Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1235
Title: Educação permanente: potencialidades para a cultura da qualidade em uma instituição pública de saúde
Authors: Salles, Roseluci Santos de
metadata.dc.contributor.advisor: Corvino, Marcos Paulo Fonseca
metadata.dc.contributor.advisorco: Gouvêa, Mônica Villela
metadata.dc.contributor.members: Aguiar, Beatriz Gerbassi Costa
Daher, Donizete Vago
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Salles, Roseluci Santos de. Educação permanente: potencialidades para a cultura da qualidade em uma instituição pública de saúde. 2013. 68 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino na Saúde)- Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2013
Abstract: Os processos de Educação Permanente surgem para os serviços em geral e seus setores de treinamento ou capacitação com a necessidade da adoção da concepção pedagógica problematizadora, com o propósito de estimular a reflexão da prática e a construção do conhecimento. Nas instituições de saúde não é diferente, porquanto seus trabalhadores cotidianamente precisam também aplicar adequadamente seus conhecimentos à realidade, o que frequentemente ocorre em um cenário complexo, onde a habilidade técnica deve-se aliar à de realizar ações que assegurem a continuidade do processo de trabalho. Nesse contexto, a segurança do paciente internado em um hospital está ligada ao desenvolvimento de algumas ações preventivas, que devem estar baseadas em princípios universais e na realidade específica da unidade de saúde. O gerenciamento do uso seguro de medicamentos é uma prioridade quando se trata de minimizar riscos para o paciente. Nesse cenário, foi delimitado como objetivo principal descrever sobre uma educação permanente fundada na cultura institucional da qualidade, a partir do cotidiano de profissionais envolvidos no processo de medicação do paciente internado; como objetivos secundários: relacionar as principais questões/problemas ligadas ao processo de educação permanente; conhecer possíveis estratégias adotadas pelos profissionais envolvidos com a saúde dos pacientes internados, no enfrentamento de questões ligadas ao processo de medicação e sua efetividade e; identificar estratégias educacionais com potencial de promover a interação/discussão e a solução multiprofissional de questões e problemas ligados ao processo de medicação dos pacientes internados. Metodologia: estudo descritivo de abordagem qualitativa, desenvolvido no Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO), instituição pública de saúde, acreditada há seis anos, de referência nacional no atendimento de alta complexidade, localizado no município do Rio de Janeiro. Utilizaram-se como técnicas de coleta de dados: entrevistas em profundidade e grupo focal, em amostra intencional composta por 15 profissionais de saúde. Os dados foram tratados por análise de conteúdo conforme Bardin. Resultados: Da análise dos dados emergiram três categorias, a saber: A Educação Permanente para o compromisso; A Educação Permanente para o convívio e; A Educação Permanente para a mudança. As categorias emergidas mostraram as perspectivas do fenômeno estudado no que compete às dificuldades, ações multiprofissionais para resolução de problemas e para geração da mudança do processo de trabalho no que se relaciona ao processo de medicação do paciente internado. Conclusão: A concepção de Educação Permanente em um serviço de saúde no cumprimento de seu objetivo transformador de ações cotidianas prevê o conhecimento contínuo sobre seus trabalhadores e os aspectos que os tornam participantes do processo na construção de mudanças. A reflexão sobre educação em serviços de saúde dialoga com a que se dá sobre a qualidade da assistência em tais serviços. Assim, o desenvolvimento dos processos de trabalho de uma unidade hospitalar que prima pela qualidade na assistência prestada ao seu cliente, vai além de implementar uma metodologia de gestão que garanta a realização das tarefas conforme os padrões pré-estabelecidos em manuais, rotinas e protocolos.
metadata.dc.description.abstractother: The processes of Permanent Education for services in general and their training sectors or capacity with the need to adopt the questionable instructional design, in order to stimulate reflection on practice and knowledge construction. In health institutions is no different, because its workers daily need also appropriately apply their knowledge to reality, which often occurs in a complex scenario, where technical skill should be combined with actions to ensure continuity of the work process. In this context, the safety of the patient at hospital is linked to the development of some preventive actions, which must be based on universal principles and the specific reality of the health unit. Manage the safe use of medicines is a priority when it comes to minimizing risks to the patient. Main aim: to describe about one permanent education founded on institutional quality culture, from the everyday lives of professionals involved in medication process of the in-patient. Secondary aims: relate the main issues related to the process of education permanent; know possible strategies adopted by professionals involved with the health of hospitalized patients, in coping of issues related to the medication process and its effectiveness and; identify educational strategies with potential to promote interaction / discussion and multidisciplinary solution of issues and problems related to medication process of inpatients. Methodology: A descriptive qualitative study, developed at the National Institute of Traumatology and Orthopaedics (INTO), public health institution, accredited for six years, national reference in high-complexity care, located in the municipality of Rio de Janeiro. Were used as techniques of data collection: in-depth interviews and focus groups in intentional sample of 15 health professionals. Data were treated by content analysis according to Bardin. Results: Data analysis revealed three categories, namely: Permanent Education for commitment; Permanent Education for socializing and; Permanent Education for change. The categories that emerged showed the prospects of the studied phenomenon related to difficulties, multidisciplinary actions for problem solving and generation change in the working process as it relates to the process of inpatient medication. Conclusion: The concept of Permanent Education in a health service in fulfilling its goal of transforming everyday actions provides the continued knowledge about its employees and the aspects that make them participants in the construction process of change. The reflection about education in health services dialogues with a reflection that occurs about the quality of care in such services. Thus, the development of work processes within a hospital unit that excels in quality of care provided to your customer goes beyond implementing a management methodology that ensures the tasks according to pre-established standards in manuals, routines and protocols.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/1235
Appears in Collections:MPES - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Roseluci Santos de Salles.pdf745.15 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.