terapia anti-retroviral na prevalência das manifestações bucais associadas à infecção pelo HIV/AIDS. 2006. 138 f. Dissertação (Mestrado em Patologia) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006.
Abstract: As lesões bucais são fortemente associadas à aids, como candidíase, leucoplasia pilosa e sarcoma de Kaposi. Após a introdução da terapia anti-retroviral combinada, algumas lesões mostraram comportamentos diferenciados: sarcoma de Kaposi e candidíase têm sido associados à imunossupressão, enquanto lesões de glândula salivar associadas ao HIV e lesões papilomatosas foram relacionadas à lenta progressão para aids. Dessa forma, este estudo propõe-se analisar o efeito da terapia anti-retroviral na prevalência das manifestações bucais associadas à infecção pelo HIV em dois centros de referência no Rio de Janeiro. Foi realizado estudo epidemiológico retrospectivo dos prontuários dos pacientes HIV positivos atendidos no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho e na Clínica de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro de 1988 a 2004. Foram coletados dados relativos ao tipo e local de lesões bucais associadas ao HIV; bem como sexo; idade; escolaridade; renda familiar mensal; nível socioeconômico; via de transmissão; histórico de infecções oportunistas associadas à aids; contagem de linfócitos T CD4; carga viral; tipo de terapia anti-retroviral; tabagismo; etilismo e uso de drogas. Para cada paciente, foram consideradas como entradas no banco de dados a data do primeiro exame clínico bucal, bem como quando observada nova lesão bucal ou em caso de alteração na terapia anti-retroviral. Para análise estatística, foram utilizados os testes estatísticos Qui-Quadrado e Qui-quadrado para tendência quando necessário (p<0,05). Foram analisados 1012 prontuários, resultando em 1230 entradas no banco de dados: 920 do sexo masculino e 310 do sexo feminino. Foram diagnosticadas lesões bucais em 45% dos casos, principalmente candidíase pseudomembranosa, candidíase eritematosa e leucoplasia pilosa. A terapia antiretroviral combinada foi associada a menor prevalência de lesões bucais, em especial candidíase pseudomembranosa, queilite angular, eritema linear gengival, úlceras inespecíficas e sarcoma de Kaposi. Pacientes com menores contagens de linfócitos T CD4 apresentaram maior prevalência de lesões bucais, principalmente candidíase pseudomembranosa, candidíase eritematosa, queilite angular, eritema linear gengival e úlceras inespecíficas. Em contrapartida, indivíduos com maiores contagens de linfócitos T CD4 tiveram maior prevalência de lesões papilomatosas. Ao longo do estudo, observou-se aumento na prevalência de mulheres, bem como de indivíduos com mais de 40 anos, menos de 8 anos de escolaridade e com menor nível socioeconômico. Houve redução na prevalência total de lesões bucais no decorrer dos períodos analisados, principalmente candidíase pseudomembranosa, queilite angular e sarcoma de Kaposi. Por outro lado, houve aumento na prevalência de lesões papilomatosas e doença de glândula salivar associada ao HIV. Nossos resultados refletem os fenômenos sociais associados à infecção pelo HIV na era da terapia anti-retroviral combinada: feminização, pauperização e envelhecimento dos pacientes. A introdução da terapia anti-retroviral combinada levou à redução na prevalência de lesões bucais, principalmente aquelas associadas à imunossupressão. Os aumentos nas prevalências de lesões papilomatosas e doença de glândula salivar associada ao HIV podem ser observados na população brasileira. A alta prevalência de lesões bucais e a facilidade de realização do exame bucal sugerem ser viável utilizar esse exame como forma auxiliar e de baixo custo no monitoramento do paciente HIV positivo
metadata.dc.description.abstractother: Oral lesions are strongly associated to aids, like candidiasis, oral hairy leukoplakia and Kaposi’s sarcoma. Following the introduction of highly active antiretroviral therapy (HAART), some oral lesions showed various behaviours: Kaposi’s sarcoma and candidiasis were related to immunessupression, while HIV-associated salivary gland disease and oral warts were associated with slower progression to aids. Therefore, this study intent is to evaluate the effect of antiretroviral therapy on the oral manifestations of HIV infection in two referral centers at Rio de Janeiro. A retrospective epidemiological study was performed of the medical record of HIV-positive patients who attended Clementino Fraga Filho University Hospital and Stomatology Clinic of the Dental School of Rio de Janeiro Federal University from 1988 to 2004. Type and site of oral lesions were assessed, as well as sex; age; level of education; monthly family income; socioeconomic status; mode of transmission; defining opportunistic infections of aids ; CD4 counts; viral load; type of anti-retroviral therapy; tobacco use; alcohol and drug abuse. Noted from each medical record was the date of the first medical examination, changes in antiretroviral medications, as well as the presence of any new oral lesion. For statistical analysis, chi-square and trend chi-square tests were used whenever necessary (p<0,05). One thousand and two medical records were studied, resulting in 1230 entries in the study’s database: 920 men and 310 women. Oral lesions were diagnosed in 45% of the cases, especially pseudomembranous candidiasis, erythematous candidiasis and oral hairy leukoplakia. HAART were associated to a lower prevalence of oral lesions, especially pseudomembranous candidiasis, angular cheilitis, linear gingival erythema, NOS ulcers and Kaposi’s sarcoma. Patients with lower CD4 counts had a higher prevalence of oral lesions, mainly pseudomembranous candidiasis, erythematous candidiasis, angular cheilitis, linear gingival erythema and not otherwise specified ulcers. On the other hand, individuals with higher CD4 counts had a higher prevalence of oral warts. Throughout the study, increase in the prevalence of women was observed, as well as of individuals with more than 40 years-old, less than 8 years of education and lower socioeconomic status. A reduction in the prevalence of oral lesions was observed through the studied periods, especially pseudomembranous candidiasis, angular cheilitis and Kaposi’s sarcoma. On the other hand, there was an increase in the prevalence of oral warts and HIV-associated salivary gland disease. Our results reflect the social trend of HIV infection in the era of HAART: feminization, pauperization and elderly involvement. The introduction of HAART led to a reduction in the prevalence of oral lesions, especially those associated with immunossupression. The increases in the prevalence of oral warts and HIV-associated salivary gland diseases can be observed in a Brazilian population. The high prevalence of oral lesions and the relative simplicity of the bucal exam suggest the feasibility of using the latter as an auxiliary and low-cost form of monitoring the HIV positive patient
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11888
Appears in Collections:PPGPatol - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CESAR WERNECK NOCE DOS SANTOS DISSERTAÇAO.pdf1.06 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons