Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14637
Title: A modificação de grau não-canônica em inglês: o caso de very
Authors: Vieira, Marcus Vinicius Ramos
metadata.dc.contributor.advisor: Mendes, Luciana Sanchez
metadata.dc.contributor.members: Gomes, Ana Paula Quadros
Areas, Eduardo Kenedy Nunes
Issue Date: 2020
Abstract: Esta pesquisa tem por objetivo descrever e explicar o significado de very modificador de graus de sintagmas nominais complexos em inglês. Esse estudo assume que esse tipo de modificação pode ser considerado não-canônico nessa língua, já que o very é tratado na literatura especializada como modificador típico de sintagmas adjetivais cujos núcleos sejam adjetivos que compõem escalas abertas (ex. very expensive ‘muito caro’), segundo estudo de Kennedy e McNally (2005). Nesse caso, o very apresenta significado similar ao muito do português. Entretanto, na análise dos dados em que os elementos modificados são sintagmas nominais complexos, o significado proveniente não é capturado pela mesma noção expressa por muito (ex. the very book I bought yesterday ‘o mesmo livro que comprei ontem’). A pesquisa adota os pressupostos teóricos da Semântica Formal com base em estudos desenvolvidos por Kennedy e McNally (2005) sobre predicados graduáveis e não graduáveis, evocando a noção de estrutura escalar. Para tanto, nossa metodologia tem como base a coleta de sentenças da língua inglesa para a composição de corpora, como sentenças do British National Corpus (BNC); sentenças coletadas de alguns romances da Inglaterra e dos Estados Unidos, publicados nos séculos XIX e XX e coleta de dados elicitados com a participação de um consultor nativo da língua inglesa. É feita, portanto, uma análise qualitativa dessas sentenças para explicação do fenômeno linguístico investigado. Os resultados parecem indicar que todos os usos não-canônicos de very envolvem uma noção pragmática de precisão com interpretação exaustiva
metadata.dc.description.abstractother: The aim of this research is to describe and explain the meaning of very as a degree modifier of complex noun phrases in English. The present study assumes that this type of modification can be considered non-canonical in this language, based on the fact that the specialized literature approaches very as a typical modifier of adjective phrases in which the heads are adjectives which compose open scales (e.g. very expensive ‘muito caro’), according to Kennedy and McNally (2005). In this case, the meaning of very seems to be similar to muito in Portuguese. However, the analysis of data containing the modification of complex noun phrases by very is not captured by the same notion expressed by muito (e.g. the very book I bought yesterday ‘o mesmo livro que comprei ontem’). This research makes use of the theoretical background of Formal Semantics based on studies carried out by Kennedy and McNally (2005) about gradable and non-gradable predicates, evoking the notion of scalar structure. To this, our methodology is based on the collection of sentences in order to compose our corpora, such as the sentences collected from The British National Corpus (BNC); the sentences collected from some novels published in England and in the United States of America in the 19th and 20th centuries and the sentences collected through controlled elicitation with the participation of a native English speaker as a consultant. Therefore, we analyze these sentences qualitatively in order to explain the investigated linguistic phenomenon. The results seem to indicate that all the non-canonical uses of very involve a pragmatic notion of precision with exhaustive interpretation
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14637
Appears in Collections:POSLING - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DissertaçãoMestrado-MarcusViniciusRamosVieira.pdf3.04 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.