Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12081
Title: Os Pescadores da Lagoa Feia e da Lagoa de Maricá: História, Ambiente, Memória Social e Conflitos a partir dos impactos de Implementação das Políticas Públicas de Saneamento no Estado do Rio de Janeiro.
Other Titles: Fishermen of Lagoa Feia and Lagoa de Maricá: history, environment, social memory and conflicts around the implementation of public sanitation policies in Rio de Janeiro state, Brazil
Authors: Valpassos, Carlos Abraão Moura
Mello, Marco Antonio da Silva
Issue Date: 2018
Citation: VALPASSOS, Carlos Abraão Moura; MELLO, Marco Antonio da Silva. Os Pescadores da Lagoa Feia e da Lagoa de Maricá: História, Ambiente, Memória Social e Conflitos a partir dos impactos de Implementação das Políticas Públicas de Saneamento no Estado do Rio de Janeiro. ANTROPOLÍTICA: REVISTA CONTEMPORÂNEA DE ANTROPOLOGIA, v. 45, p. 124-149, 2018.
metadata.dc.relation.ispartof: ANTROPOLÍTICA: REVISTA CONTEMPORÂNEA DE ANTROPOLOGIA, v. 45, p. 124-149, 2018.
Abstract: Na primeira metade do século XX, iniciou-se no Brasil um movimento de preceitos higienistas, no qual se combinavam a medicina e a engenharia sanitária. Isso resultou na formulação de uma política pública direcionada ao saneamento do país, iniciada na década de 1930 e implementada, a partir da década de 1940, pelo Departamento Nacional de Obras de Saneamento (DNOS). A Baixada Fluminense foi uma das principais áreas de atuação dessa política que se desdobrou nas ações de dragagens, entulhamento, retificação de rios e córregos, além da abertura sistemática de canais e barras oceânicas, procedimentos esses que provocaram consideráveis impactos nos diversos ecossistemas da região, entre os quais a bacia hidrográfica da Lagoa Feia e o sistema das lagunas de Maricá. O objetivo deste artigo é evidenciar o modo como tais intervenções, no âmbito das políticas públicas do saneamento da baixada litorânea fluminense, feitas pelo DNOS, contribuíram não apenas para afetar profundamente os ecossistemas costeiros, sua gestão e manejo tradicionais, mas, além disso, e sobretudo, para desestabilizar a economia da região, com consequências para as populações dos assentamentos de pescadores, tanto na Lagoa Feia quanto na Lagoa de Maricá.
metadata.dc.description.abstractother: In the first half of the twentieth century a sanitary precepts motion began in Brazil, in which medicine and sanitary engineering were combined. This resulted in the formulation of a public policy directed to the country’s sanitation, which started in the decade of 1930 and was implemented in the 1940s, by the National Department of Sanitation Works (DNOS). Baixada Fluminense was one of the main areas of action of this policy that extended in draining activities, rubbling, redressing of rivers and streams, and the systematic opening of canals and ocean bars, procedures which caused considerable impacts in different ecosystems of the region, including the watershed of Feia Lagoon and the system of lagoons in Maricá. The purpose of this article is to show how such interventions promoted by DNOS, within public policies of sanitation of Rio de Janeiro coastal lowlands, contributed not only to profoundly affect coastal ecosystems and their traditional management and handling, but besides, and above all, to destabilize the region’s economy, with consequences for the populations of fishermen settlements both in Feia Lagoon and Maricá Lagoon.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12081
Appears in Collections:NEPEAC - Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
504-1407-1-PB.pdf1.01 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons