Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13902
Title: Molduras normativas e integridade da pesquisa em contexto de colaboração científica internacional: uma perspectiva informacional
Authors: Jesus, Elizabeth Maria Freire de
metadata.dc.contributor.advisor: Gonzalez de Gomez., Maria Nélida
metadata.dc.contributor.members: Vasconcelos, Sonia Maria Ramos de
Guimarães, Maria Cristina Soares
Fonseca, Vitor Manoel Marques da
Mota, Fabio Reis
Issue Date: 2020
Citation: JESUS, Elizabeth Maria Freire de. Molduras normativas e integridade da pesquisa em contexto de colaboração científica internacional: uma perspectiva informacional. Niterói, 2019.313 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói. Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Niterói, 2019.
Abstract: Em um cenário de crescente internacionalização da ciência e da pesquisa, no qual as colaborações científicas internacionais representam uma expressiva realização dessa internacionalização, os atores envolvidos nesse tipo de empreendimento muito provavelmente precisam lidar com uma pluralidade normativa e possíveis diferenças e/ou variações normativas em torno de questões que potencialmente afetam a integridade da pesquisa, as quais precisam ser conhecidas e negociadas, a fim de se estabelecer um horizonte mínimo normativo que sustente a realização dos compromissos e responsabilidades assumidos. Sublinhamos o papel dos recursos informacionais e das dinâmicas infocomunicacionais como sendo fundamentalmente necessários para viabilizar e/ou facilitar a visibilidade normativa, de forma a sustentar os processos de negociação e de construção de acordos. A relevância e a atualidade da integridade da pesquisa como tema de pesquisa podem ser constatadas pelo acervo de estudos relacionados ao tema. No entanto, identifica-se uma lacuna de estudos abordando as inter-relações das dimensões normativa e informacional, e a questão da integridade da pesquisa, colocadas em um quadro mais amplo de internacionalização da pesquisa. A pergunta que norteia essa pesquisa é: em que medida a dimensão infocomunicacional tem sido considerada em contextos de colaboração científica internacional, no sentido de viabilizar ou facilitar a negociação e a construção de acordos em torno de questões com efeitos sobre a integridade na pesquisa? O campo empírico é constituído por projetos colaborativos internacionais financiados pelo Programa Horizonte 2020, em que pelo menos uma instituição brasileira se encontra envolvida. Foi enviado um questionário online semiestruturado para 248 participantes dos projetos H2020, dos quais 48 responderam. Também foram realizadas entrevistas com 3 pesquisadores brasileiros. Na análise dos dados foi utilizado a análise de conteúdo. Os resultados mostram que entre 27% e 38% dos respondentes não sabem se suas respectivas instituições têm normas e/ou regras estabelecidas para questões como fabricação, falsificação, plágio, etc. 60% deste grupo indicaram que os recursos mais utilizados para a comunicação de normas e/ou regras são os eventos, tais como reuniões, seminários, cursos etc. Entre 50% e 71%, indicaram que não sabiam da existência de diferenças e/ou variações normativas no âmbito do projeto H2020 do qual participam, envolvendo questões como propriedade intelectual, proteção de dados pessoais etc., sendo o e-mail, seguido de documentos formalizados, os recursos infocomunicacionais mais utilizados. Os resultados, em seu conjunto, sugerem que a invisibilidade normativa no contexto de programas internacionais colaborativos de pesquisa estudado, deve-se aos processos infocomunicacionais e ao modo como neles se insere o conhecimento, a interpretação e o compartilhamento das normas, em todas suas dimensões: funcionalidade, obrigatoriedade, sanção e custo. Sustentamos a tese de que ações de transparência informacional e comunicativa constituem uma dimensão necessária para a consolidação dos compromissos e responsabilidades assumidos e para a inserção proativa dos atores nos processos de negociação e construção de acordos normativos, e, sobretudo, nos processos de internacionalização colaborativa da pesquisa.
metadata.dc.description.abstractother: In a scenario of increasing internationalization of science and research, in which international scientific collaborations represent a significant realization of this internationalization, the actors involved in this type of enterprise most likely need to deal with normative plurality and possible normative differences and / or variations around it. issues that potentially affect the research integrity, which need to be known and negotiated, in order to establish a minimum normative horizon that supports the fulfillment of the commitments and responsibilities assumed. We underline the role of information resources and infocommunicational dynamics as being fundamentally necessary to enable and / or facilitate normative visibility, in order to sustain the negotiation and agreement building processes. The relevance and timeliness of research integrity as a research theme can be seen from the body of studies related to the theme. However, a gap of studies is identified addressing the interrelationships of the normative and informational dimensions, and the question of research integrity, placed in a broader framework of research internationalization. The question that guides this research is: to what extent has the infocommunicational dimension been considered in contexts of international scientific collaboration, in order to enable or facilitate negotiation and agreement building around issues with effects on research integrity? The empirical field consists of international collaborative projects funded by the Horizon 2020 Programme, in which at least one Brazilian institution is involved. A semi-structured online questionnaire was sent to 248 participants of the H2020 projects, of which 48 answered. Interviews were also conducted with 3 Brazilian researchers. In the data analysis were used content analysis. Results show that between 27% and 38% of respondents do not know if their respective institutions have established norms and / or rules for issues such as fabrication, counterfeiting, plagiarism, etc. 60% of this group indicated that the most commonly used resources for communicating norms and / or rules are events such as meetings, seminars, courses etc. Between 50% and 71% of respondents indicated that they did not know of the existence of differences and / or regulatory variations within the scope of the H2020 project in which they participate, involving issues such as intellectual property, protection of personal data etc., being the email, followed by formalized documents, the most used infocommunication resources. The results, as a whole, suggest that normative invisibility, in the context of collaborative international research programs studied is due to the infocommunicational processes and the way in which knowledge, interpretation and sharing of norms are inserted in all its dimensions. : functionality, obligation, sanction and cost. We support the thesis that informational and communicative transparency actions constitute a necessary dimension for the consolidation of the commitments and responsibilities assumed and for the proactive insertion of the actors in the negotiation processes and construction of normative agreements, and, above all, in the collaborative internationalization processes of the search.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/13902
Appears in Collections:PPGCI - Teses e Dissertações



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.