Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12595
Title: ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE ALFACE (Lactuca sativa var. crispa) COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE NOVA FRIBURGO – RJ E AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA AÇÃO SANITIZANTE DO HIPOCLORITO DE SÓDIO, DO VINAGRE E DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DO CAPIM-LIMÃO (Cymbopogon citratus) COMO SANITIZANTE
Authors: Aguiar, Giovanna Greco Soares Rodrigues de
metadata.dc.contributor.advisor: Falcão, Laís dos Santos
metadata.dc.contributor.advisorco: Pascoal, Vinicius D´Avila Bitencourt
metadata.dc.contributor.members: Falcão, Laís dos Santos
Dias, Aline Peçanha Muzzy
Varges, Renato Guimarães
Issue Date: 20-Dec-2019
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Aguiar, Giovanna Greco Soares Rodrigues de. ANÁLISE MICROBIOLÓGICA DE ALFACE (Lactuca sativa var. crispa) COMERCIALIZADA NO MUNICÍPIO DE NOVA FRIBURGO – RJ E AVALIAÇÃO COMPARATIVA DA AÇÃO SANITIZANTE DO HIPOCLORITO DE SÓDIO, DO VINAGRE E DO POTENCIAL ANTIMICROBIANO DO CAPIM-LIMÃO (Cymbopogon citratus) COMO SANITIZANTE. 2019. 58f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Biomedicina) - Universidade Federal Fluminense, Instituto de Saúde Nova Friburgo, 2019.
Abstract: As doenças transmitidas por alimentos (DTAs) são responsáveis por 77 milhões de enfermos e mais de 9000 mortos, anualmente, na região que compreende as Américas do Norte, Central e do Sul, segundo dados disponibilizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2015. No Brasil, os agentes etiológicos mais frequentes de DTA são as bactérias, representando 95,9% das notificações entre 2007 e 2017. As hortaliças correspondem a 2,6% dos alimentos causadores de surtos de DTA entre os anos de 2009 a 2018 (BRASIL, 2019). A alface crespa (Lactuca sativa var. crispa) é a folhosa mais consumida pelos brasileiros. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) instaurou uma norma regulamentadora, a RDC n°12, em 2001, que estabelece os padrões microbiológicos seguros para cada tipo de alimento. Para orientar a população, o Ministério da Saúde elaborou um guia explicativo sobre a preparação dos alimentos, assim como a higienização das hortaliças, com hipoclorito de sódio. Porém, muitos brasileiros utilizam o vinagre como sanitizante. Muitos estudos estão demonstrando a eficácia do óleo essencial do capim-limão (Cymbopogon citratus) como potente antibacteriano. A partir do exposto acima, os objetivos deste trabalho foram avaliar o grau de contaminação microbiológica de pés de alface comercializados em Nova Friburgo; correlacionar os resultados obtidos com os limites estabelecidos pela RDC n°12; confirmar a eficácia antibacteriana do hipoclorito de sódio, do vinagre e do capim-limão em cepas bacterianas isoladas das amostras analisadas. A análise das amostras de alface foi feito pelo método convencional, para determinar a presença de coliformes totais, termotolerantes e aeróbios mesófilos. A concentração inibitória mínima do óleo essencial do capim-limão foi feita pela técnica de microdiluição. Diante da análise realizada, não foi encontrada em nenhuma amostra, a presença de coliformes termotolerantes, porém houve positividade em 100% das amostras não higienizadas para coliformes totais e a quantidade de microrganismos aeróbios mesófilos apresentou importante alerta, a contagem total teve como média, 2,35x106 UFC/g, para as amostras que não foram higienizadas, tendo como base a referência de 106 UFC/g. A carga total bacteriana foi reduzida em 98,2% com a utilização do hipoclorito de sódio a 200 mg/L. Entretanto a higienização com vinagre, apresentou um decréscimo de apenas 23,75%. O capim-limão foi testado em cepas de Escherichia coli, Staphylococcus aureus e representantes Gram-positivos e Gram-negativos na concentração máxima de 2 mg/mL até 0,625 mg/mL, porém não apresentou eficácia antibacteriana nas amostras bacterianas. O hipoclorito de sódio continua sendo o agente sanitizante mais eficaz para ahigienização das hortaliças. Estudos complementares precisam ser realizados para investigar a eficácia do óleo essencial do capim-limão.
metadata.dc.description.abstractother: T Foodborne diseases are responsible for 77 million patients and more than 9000 deaths annually in the North, Central and South America region, according to data released by the World Health Organization (WHO) in 2015. In Brazil, the most frequent etiological agents are bacteria, representing 95.9% of the notifications between 2007 and 2017. Vegetables correspond to 2.6% of the foods that cause foodborne illness outbreaks between 2009 and 2018 (BRAZIL, 2019). Alface crespa (Lactuca sativa var. Crispa) is the most consumed hardwoods by Brazilians. The National Health Surveillance Agency (ANVISA) introduced a regulatory standard, RDC No. 12, in 2001, which establishes safe microbiological standards for each type of food. To guide the population, the Ministry of Health has prepared an explanatory guide on food preparation, as well as the cleaning of vegetables with sodium hypochlorite. However, many Brazilians use vinegar as a sanitizer. Many studies are demonstrating the effectiveness of lemongrass (Cymbopogon citratus) essential oil as a potent antibacterial. From the above, the objective of this work was to evaluate the degree of microbiological contamination of lettuce plants marketed in Nova Friburgo; correlate the results obtained with the limits established by the RDC no. 12; confirm the antibacterial efficacy of sodium hypochlorite, vinegar and lemongrass in bacterial strains isolated from the samples analyzed. Lettuce samples will be analyzed by the conventional method to determine the presence of total, thermotolerant and mesophilic aerobic coliforms. The minimum inhibitory concentration of lemon grass essential oil was made by the microdilution technique. Given the analysis performed, the presence of thermotolerant coliforms was not found in any sample, but there was positivity in 100% of the unhygienic samples for total coliforms and the amount of mesophilic aerobic microorganisms had an important alert, the total count was 2,35x106 CFU/g, for samples that were not sanitized, based on the reference of 106 CFU/g. Total bacterial load was reduced by 98,2% with the use of 200 mg/L sodium hypochlorite. However, cleaning with vinegar showed a decrease of only 23,75%. Lemongrass was tested on strains of Escherichia coli, Staphylococcus aureus and Grampositive and Gram-negative representatives at a maximum concentration of 2 mg/mL to 0.625 mg/mL, but showed no antibacterial efficacy in bacterial samples. Sodium hypochlorite remains the most effective sanitizing agent for cleaning vegetables. Further studies need to be done to investigate the effectiveness of lemongrass essential oil.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12595
Appears in Collections:CGB - Trabalhos de Conclusão de Curso - Nova Friburgo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Giovanna Greco Soares Rodrigues de Aguiar.pdfAguiarGGSR1.79 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons