Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13877
Title: (Re)pensando o arquivo a partir da noção de dispositivo: um estudo epistemológico
Authors: Lacerda, Thays
metadata.dc.contributor.advisor: Freitas, Lídia Silva de
metadata.dc.contributor.advisorco: Cavalcanti, Marcia
metadata.dc.contributor.members: Assis, João Marcus Figueiredo
Pimenta, Ricardo Medeiros
Heymann, Luciana Quillet
Cabral, Jacqueline Ribeiro
Souza, Elisabete Gonçalves de
Issue Date: 2019
Citation: LACERDA, Thays. (Re)pensando o arquivo a partir da noção de dispositivo: um estudo epistemológico. 177 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Niterói, 2019.
Abstract: Pesquisa teórica-conceitual com objetivo de promover a reflexão do arquivo inserido em um conjunto de práticas sociais, como um elemento essencial nos jogos de poder contemporâneos, assim como oferecer instrumentos teóricos que permitam a seguinte pergunta: em que ponto das relações ordenadas pelo Dispositivo de Arquivo, em um determinado tempo, encontramos o arquivo? Almejou contribuir para um estudo teórico dos arquivos que considere suas práticas, seus efeitos e os modos de acreditação a eles articulados, incluindo o esforço para dar visibilidade às suas operações, na busca pela desnaturalização de seus movimentos, sejam aqueles que o constituem ou aqueles por ele constituído. Adotou, como constructo teórico, as obras de Michel Foucault para o reposicionamento dos arquivos nos campos sociais, políticos e culturais, apropriando-se da noção de Dispositivo. A pesquisa propôs uma nova categoria de Dispositivo – o Dispositivo de Arquivo – que fornecesse um outro aparato teórico que pudesse colaborar na discussão sobre o lugar dos arquivos. Estabeleceu, como hipótese, que a existência dos arquivos é condicionada pelas dinâmicas ordenadas pelo que chamou de Dispositivo de Arquivo que confere institucionalidade, legitimidade e autoridade ao arquivo, além de sua própria existência. Considerou também a relação entre arquivo e memória, destacando que a memória é um dos funcionamentos do arquivo e não o arquivo em si, buscando, assim, estabelecer novas relações entre arquivo e memória a partir da emergência dos discursos memorialísticos pós anos 1980, destacando o lugar do arquivo como um elemento essencial na construção das narrativas sobre o passado formalizado. Apontou que o arquivo age no tempo – manipulador do tempo histórico – a partir de seus poderes institucional, legitimador e arcôntico que lhe foram conferidos pelos jogos de poder e relações de força arranjados no Dispositivo de Arquivo. Como pesquisa teórico-epistemológica, sumamente bibliográfica, a opção metodológica foi a análise da literatura de áreas como a Arquivologia, a História, a Filosofia e a Ciência da Informação.
metadata.dc.description.abstractother: Theoretical-conceptual research aiming to promote the reflection that locates the archive in a set of social practices, as an essential element in contemporary power games, as well as to offer theoretical instruments that allow the following question: at what point of the relations ordered by the Archival Dispositive, at a certain time, do we find the archive? It aimed to contribute to a theoretical study of the archives that considers their practices, their effects and the modes of accreditation articulated to them, including the effort to give visibility to their operations, in the search for denaturalization of their movements, whether those that constitute it or those constituted by him. It adopted, as theoretical construct, the works of Michel Foucault for the repositioning of archives in the social, political and cultural fields, appropriating the notion of Dispositive. The research proposed a new Dispositive category - the Archival Dispositive - that would provide another theoretical apparatus wich could collaborate in the discussion of the location of archives. It established, as a hypothesis, that the existence of archives is conditioned by the dynamics ordered by what it called the Archival Dispositive that confers the archive's institutionality, legitimacy and authority, as well as its very existence. It analyzed the place of the archive in the Archival Dispositive arrangement, highlighting the multiple relationships of the archives with several other discursive and non-discursive elements, from the power games and the strength correlations that make up the Archive Dispositive, pointing out that the analysis of this archive’s place allow reconsider their features of naturalness, impartiality and neutrality. It also considered the relationship between Archive and memory, noting that memory is one of the archive's functions and not the archive itself. It sought to establish new relationships between archive and memory from the emergence of post-1980s memorialistic discourses, highlighting the place of archive as an essential element in the construction of narratives about the formalized past. It pointed out that the archive acts in time - manipulator of historical time - from its institutional, legitimizing and arcôntico powers conferred to it by the power games and power relations arranged in the Archival Dispositive. As a theoretical and epistemological research, highly bibliographic, the methodological option was the analysis of the literature of areas such as Archivology, History, Philosophy and Information Science.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13877
Appears in Collections:PPGCI - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Thays lacerda_Tese_2019.pdf1.48 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.