Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13080
Title: Modulação da resposta emocional evocada pela visualização de alimentos ultraprocessados doces e salgados através das cores do semáforo nutricional: implicações para os sistemas de rotulagem frontal
Authors: Lemos, Thayane Castro Carvalho
metadata.dc.contributor.advisor: David, Isabel de Paula Antunes
metadata.dc.contributor.advisorco: Campagnoli, Rafaela Ramos
metadata.dc.contributor.members: Pereira, Mirtes Garcia
Canella, Daniela Silva
Volchan, Eliane
Issue Date: 2020
Abstract: Alimentos ultraprocessados vêm sendo associados à obesidade e outras doenças crônicas não transmissíveis, uma vez que são ricos em açúcar, gorduras, sódio e possuem aditivos químicos. Sistemas de rotulagem nutricional frontal dispostos na embalagem destes alimentos são recomendados pelos setores de saúde pública como uma estratégia de prevenção dessas doenças, sendo o semáforo nutricional um exemplo. O mesmo indica as quantidades de nutrientes chaves nos alimentos (açúcar, gorduras e sal) e o alto, médio ou baixo risco de desenvolver doenças crônicas através dos códigos de cores vermelho, âmbar e verde, respectivamente. É possível que o uso de cores em sistemas de rotulagem possa influenciar, sem que o consumidor perceba, a reatividade emocional apetitiva evocada pelos alimentos ultraprocessados, pois as cores podem influenciar a percepção do sabor através do cruzamento entre modalidades sensoriais (visão e paladar). Por exemplo, a cor vermelha pode realçar implicitamente a percepção de dulçor através dessas associações cruzadas, o que talvez possa aumentar a resposta emocional apetitiva evocada por alimentos doces. Foram realizados dois experimentos com o objetivo de avaliar se as cores do semáforo nutricional poderiam modular a reatividade emocional evocada por imagens de alimentos ultraprocessados doces e salgados. Em ambos, as cores do semáforo foram associadas de forma prévia com possíveis riscos em desenvolver doenças crônicasao consumir esses alimentos (verde = baixo risco; âmbar = médio risco e vermelho = alto risco). No experimento I (n = 78; 65 mulheres), foi aplicada uma escala psicométrica (Self-Assessment Manikin, SAM) para avaliar as respostas emocionais relacionadas às imagens de alimentos ultraprocessados quando associadas com cada uma das cores do semáforo nutricional. No experimento II (n= 24; 18 mulheres), foram registradas as atividades eletrocorticais dos participantes enquanto visualizavam as imagens, para obtenção da negatividade posterior precoce, um índice cerebral de respostas emocionais. Em ambos os experimentos, apenas a cor vermelha promoveu um aumento nãointencional da reatividade emocional apetitiva eliciada por alimentos doces (versus alimentos salgados), possivelmente através de uma associação implícita cruzada intermodalidade nos alimentosdesse sabor. A cor verde mostrou-se como um potencial fator de confusão, uma vez que os alimentos insalubres associados à mesma foram classificados como mais saudáveis. Designers, pesquisadores e agências reguladoras devem considerar associações implícitas cruzadas intermodalidades sensoriais ao desenvolver, testar e aplicar sistemas de rotulagem nutricional frontal.
metadata.dc.description.abstractother: Ultra-processed foods have been linked to obesity and other non-communicable chronic diseases as they are high in sugar, fats, sodium and have chemical additives. Front-of-pack nutrition labeling systems are recommended by public health sectors as a strategy to prevent these diseases, with nutritional traffic light being an example. It indicates the amounts of key nutrients (sugar, fats and salt) and the high, medium or low risk of developing diseases through the color codes red, amber and green, respectively. However, it is possible that the use of colors in front-of-pack labels may affect the appetitive emotional responses evoked by ultra-processed foods, without consumer awareness. Colors influence taste perception through cross-modal associations between vision and taste. For instance, the color red promotes an increase in sweetness perception, which may also implicitly enhance the appetitive emotional response evoked by sweet foods. Two experiments were conducted to evaluate whether color codes from the traffic-light system would modulate the emotional reactivity evoked by sweet and salty ultra-processed products` images. In both experiments, the colors were previously associated with risks in developing chronic diseases (green = low risk; amber = medium risk; red = high risk). In experiment I (n= 78; 65 women), a psychometric scale (Self-Assessment Manikin, SAM) was applied to evaluate the emotional responses related to the ultra-processed food images when paired with each color ofthe traffic-light system. In experiment II (n= 24, 18 women), the participants' electrocortical activities were recorded to assess the early posterior negativity, a cerebral index of emotional responses. In both experiments, only the red color promoted an unintended increase of the appetitive emotional responses evoked by sweet products (versus salty products), possibly through implicit cross-modal associations in sweet products. The green color may confound the consumer, since unhealthy products were classified as healthier when paired with green. Designers, researchers, and policy makers may consider colortaste cross-modal associations when designing, testing, and applying front-of-pack labels.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13080
Appears in Collections:PPGFF - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação-Final-Mestrado_ThayaneCastroCarvalhoLemos.pdf9.82 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons