Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12150
Title: Ajoelhou tem que rezar
Authors: Lima, Lana Lage da Gama
Issue Date: 2011
Citation: LIMA, Lana Lage da Gama. Ajoelhou tem que rezar. Revista de História da Biblioteca Nacional, v. 69, p. 58-61, 2011.
metadata.dc.relation.ispartof: Revista de História da Biblioteca Nacional, v. 69, p. 58-61, 2011.
Abstract: Nos séculos XVII e XVIII, muitos padres aproveitavam o momento da confissão para assediar sexualmente as mulheres Não foi para fazer uma simples visita que Antonio Francisco de Barros procurou Manoel Martins de Carvalho, um representante da Inquisição portuguesana Capitania de Goiás, em outubro de 1791. Mais do que isso, ele queria denunciar o padre José Correia de Queirós ao comissário do Santo Ofício por ter "solicitado" sua filha durante a desobriga da Quaresma-nesse período, isto é, nos quarenta dias entre a quarta-feira de Cinzas e o domingo de Páscoa, todos os católicos deviam cumprir a obrigação de se confessar. "Resistindo-lhe a penitente", explicava Barros, "ele a quis violentar, com desordenado e furioso ímpeto de que resultou grande escândalo às pessoas que o presenciaram". Os dois ficaram a sós num cômodo da casa de Antonio, e, ao ouvir os gritos de Maria Francisca, as pessoas a acudiram e encontraram o confessor "atracado na moça com tão cega fúria que lhe rasgou a saia"
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12150
Appears in Collections:NEPEAC - Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ajoelhou_tem_que_rezar.pdf84.14 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons