Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12657
Title: Crescimento populacional, desastres e realocação de moradores de áreas de risco: uma breve análise histórica de Angra dos Reis
Authors: Almeida, Douglas Ramos de
metadata.dc.contributor.advisor: Rodrigues, André Luiz de Jesus
metadata.dc.contributor.members: Sato, Anderson Mululo
Porto, José Renato Sant'Anna
Issue Date: 2019
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Almeida, Douglas Ramos de. Crescimento Populacional, Desastres e Realocação de Moradores de Áreas de Risco: Uma breve análise histórica de Angra dos Reis. 2019. 89f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Política Públicas)-Instituto de Educação de Angra dos Reis, Universidade Federal Fluminense, 2019.
Abstract: Entre diversos problemas sociais que afligem um município brasileiro, destaca-se a questão habitacional dos moradores em áreas de risco que, em sua maioria, moram em áreas com solos frágeis e impróprios à urbanização. Moradores de áreas que não são disputadas pelo mercado imobiliário, esses grupos sociais historicamente começaram a surgir com moradias carentes de infraestrutura próximas de início a área central e posteriormente nas periferias. Com isso, no presente trabalho foi utilizada metodologia descritiva, com abordagem explicativa através de entrevista com moradores das localidades que sofreram com os desastres de 2002 e 2010 no município de Angra dos Reis. Além das entrevistas também foi utilizado procedimentos como análise documental e revisão bibliográfica. Esse estudo teve como conclusão que as construções, tantos nos morros como nas áreas planas é um reflexo não somente da herança portuguesa de uma dinâmica de espaço sem planejamento como também de uma cultura exclusivista de uma classe dominante que mudou e tomou para si os melhores espaços e a própria vocação do município. O histórico de conflitos violentos pela terra foi potencializado com a vinda de grandes empreendimentos estatais que teve no próprio Estado uma mão forte que defendeu os interesses capitalistas. A política de prevenção, portanto deve vir acompanhada de outras politicas como a de assistência ao morador que sofreu e sofre com as consequências do desastre. É um desafio implantar políticas públicas que quebre todo o paradigma construído durante todos esses anos para que o morador de área de risco possa ter paz em dias de chuvas e respeito pelo seu modo de vida. As relações sociais e de produção precisam ser modificadas visando diminuir a distinção social por classe e propriedade tendo por consequência uma sociedade com um ambiente mais justo.
metadata.dc.description.abstractother: Among several social problems that afflict a Brazilian municipality, the housing issue of the residents stands out in areas of risk that, for the most part, live in areas with fragile soils and unfit for urbanization. Residents of areas that are not disputed by the real estate market, these social groups historically began to appear with houses lacking in infrastructure, from the beginning the central area and later on the peripheries. Thus, in the present work a descriptive methodology was used, with an explanatory approach through interviews with residents of the localities that suffered from the disasters of 2002 and 2010 in the city of Angra dos Reis. In addition to the interviews, procedures such as documentary analysis and bibliographic review were also used. This study concluded that constructions, both in the hills and in the flat areas, are a reflection not only of the Portuguese heritage of a dynamics of space without planning but also of an exclusivist culture of a ruling class that has changed and taken for itself the best spaces and the municipality's own vocation. The history of violent conflicts over land was enhanced by the coming of large state enterprises that had in the state itself a strong hand that defended capitalist interests. The policy of prevention, therefore, must be accompanied by other policies such as assistance to the resident who suffered and suffers from the consequences of the disaster. It is a challenge to implement public policies that break the entire paradigm that has been built during all these years so that the tenant can have peace in rainy days and respect for their way of life. Social and production relations need to be modified in order to reduce the social distinction by class and property, resulting in a society with a fairer environment.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12657
Appears in Collections:CPO - Trabalhos de Conclusão de Curso - Angra dos Reis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC DOUGLAS PP FINAL.pdf5.55 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons