Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14737
Title: O esporte como via de ruptura do fatalismo: conscientização e empoderamento
Authors: Pontes, Isabelle França
metadata.dc.contributor.advisor: Oberg, Lurdes Perez
metadata.dc.contributor.members: Oberg, Lurdes Perez
Coutinho, Sabrine Mantuan dos Santos
Issue Date: 2018
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: PONTES, Isabelle França. O esporte como via de ruptura do fatalismo: conscientização e empoderamento. 2018. 30 f. Trabalho final de curso (Bacharelado em Psicologia) - Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional, Campos dos Goytacazes, 2018.
Abstract: O presente artigo discute o esporte como ferramenta de transformação social, podendo romper com o fatalismo imposto socialmente nas maiorias populares. Consideramos o esporte para além do aspecto recreativo e do alto rendimento e apostamos no seu papel social, favorecendo o empoderamento e a consciência de classe. É com o referencial teórico da psicologia social comunitária, através do estudo do fatalismo de Martín-Baró que abordaremos esse artigo. A partir de uma metodologia qualitativa, realizamos observação participante em algumas Vilas Olímpicas do município de Campos dos Goytacazes e fizemos entrevistas semiestruturadas com profissionais que atuam diretamente no esporte, trabalhando com crianças e jovens. Entendemos que o esporte não é o único salvador frente às desigualdades sociais, porém percebemos nele ações que possam romper com os estigmas sociais e com o fatalismo. Com a presente pesquisa percebemos a importância do esporte na sociedade, como ferramenta educacional, gerando autonomia e possibilidade de construir pensamento crítico. Compreendemos que o esporte sozinho não é suficiente, são necessários investimentos tanto nele quanto na saúde, na educação, no lazer e outros aspectos. Por fim, apostamos no coletivo para que as mudanças ocorram, pensando no esporte como transformação de um destino percebido como traçado.
metadata.dc.description.abstractother: The present paper discusses the sport as a tool for social transformation and can break with the fatalism socially imposed in popular majorities. We consider the sport beyond the recreational aspect and high yield and be to on their social role, promoting the empowerment and class consciousness. It is with the theoretical framework of Community social psychology, by Martín-Baró of fatalism os the study that will cover this article. From a qualitative methodology, we conducted participant observation in some Olympic Villages in the city of Campos dos Goytacazes and made semi-structured interviews with professionals who act directly in the sport, working with children and youngers [i.e.: teenagers]. We understand that the sport is not the only savior in the face of social inequalities, but realized it actions that can break the social stigma and fatalism. With this research we realized the importance of sports in the Society, as an educational tool, generating autonomy and ability to build a critical thought. We understand that sport alone is not enough, investments are needed both in him and in health, education, leisure and other aspects. Finally, we bet on the collective for the changes to occur, thinking of sport as a transformation of a target perceived as stroke.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/14737
Appears in Collections:CPG - Trabalhos de Conclusão de Curso - Campos dos Goytacazes

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Art Isabelle F Pontes.pdf283.95 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons