Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12664
Title: Avaliação do nível de atividade física e qualidade de vida em gestantes com diabetes mellitus e/ou hipertensão arterial sistêmica atendidas no Hospital Universitário Antônio Pedro
Authors: Lobo, Ana Mírian
metadata.dc.contributor.advisor: Lima, Giovanna Aparecida Balarini
metadata.dc.contributor.advisorco: Duarte, Luciana de Barros
metadata.dc.contributor.members: Cruz Filho, Rubens Antunes da
Soares, Debora Vieira
Mansur, Henrique Novais
Issue Date: 2019
Citation: LOBO, Ana Mírian. Avaliação do nível de atividade física e qualidade de vida em gestantes com diabetes mellitus e/ou hipertensão arterial sistêmica atendidas no Hospital Universitário Antônio Pedro. 2019. 68 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Médicas) - Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019.
Abstract: Objetivo: Avaliar o nível de atividade física e qualidade de vida (QV) em gestantes hipertensas e/ou diabéticas e correlacionar o nível de atividade física com QV, índice de massa corporal (IMC) e dados sociodemográficos. Métodos: Trata-se de um estudo transversal, envolvendo 85 gestantes com diagnóstico de diabetes mellitus (DM) e/ou Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) no primeiro trimestre gestacional, atendidas no Ambulatório do Pré-natal do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP), Niterói. As gestantes foram classificadas de acordo com as doenças crônicas, nível de atividade física, qualidade de vida e IMC. Para avaliar o nível de atividade física foi utilizado o International Physical Activity Questionnaire (IPAQ-versão 8, forma longa, semana usual). Para avaliação da QV foi utilizado World Health Quality of Life (WHOQOL-100). Peso e altura foram obtidos para cálculo do IMC. Os resultados foram apresentados através de frequência, medianas, intervalo interquatil (IIQ) e gráficos. O teste estatístico de Kruskal-Wallis foi utilizado para comparar a qualidade de vida nos diferentes subgrupos do resultado do IPAQ. A associação dos subgrupos em relação ao nível de atividade física foram analisados pelo teste Qui-quadrado. Valores de p<0,05 foram considerados estatisticamente significantes. Resultados: A doença materna mais encontrada foi hipertensão, sendo que 45,9% eram hipertensas, 34,1% das pacientes tinham DM, e 20,0% do grupo eram de pacientes diabéticas e hipertensas. O IPAQ demonstrou que 2,4% eram sedentárias, 20,0% irregularmente ativas A, 24,7% irregularmente ativas B, 37,6% ativas e 15,3% muito ativas. Das 85 gestantes, 52,9% tinham sobrepeso ou obesidade. Não houve diferença significativa na qualidade de vida de acordo com o nível de atividade física (p=0,339). Em relação aos domínios da qualidade de vida e os subgrupos do IPAQ, houve diferença significativa entre o IPAQ e o domínio V-Meio Ambiente, sendo que as gestantes irregularmente ativas A tiveram maior valor neste domínio quando comparadas às sedentárias. Conclusão: A qualidade de vida não foi diferente quanto ao nível de atividade física nos diferentes grupos de gestantes. As pacientes irregularmente ativas e com sobrepeso ou obesidade corresponderam cerca de 50% da casuística e evidencia a necessidade de intervenções que estimulem a adoção de um estilo de vida saudável
metadata.dc.description.abstractother: Objective: To evaluate the physical activity level and quality of life in a group of pregnant women with systemic arterial hypertension (SAH) and/or diabetes mellitus (DM) and to correlate the level of physical activity with quality of life, body mass index (BMI), and sociodemographic data. Methods: This was a transversal study involving 85 pregnant women diagnosed with diabetes mellitus and/or hypertension in the first trimester of pregnancy, followed at the Prenatal Clinic of the University Hospital Antonio Pedro (HUAP), Niterói. The pregnant women were classified according to pathologies, physical activity level, quality of life and BMI. The International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) was used to assess the level of physical activity and the World Health Quality of Life Questionnaire was used for quality of life. Weight and height were obtained to calculate BMI. The results are presented as frequencies and medians, interquatile intervals and graphs. The Kruskal-Wallis test was used to compare the quality of life among different subgroups of IPAQ results. The association of subgroups in relation to BMI and level of physical activity was analyzed using a Chi-square test. P values <0.05 were considered statistically significant. Results: The most common disease was hypertension, (45.9%), 34.1% of the patients had diabetes, and 20.0% of the group was diabetic and hypertensive. The IPAQ showed that 2.4% were sedentary, 20.0% irregularly active A, 24.7% irregularly active B, 37.6% active and 15.3% very active. There was no significant difference in quality of life according to physical activity level (p = 0.339). Regarding the quality of life domains and the IPAQ subgroups, there was a significant difference between the IPAQ and the V domain. The irregularly active pregnant women a had higher value when compared to the sedentary ones. Conclusion: Quality of life was not shown to be better or worse in different groups of pregnant women. Irregularly active and overweight or obese patients account for about 50% of the sample motivation a need for interventions that encourage the adoption of a healthy lifestyle.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12664
Appears in Collections:PPGCM - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO FINAL 07.01 (1).pdf1.87 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons