Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12450
Title: A prática emancipatória em organizações produtivas
Other Titles: The emancipatory practice in productive organizations
Authors: Denizot, Alexandre Elias Ribeiro
metadata.dc.contributor.advisor: Domingos, Maria de Lurdes Costa
metadata.dc.contributor.advisorco: Zotes, Luis Perez
metadata.dc.contributor.members: Vieira Neto, Júlio
Medina, Fernando
Nichioca, Júlio
Silva Neto, Romeu e
Issue Date: 2018
Citation: DENIZOT, Alexandre Elias Ribeiro. A prática emancipatória em organizações produtivas. 2018. 207f. Tese (Doutorado em Sistemas de Gestão Sustentáveis) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2018.
Abstract: O ambiente organizacional, desde sempre, tem sido alvo das preocupações de pesquisadores. Sua dinâmica, as práticas administrativas, a busca incessante pela maximização dos resultados a qualquer custo e o papel do trabalhador nesse processo estimula os estudiosos das organizações a buscar entendimento sobre temas como esses. Estudiosos reinvidicam modelos mais humanizados de gestão, capazes de promover a emancipação do homem no ambiente laboral, libertando o trabalhador das diversas formas de dominação e manipulação. Diante desse cenário, este trabalho se propõe a avaliar a humanização do ambiente de trabalho, viabilizada pela concretização do processo emancipatório do trabalhador, em organizações formais (foco econômico) que possuam sistemas de gestão voltados para o controle rígido do risco ocupacional. Partindo da análise de um mapa causal gerado com base no trabalho metodológico com um grupo focal envolvendo especialistas, buscando mapear as possíveis correlações existentes entre os indicadores de sustentabilidade, emancipação e gestão de risco. Apesar do aparente antagonismo de suas propostas, esta pesquisa pretende identificar formas de promoção do processo emancipatório, em um cenário voltado para o controle rígido dos comportamentos e processos operacionais, características da gestão de risco. Contribuindo para a promoção de um ambiente organizacional mais saudável e seguro, propício ao desenvolvimento das potencialidades do homem.
metadata.dc.description.abstractother: Organizational environment has always been the concern of researchers. Its dynamics, administrative practices, the incessant search for maximization of results at any cost, and the role of the worker in this process constrain the scholars of organizations to seek understanding on such subjects. Scholars claim more humanized models of management, capable of promoting the emancipation of man in the workplace, freeing the worker from various forms of domination and manipulation. Given this scenario, this paper aims to evaluate the humanization of the work environment, made possible by the emancipation process of the worker, in formal organizations (economic focus) that have management systems focused on the strict control of occupational risk. From the analysis of a causal map generated from the methodological work with a focal group involving specialists, seeking to map the possible correlations existing between the indicators of sustainability, emancipation and risk management. Despite the apparent antagonism of its proposals, this research intends to identify ways of promoting the emancipatory process, in a scenario focused on the strict control of behaviors and operational processes, characteristics of risk management. Contributing to the promotion of a healthier and safer organizational environment, conducive to the development of man's potential.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12450
Appears in Collections:MSG - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese ALEXANDRE DENIZOT.pdf2.54 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.