Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11986
Title: A “escuta” da comunidade: Uma abordagem cognitiva de uma política pública de inclusão digital
Other Titles: THE “LISTENING” TO SOCIETY: A COGNITIVE APPROACH TO A POLICY OF DIGITAL INCLUSION
Authors: Geraldo, Pedro Heitor Barros
Santos, Roberta Hanthequeste B. dos
Issue Date: 2017
Citation: GERALDO, Pedro Heitor Barros; SANTOS, Roberta Hanthequeste B do Santos. A “escuta” da comunidade: Uma abordagem cognitiva de uma política pública de inclusão digital. Revista Brasileira de Sociologia-RBS, v. 5, n. 10, 2018.
metadata.dc.relation.ispartof: Revista Brasileira de Sociologia-RBS, v. 5, n. 10, 2018.
Abstract: Este artigo analisa a escuta da comunidade como uma forma de exercício do poder entre gestores e os moradores no processo de implementação da Plataforma Urbana Digital da Educação (PUDE) em Niterói. A partir de uma abordagem cognitiva, descrevemos os conflitos para identificar os quadros de interpretação dos diferentes atores. A escuta é uma forma de legitimação da política pelos gestores, mas também surge como uma oportunidade para a formulação de outras demandas pelos moradores que se integram à política segundo a agenda dos gestores. O referencial de inclusão digital não orienta os moradores para a produção das demandas, nem para identificar como elas podem ser tratadas. A forma de exercício do poder entre os diferentes atores demonstra que a escuta não deixa de ser uma forma de organizar a relação de poder entre gestores e a comunidade. A escuta produz uma dupla função de selecionar a relevância das demandas pelo quadro de interpretação dos gestores, por um lado, e, por outro lado, identificar as concessões segundo uma agenda que escapa aos moradores.
metadata.dc.description.abstractother: This article analyzes how listening to society is a way of exercising power between managers and residents in Morro do Palácio in the implementation of the Urban Digital Education Platform (PUDE) in Niterói in Rio de Janeiro State. From a cognitive approach, we describe the conflicts to identify the frames of interpretation of the different actors. Listening is a way of legitimizing politics by managers, but it also emerges as an opportunity for the formulation of other demands by the residents that integrate the policy according to the managers’ agenda. The digital inclusion frame does not guide residents to produce demands, nor to identify how they can be addressed. The way of exercising power between the different actors shows that listening is still a way of organizing the power relations between managers and the community. Then, listening has a dual function of selecting the relevance of demands by the manager’s interpretation frame, on the one hand; and identify the concessions according to an agenda that escapes the residents
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/11986
Appears in Collections:NEPEAC - Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
298-161-1-PB.pdf188.83 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.