Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13018
Title: Mulheres velhas/envelhecidas em discurso: da invisibilidade no espaço do campo rumo à Marcha das Margaridas na cidade
Authors: Paiva, Wanderléia Da Consolação
metadata.dc.contributor.advisor: Silva, Silmara Cristina Dela da
metadata.dc.contributor.members: Baalbaki, Angela Correa Ferreira
Mariani, Bethania Sampaio Correa
Garcia, Dantielli Assumpção
Sobrinho, Helson Flávio da Silva
Issue Date: 19-Feb-2020
Abstract: Este estudo está filiado ao aparato teórico-metodológico da Análise do Discurso francesa, que tem Pêcheux como fundador e visa compreender como são produzidos os efeitos de sentidos sobre as mulheres velhas/envelhecidas do campo, representantes da agricultura familiar e da agroecologia, no discurso do material “Margaridas seguem em Marcha por desenvolvimento sustentável com democracia, justiça, autonomia, igualdade e liberdade” – Caderno de Textos para Estudos e Debates: Marcha das Margaridas (CONTAG, 2015), a partir das denominações e seus enunciados sobre a velhice de forma geral e sobre a mulher velha e, ainda, pelas imagens de mulheres velhas/envelhecidas que o compõem. As questões colocadas como gestos de leitura que direcionaram as análises das materialidades verbal e imagética foram: como as diferentes denominações e imagens de mulheres velhas/envelhecidas constituem diferentes posições-sujeito no discurso? Como a interseccionalidade dos eixos gênero, sexualidade, raça, classe social e territorialidade é marcada no discurso do Caderno (CONTAG, 2015) no que se refere a essas mulheres? Como os espaços “fora da casa”, no campo e na cidade, produzem diferentes efeitos de sentidos para a constituição das mulheres velhas/envelhecidas do campo? Para a análise das denominações e dos enunciados, a partir das sequências discursivas recortadas do material, apontamos as denominações “avós” e “mães” produzindo efeitos de sentidos de ancestralidade, construção e resistência, filiadas ao discurso do Caderno (CONTAG, 2015), diferentemente das demais denominações filiadas a uma formação discursiva urbana. A partir de algumas orações, traçamos três eixos que determinaram essa condição: par jovens/idosas; mulheres lésbicas, jovens e idosas; e, beleza e juventude. Para a análise das imagens, constituímos um corpus auxiliar composto de uma capa da revista Globo Rural e cinco capas da revista Agriculturas: experiências em agroecologia, a partir de um percurso em seu arquivo virtual, que favoreceu a compreensão dos efeitos de sentidos constituídos pelo “fora da casa” no campo e nos serviu como contraponto para as análises da capa, da contracapa e das imagens do interior do Caderno (CONTAG, 2015), que constituiu o nosso corpus principal e os efeitos de sentidos do “fora da casa” na cidade. Para a análise imagética, depreendemos as marcas de efeito de uniformidade do movimento e dos dizeres das faixas, bandeiras e cartazes que nele circulam e que são seguradas pelas mãos das mulheres velhas/envelhecidas. Consideramos as mãos como traço imaginário do corpo que produzem significantes. Os enunciados das faixas, bandeiras e cartazes foram agrupados em três blocos: termos e orações prontas; denominações “mulher” e “mulheres”; e, par de oposição: violência e paz. A esse último, demos uma ênfase em função das memórias construídas de sofrimentos de mulheres de várias idades, sexualidades, raças e territórios. Para finalizar a seção, trouxemos uma fotografia de um corpo de mulher velha produzindo efeitos de sentidos de (não) equivalência dos termos “feminismo” e “agroecologia”, que se relaciona às discussões de gênero e sexualidade que fizemos pontualmente nessa pesquisa. Entendemos que, ao falar sobre a vida dessas mulheres subalternas (SPIVAK, 2010), a partir dos discursos de diferentes materiais, acreditamos ter contribuído para criar espaços que proporcionem “ouvir as suas vozes”
metadata.dc.description.abstractother: This study is affiliated to the theoretical-methodological apparatus of French Discourse Analysis, whose founder is Pêcheux. It aims to comprehend the sense meanings about rural older/ageing women, representatives of family farming and agroecology, in the discourse of the material “Daisies follow in March for the sustainable development with democracy, justice, autonomy, equality, and freedom” – Brochure of Texts for Studies and Debates: Daisies’ March” (CONTAG, 2015), based on the denominations and their enunciation about old age in a broad sense, the old woman, and, also, by the images of older/ageing women that compose it. The questions set as reading gestures directing the analysis of verbal and image materialities were: how do the different denominations and images of older/ageing women constitute different subject-positions in discourse? How does the intersectionality of gender, sexuality, social class, race and territoriality axes is marked in the Brochure discourse (CONTAG, 2015) with reference to these women? How do the different spaces “outside of the house” in the field and in the city produce different sense meanings for rural older/aged women? To analyze denominations and enunciation, based on discursive sequences taken from the material, we pointed the denominations “grandmothers” and “mothers” as producing sense meanings of ancestralism, construction and resistance, affiliated to the Brochure discourse (CONTAG, 2015). These are different from other denominations affiliated to an urban discourse formation. Starting some ones, we outline three axes determining this condition: the young/old pair; young and old lesbian women; and, beauty and youth. For the analysis of images, we constituted a supporting corpus composed of a Globo Rural magazine cover and five Agriculturas: experiências em agroecologia magazine covers, beginning a tour in their virtual archive. This enabled a comprehension of the sense meanings constituted by the “outside of the house” in the field and it served us as a counterpoint for the analyses of the cover, back cover and images inside the Brochure (CONTAG, 2015), composing our main corpus and the sense meanings of the “outside the house” in the city. For the image analysis, we surmised the marks for uniformity effect of the movement and the sayings in banners, flags and posters that are held by the hands of older/ageing women. We considered the hands as imaginary lines of the body that produce signifiers. The enunciation from the banners, flags and posters were grouped in three sets: finished terms and clauses; “woman” and “women” denominations; and, opposition pair: violence and peace. We emphasized the latter because of the memories constructed by the sufferings of women of different ages, sexualities, races, and territories. To end the section, we presented a photography of an old woman body producing sense meanings of (non) equivalence for the terms “feminism” and “agroecology”, relating to the discussions on gender and sexuality we briefly raised in this research. We understand that, when talking about the life of these subaltern (SPIVAK, 2010) women based on the discourses of different materials, we have contributed to create new spaces to “listen to their voices”
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13018
Appears in Collections:POSLING - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_WanderleiaCPaiva_VersaoFinal.pdf4.37 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.