Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/15808
Title: Revisão sistemática e avaliação da eficiência de diferentes métodos empregados para pesquisa de parasitos em hortaliças
Authors: Luquez, Matheus Santos
metadata.dc.contributor.advisor: Mattos, Danuza Pinheiro Bastos Garcia de
metadata.dc.contributor.advisorco: Millar, Patrícia Riddell
metadata.dc.contributor.members: Souza, Daniela Leles de
Fortuna, Jorge Luis
Bastos, Otilio Machado Pereira
Issue Date: 2020
Abstract: Diversas parasitoses podem ser transmitidas por alimentos, desencadeando em alguns casos agravos à saúde. Tal transmissão está associada principalmente à problemas na qualidade higiênico-sanitária de água e alimentos. Há muitos relatos sobre contaminações por estruturas biológicas de helmintos e protozoários em hortaliças comestíveis comercializadas em diversos países, sendo muito comum o encontro de trabalhos analisando hortaliças por técnicas empregadas para material fecal, sem adaptação ou avaliação da sua eficiência. Em função desses fatos, o estudo aqui proposto busca um maior conhecimento sobre o diagnóstico de contaminantes parasitários em hortaliças, tendo como objetivos realizar uma revisão sistemática parasitólogica no Brasil e avaliar experimentalmente diferentes metodologias aplicadas na pesquisa parasitológica nestas hortaliças. A revisão foi realizada nas bases de dados: SciElo, PubMed, Web of Science, ScienceDirect, SpringerLink, LILACS e Google Scholar, com ponte de corte de 1999 a 2019 e a parte experimental foi dividida em três ensaios distintos, para avaliação das condições metodológicas relacionadas as etapas de lavagem, filtração, sedimentação espontânea para concentração da amostra e técnicas parasitológicas para detecção. Primeiro ensaio: contaminação experimental contendo 50-55 ovos de Toxocara sp., em salsa e hortelã, com dez amostras para cada hortaliça e avaliação da taxa de recuperação por centrífugo-sedimentação, avaliando quantitativamente. Segundo ensaio: contaminação experimental com cistos de Giardia duodenalis, em salsa com diferentes inóculos, foram divididos em três grupos distintos, grupo A = 1,0 x 10² cistos; grupo B = 1,5 x 10² cistos; grupo C= 2,5 x 10² cistos; com dez amostras controles negativo em cada grupo, avaliação qualitativa/quantitativa por centrífugo-sedimentação, avaliados na microscopia e por método imunoenzimático (ELISA; Kit MEDIVAX). Terceiro ensaio: contaminação experimental contendo 1,6 x 10² cistos de G. duodenalis em salsa, com dez amostras e avaliação qualitativa/quantitativa por centrífugo-sedimentação seguida de centrífugo-flutuação, avalidos na microscopia. Quanto à revisão sistemática, foram encontrados 92 artigos, alface foi a hortaliça mais estudada com 92,39%; técnica parasitológica de sedimentação espontânea foi a mais empregada com 51,08%, 23,91% dos resultados relatados em acordo com as metodologias empregadas; 9,78% citaram referências para identificação morfológica do parasito; 80,43% consideraram a possibilidade de estruturas ambientais e/ou de vida livre e 75% descreveram os estágios evolutivos dos parasitos encontrados. Quanto a parte experimental, primeiro ensaio: a média de recuperação de ovos em salsa foi de 59,32% e em hortelã foi de 60,31%; segundo ensaio: grupo A: 70%, grupo B: 90% e grupo C: 100% de detecção, usando centrífugo-sedimentação; no teste ELISA, 50%, 70% e 100% de detecção nos grupos A, B e C, respectivamente; terceiro ensaio: 100% de detecção, usando a centrífugo-sedimentação e 2,0% de detecção utilizando centrífugo-flutuação. A revisão sistemática confirmou que faltam estudos parasitológicos que validem técnicas aplicadas e pertinentes em hortaliças, o que gerou algumas inconsistências nos resultados avaliados. Na parte experimental, concluimos que a metodologia mais promissora foi a combinação de técnicas de sedimentação espontânea associada com a centrífugo-sedimentação para detecção de estruturas parasitárias, como ovos de Toxocara sp. em salsa e hortelã e no inóculo de 2,5 x 10² cistos de G. duodenalis em salsa, com o uso de microscopia associada ao ensaio imunoenzimático (ELISA), para o diagnóstico de G. duodenalis em salsa.
metadata.dc.description.abstractother: Several parasites can be transmitted by food, triggering in some cases health grievances. Their transmission is mainly associated with in the bad hygienic-sanitary quality of water and food. There are many reports on the contamination by biological structures of helminths and protozoa in edible vegetables marketed in several countries, and it is very common to find studies analyzing vegetables by techniques used for fecal material, without adaptation or evaluation of their efficiency. As a result, the study proposed here seeks greater knowledge on the diagnosis of parasitic contaminants in vegetables, with the objective of conducting a systematic parasitological review in Brazil and experimentally evaluating different methodologies applied in parasitological research in these vegetables. The review was in the databases: SciElo, PubMed, Web of Science, ScienceDirect, SpringerLink, LILACS and Google Scholar, with a cut-off point from 1999 to 2019 and the experimental part was divided into three distinct assays, to evaluate the methodological conditions related to washing, filtration, spontaneous sedimentation for sample concentration and parasitological techniques for detection. First assay: experimental contamination containing 50-55 eggs of Toxocara sp., in parsley and mint, with ten samples for each vegetable and evaluation of the recovery rate by centrifugal-sedimentation, evaluating quantitatively. Second assay: experimental contamination with Giardia duodenalis cysts, in parsley with different inocula, were divided into three distinct groups, group A = 1.0 x 10² cysts; group B = 1.5 x 10² cysts; group C = 2.5 x 10² cysts; with ten negative control samples in each group, qualitative / quantitative evaluation by centrifugal-sedimentation, evaluated under microscopy and by immunoenzymatic method (ELISA; MEDIVAX Kit). Third assay: experimental contamination containing 1.6 x 10² G. duodenalis cysts in parsley, with ten samples and qualitative / quantitative evaluation by centrifugal-sedimentation followed by centrifugal-flotation, assessed under microscopy. As for the systematic review, 92 articles were found, lettuce was the most studied vegetable with 92.39%; spontaneous sedimentation technique was the most used method with 51.08%, 23.91% of the results reported according to the methodologies used; 9.78% cited references for morphological identification of the parasite; 80.43% considered the possibility of environmental structures and / or free living and 75% described the evolutionary stages of the parasites found. As for the experimental part, first trial: the average recovery of eggs in parsley was 59.32% and in mint was 60.31%; second test: group A: 70%, group B: 90% and group C: 100% detection, using centrifugal sedimentation; in the ELISA test, 50%, 70% and 100% detection in groups A, B and C, respectively; third test: 100% detection using centrifuge-sedimentation and 2.0% detection using centrifuge-flotation. The systematic review confirmed that there is a lack of parasitological studies that validate applied and pertinent techniques in vegetables, which generated some inconsistencies in the evaluated results. In the experimental part, we concluded that the most promising methodology was the combination of spontaneous sedimentation techniques associated with centrifugal sedimentation to detect parasitic structures, such as Toxocara sp., in parsley and mint and in the inoculum of 2.5 x 10² cysts of G. duodenalis in parsley, with the use of microscopy associated to the immunoenzymatic assay (ELISA), for the diagnosis of G. duodenalis in parsley.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/15808
Appears in Collections:PPGMPA - Dissertações - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
2020 - Matheus Santos Luquez.pdf1.15 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons