Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12971
Title: Caracterização da formação de biofilme e perfil de resistência das espécies staphylococcus pseudintermedius e staphylococcus schleiferi isolados de caninos
Authors: Teixeira, Izabel Mello
metadata.dc.contributor.advisor: Penna, Bruno de Araújo
metadata.dc.contributor.advisorco: Ferreira, Eliane de Oliveira
metadata.dc.contributor.members: Marval, Marcia Giambiagi de
Cerqueira, Aloysio de Mello Figueiredo
Rabello, Renata Fernandes
Issue Date: 2018
Abstract: As espécies do gênero Staphylococcus são ubíquas na natureza, podendo estar presentes como parte da microbiota de diferentes animais, bem como associadas a uma grande variedade de doenças infecciosas em seus hospedeiros. Em cães, elas são a principal causa de piodermites e otites, sendo Staphylococcus pseudintermedius a espécie mais isolada nesses casos. A emergência de Staphylococcus resistentes a fármacos em cães, como S. pseudintermedius resistentes a meticilina (MRSP), tem sido fonte de grande preocupação. A resistência, aliada à capacidade de virulência das espécies de estafilococos, é uma questão extremamente importante para a saúde animal. A formação de biofilme constitui-se como um importante fator de virulência das espécies do gênero e tem sido avaliada em espécies de origem humana. A capacidade de formação de biofilme pode estar associada a infecções crônicas e de difícil tratamento, e em estafilococos, está associada à presença do operon ica. O objetivo deste estudo foi investigar a resistência antimicrobiana e a formação de biofilme nas espécies S. pseudintermedius e S. schleiferi isoladas a partir de cães assintomáticos e com infecções tópicas. As coletas foram feitas no período de julho de 2016 a junho de 2017 nas cidades do Rio de Janeiro e Niterói. Em animais colonizados amostras foram colhidas com auxílio de swab estéril da cavidade nasal e do períneo. Em animais com piodermite foram coletadas das pústulas íntegras, e as dos animais com otite, da cavidade auricular. Os espécimes clínicos foram semeados em Ágar Manitol Salgado e incubados a 37ºC por 24h. A identificação das espécies foi realizada por espectrometria de massas do tipo MALDI-TOF MS. A formação de biofilme foi avaliada através de um ensaio espectrofotométrico quantitativo em placa de microtitulação. A avaliação do perfil de resistência foi feita através do método de discodifusão e 14 antimicrobianos foram testados, conforme as recomendações do CLSI. 15 espécies diferentes foram isoladas de cães: S. pseudintermedius, S. schleiferi, S. aureus, S. sciuri, S. epidermidis, S. haemolyticus, S. hominis, S. warneri S. cohnii, S. simulans, S. lugdunensis, S. xylosus, S. arlettae, S. nepalensis e S. saprophyticus. A mais isolada dos cães com infecções e colonizados foi S. pseudintermedius (53,2%), seguido de Staphylococcus schleiferi (25,9%). Foi observada uma diferença significativa (P=0.0467) entre as espécies mais isoladas de secreção dérmica (S. pseudintermedius) e secreção auricular (S. schleiferi). Antibióticos com as maiores taxas de resistência foram Penicilina (54,4%), Tetraciclina (39,8%) e Eritromicina (39,2%). Em amostras de S. pseudintermedius também foram Penicilina (83,3%), Tetraciclina (66,6%) e Eritromicina (62,9%). E em amostras de S. schleiferi foram Gentamicina, Tobramicina (19,5%) e Ciprofloxacina (12,2%). Foi encontrada uma porcentagem de MRS de 12,6% e de MRSP de 10,1%. A grande maioria das amostras (123/125) foi capaz de produzir biofilme sendo a maioria (81,6% ou 102/125) forte produtora de biofilme. Para a espécie S. pseudintermedius todas as amostras foram capazes de produzir biofilme: 84,5% (71/84) classificadas como fortes produtoras, 11,9% (10/84) moderadas produtoras e 3,5% (3/84) fracas produtoras. Em relação ao S. schleiferi, 75,6% (31/41) foram fortes produtoras de biofilme, 9,7% (4/41) foram moderadas produtoras de biofilme, 9,7% (4/41) fracas produtoras de biofilme e 5,0% (2/41) não foram capazes de produzir biofilme. Não foi observada diferença significativa (P=1.000) em relação à formação de biofilme entre amostras de MRSP e MSSP. Em conclusão, observou-se neste estudo um panorama das espécies isoladas de cães com infecções e colonizados, porcentagens consideráveis de resistência aos antimicrobianos, uma prevalência relevante de cepas de MRS, e que a grande maioria das amostras foi capaz de produzir biofilme, muitas de maneira forte ou moderada. Estes achados foram relevantes, principalmente quando se trata de amostras de colonização, uma vez que a espécies de estafilococos possuem potencial zoonótico.
metadata.dc.description.abstractother: Species of the genus Staphylococcus are ubiquitous in nature and may be present as part of the microbiota of different animals, as well as associated with a wide variety of infectious diseases in their hosts. In dogs, they are the main cause of pyoderma and otitis, with Staphylococcus pseudintermedius being the most isolated species in these cases. The emergence of drug-resistant Staphylococcus in dogs, such as methicillin-resistant S. pseudintermedius (MRSP), has been a source of great concern. Resistance, combined with the virulence of staphylococcus species, is an extremely important issue for animal health. Biofilm formation is an important factor of virulence of the species of the genus and has been evaluated in species of human origin. The capacity of biofilm formation may be associated with chronic infections and difficult to treat, and in staphylococci, it is associated with the presence of the ica operon. The objective of this study was to investigate the antimicrobial resistance and biofilm formation in S. pseudintermedius and S. schleiferi species isolated from asymptomatic dogs and with topical infections. Samples were collected from July 2016 to June 2017 in the cities of Rio de Janeiro and Niterói. In colonized animals samples were collected with the aid of sterile swab from the nasal cavity and perineum. In animals with pyoderma were collected from the intact pustules, and those from animals with otitis, from the auricular cavity. The clinical specimens were seeded in Salted Mannitol Agar and incubated at 37° C for 24h. The species identification was performed by MALDI-TOF MS type mass spectrometry. Biofilm formation was assessed by quantitative spectrophotometric assay on a microtiter plate. The resistance profile evaluation was done using the disc-diffusion method and 14 antimicrobials were tested, as recommended by CLSI. 15 different species were isolated from dogs: S. pseudintermedius, S. schleiferi, S. aureus, S. sciuri, S. epidermidis, S. haemolyticus, S. hominis, S. warneri S. cohnii, S. simulans, S. lugdunensis , S. xylosus, S. arlettae, S. nepalensis and S. saprophyticus. The most isolated species of dogs with infections and colonized was S. pseudintermedius (53.2%), followed by Staphylococcus schleiferi (25.9%). A significant difference (P = 0.0467) was observed among the most isolated species from dermal secretion (S. pseudintermedius) and auricular secretion (S. schleiferi). Antibiotics with the highest resistance rates were Penicillin (54.4%), Tetracycline (39.8%) and Erythromycin (39.2%). From samples of S. pseudintermedius were also Penicillin (83.3%), Tetracycline (66.6%) and Erythromycin (62.9%). And from samples of S. schleiferi were Gentamicin, Tobramycin (19.5%) and Ciprofloxacin (12.2%). A percentage of 12.6% of MRS and 10.1% of MRSP were found. The majority of the samples (123/125) were capable to produce biofilm, with the majority (81.6% or 102/125) being strong biofilm producers. For the species S. pseudintermedius all the samples were able to produce biofilm: 84.5% (71/84) classified as strong producers, 11.9% (10/84) moderate producers and 3.5% (3/84) weak producers. Regarding S. schleiferi, 75.6% (31/41) were strong biofilm producers, 9.7% (4/41) were moderate biofilm producers, 9.7% (4/41) were poor biofilm producers and 5.0% (2/41) were not able to produce biofilm. No significant difference (P = 1,000) was observed in relation to the biofilm formation between MRSP and MSSP samples. In conclusion, we observed a panorama of the isolated species of dogs with infections and colonized, considerable percentages of antimicrobial resistance, a relevant prevalence of MRS strains, and that most of the samples were able to produce biofilm, many of them in a strong or moderate manner. These findings were relevant, especially when it comes to colonization samples, since staphylococci species have zoonotic potential.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/12971
Appears in Collections:PPGMPA - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
dissertacao Izabel.pdf694.38 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons