Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13156
Title: Hierarquias sociais na câmara municipal em Rio Pardo (Minas Gerais, 1833-1872)
Authors: Chaves, Edneila Rodrigues
metadata.dc.contributor.advisor: Piñeiro, Théo Lobarinhas
metadata.dc.contributor.members: Saraiva, Luiz Fernando
Guimarães, Carlos Gabriel
Prado, Maria Emilia
Carrara, Angelo Alves
Issue Date: 2012
Abstract: O tema desta tese é a organização de grupos sociais e suas frações em torno do poder local no Brasil do século XIX. O estudo tem como referência a sociedade de Rio Pardo na província de Minas Gerais. Sustenta-se que a sociedade local do Império do Brasil tinha sua dinâmica baseada em hierarquias, que fundamentavam os poderes econômico, social e político. As relações sociais hierarquizadas estavam condensadas na câmara municipal, onde o segmento mais rico de representatividade mais expressiva reiterava sua dominação social. Baseando-se no quadro geral do sistema monárquico, demonstra-se que a regulamentação das câmaras municipais uniformizou sua organização e promoveu duas alterações substanciais. Seu caráter eletivo tornou-se mais abrangente e sua autonomia no exercício de suas atribuições foi reduzida, consoante a doutrina da tutela sobre as câmaras. A sociedade de Rio Pardo é tomada como referência para o estudo da dinâmica das relações sociais hierarquizadas, cuja correlação de forças se expressava na câmara municipal. Essa sociedade se conformou no processo de expansão demográfica da fronteira da agricultura de subsistência, constituinte do processo mais amplo do sistema agrário no Brasil. Seu sistema de produção local, de base agrária, estava fundado em relações de produção não capitalistas com regime de trabalho livre e escravo. A configuração da hierarquização é demonstrada mediante a classificação de três grupos sociais, com parâmetro na distribuição da riqueza. Verifica-se um pequeno grupo constituído de indivíduos mais ricos, um grupo intermediário, de indivíduos com riqueza de nível médio, e um grupo bastante alargado, de indivíduos mais pobres. Conclui-se que as hierarquias locais eram a base de sustentação do poder econômico social e político de um grupo restrito, que usufruiu a riqueza e as relações parentais para sua reafirmação social. Na câmara municipal residia a correlação de forças sociais, configurando-se como locus de poder predominantemente do segmento de maior proeminência econômica e social, que reiterou sua dominação e exerceu uma direção sobre a sociedade.
metadata.dc.description.abstractother: This paper focuses on the structuring of social groups and their subdivisions around local power bases in 19th century Brazil based on a study of the city of Rio Pardo in the province of Minas Gerais. The paper takes the position that local communities in Brazil’s imperial period were organized in hierarchies that formed the economic, social and political power base. These hierarchically-defined social relations were particularly evident within city councils, where the richest sections of the ruling class reaffirmed their social dominance. An analysis of the wider monarchical system revealed that the regulamentation of city councils had the effect of standardizing their structure, bringing two significant changes: their electoral representativity was broadened and their autonomy to perform their duties reduced in accordance with the doctrine of trusteeship over city councils. The community of Rio Pardo serves as a reference for the study of the dynamics of hierarchically-defined social relations, the strength of which was most evident within city councils. This community was established during the process of demographic expansion of the frontier of subsistence farming, which was a constituent part of Brazil’s wider agricultural development. Its local system of agricultural production was built on non-capitalist relations involving indentureship and slavery. The hierarchical structure can be seen in the distinction between three social groups based on the distribution of wealth. There is a small group composed of wealthier individuals, an intermediary group of reasonably affluent citizens and a very large group of poorer people. The conclusion is that local hierarchies formed the basis for maintaining the economic, social and political power of a very restricted group, which made use of its wealth and family relations to reaffirm its social status. There was a correlation of social forces within the city council, which became the locus of power for the most prominent socioeconomic section of society, reinforcing its dominance and giving it a directing role over the community.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13156
Appears in Collections:PPGH - Teses - Niterói



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons