Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12228
Title: Violência institucional em assentamentos populares no Rio de Janeiro.
Other Titles: Institutional violence in popular settlements in Rio de Janeiro City
Authors: Freire, Leticia de Luna
Mello, Marco Antonio da Silva
Simões, Soraya Silveira
Issue Date: 2016
Citation: MELLO, Marco Antonio da Silva; SIMÕES, Soraya Silveira; FREIRE, Letícia de Luna. Violência institucional em assentamentos populares do Rio de Janeiro. Terceiro Milênio: Revista Crítica de Sociologia e Política, v. 6, n. 01, p. 86-116, 2016.
metadata.dc.relation.ispartof: Terceiro Milênio: Revista Crítica de Sociologia e Política, v. 6, n. 01, p. 86-116, 2016.
Abstract: A partir de pesquisas de campo desenvolvidas em assentamentos populares do Rio de Janeiro, os autores refletem sobre a violência institucional a que grande parte dos seus habitantes está submetida em função de seu endereço na cidade. Uma vez que um endereço fala não só de uma localização no espaço físico, mas também de uma designação no espaço social, os autores, em diálogo com o trabalho de Avishai Margalit, analisam três situações etnográficas nas quais o endereço residencial — esse direito de todo e qualquer cidadão seria, ele mesmo, o lugar onde o Estado agiria violentamente, coagindo e humilhando os indivíduos, assim como o lugar de formação de sujeitos coletivos que clamam por justiça e pelo reconhecimento de seus direitos e de sua dignidade. A primeira situação refere-se a uma vila residencial situada no interior do campus universitário da Ilha do Fundão, na Zona Norte; a segunda refere-se a um conjunto habitacional situado no Leblon, na Zona Sul; e a terceira refere-se a um assentamento popular situado na Barra da Tijuca, na Zona Oeste, vizinho ao local onde foi construído o Parque Olímpico. Para além das especificidades de cada contexto, todas as situações analisadas traduzem práticas de injustiça e humilhação cometidas por agentes e instituições públicas em função de ações e representações em relação ao local de moradia dos indivíduos, deixando-os expostos à opinião pública e provisoriamente incapazes de controlar suas vidas privadas, porém não incapazes de reagir e indignar-se.
metadata.dc.description.abstractother: From field research developed in popular settlements of Rio de Janeiro, the authors reflect on the institutional violence to which many of its inhabitants are subjected due to its address in the city. Once an address not only speaks of a location in physical space, but also a name in the social space, the authors, in dialogue with the work of Avishai Margalit, analyze three ethnographic situations where the home address this right to all and any citizen – would be, himself, the place where the state would act violently coercing and humiliating individuals, as well as the place of formation of collective subjects who call for justice and recognition of their rights and their dignity. The first situation refers to a residential village located within the campus of the Fundão Island, in the north; the second refers to a housing estate located in Leblon, in the south; and the third refers to a popular settlement located in Barra da Tijuca, in the West Zone, adjacent to the place where the Olympic Park would be built. In addition to the specificities of each context, all situations analyzed translate injustice practices and humiliation committed by public officials and institutions in terms of actions and representations in relation to the place of residence of individuals, leaving them exposed to public opinion and temporarily unable to control their private lives, but not unable to react and indignant himself
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12228
Appears in Collections:NEPEAC - Artigos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
document (1).pdf516.51 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons