Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16105
Title: Educação ambiental: a Física em defesa do meio ambiente
Authors: Machado, André Luis de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor: Anjos, Roberto Meigikos dos
metadata.dc.contributor.advisorco: Almeida, Lucia da Cruz de
metadata.dc.contributor.members: Anjos, Roberto Meigikos dos
Almeida, Lucia da Cruz de
Ponciano, Beatriz Maria Boechat
Souza, Reinaldo Faria de Melo e
Cardoso, Renan Pereira
Issue Date: 2019
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Machado, André Luis de Oliveira. Educação ambiental: a Física em defesa do meio ambiente. 2019. 51f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Física) - Instituto de Física, Universidade Federal Fluminense, 2019.
Abstract: Vivemos no Brasil um momento de profundo ataque ao meio ambiente. Assuntos que pensávamos entendidos e superados, a respeito do desmatamento e aquecimento global, voltam com força às discussões, mesmo com todas as evidências e estudos apontando para seriedade e necessidade de intervenção nos problemas ambientais. Na segunda metade do século XX, após o acidente no reator nuclear de Chernobyl e após grandes capitais do mundo apresentarem os sintomas das mudanças climáticas, como o fenômeno smog, cresceu uma corrente mundial em defesa do meio ambiente, com acordos internacionais, que colocam em conflito os países desenvolvidos, contra os em desenvolvimento. No Brasil, a corrente começa a criar força nos anos 1980 e ao sediarmos a Conferência das nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento (Cnumad), também conhecida como ECO-92, Rio-92. A educação ambiental busca ultrapassar barreiras disciplinares e interferir no cotidiano dos estudantes, trazendo técnicas e atitudes sustentáveis, para posteriormente chegar a toda sociedade. Faz-se necessária a imediata mudança dos hábitos e costumes para preservar o que resta e tentar recuperar o que já foi destruído pelo homem. Dessa forma, pensando, primeiramente, a nível local, o foco deste estudo é a ação antrópica na Bacia Hidrográfica Guapi-Macacu. Situada no nordeste da Baía de Guanabara e abrangendo 3 municípios, ela é o destino de vários rios vindos da Região Serrana do Estado. Tendo um percentual transformado em Área de Preservação Ambiental de Guapimirim em 1984, a região é uma das únicas no Brasil com manguezal protegido, sendo habitat de diversas espécies de peixes, plantas, crustáceos e mamíferos, como o boto, símbolo da cidade do Rio. Pelo fato da bacia ser responsável pelo fornecimento de água de milhões de pessoas que vivem próximas, a urbanização descontrolada e as atividades exercidas ao longo do rio Macacu, tem impacto direto na qualidade da água e no assoreamento da Baía de Guanabara. Sabendo da urgência de uma intervenção, o conhecimento científico desenvolvido no LARA, Laboratório de Radiologia e Alterações Ambientais do Instituto de Física da UFF, é de grande importância para a preservação da região por se tratar de um dos poucos laboratórios brasileiros que possuem a infraestrutura necessária para análise de isótopos estáveis e que faz estudos de mudanças climáticas e degradação ambiental. Embasado na dissertação Dr. Renan Cardoso, que investigou as contribuições de sedimentação da obra da COMPERJ, esta monografia procurou construir meios de aproximação entre a pesquisa acadêmica em Física e a comunidade escolar para a sensibilização e divulgação de conhecimentos científicos que visam o respeito e a proteção do meio ambiente. O produto desta monografia é um vídeo educomunicação, em que o Prof. Dr. Roberto Meigikos Anjos, em entrevista, aborda a criação do LARA, a utilidade do conhecimento científico gerado nesse laboratório para a comunidade escolar e as piores consequências ambientais e econômicas do assoreamento da Bacia Hidrográfica, provocado pelo excesso de sedimentação proveniente do manejo inadequado do solo, pode causar.
metadata.dc.description.abstractother: We live in Brazil a moment of profound attack on the environment. Issues that we thought understood and overcome, about deforestation and global warming, return strongly to the discussions, even with all the evidence and studies pointing to seriousness and need for intervention in environmental problems. In the second half of the twentieth century, after the accident at the Chernobyl nuclear reactor and after major capital cities in the world presented the symptoms of climate change, such as the smog phenomenon, a worldwide current in defense of the environment grew, with international agreements that put in conflict between developed and developing countries. In Brazil, the current begins to build momentum in the 1980s and as we host the United Nations Conference on Environment and Development (UNCTAD), also known as ECO-92, Rio-92. Environmental education seeks to overcome disciplinary barriers and interfere with students' daily life, bringing sustainable techniques and attitudes, to later reach the whole society. The immediate change of habits and customs is necessary to preserve what is left and try to recover what has already been destroyed by man. Thus, thinking primarily at the local level, the focus of this study is the anthropic action in the Guapi-Macacu Watershed. Located in the northeast of Guanabara Bay and covering 3 municipalities, it is the destination of several rivers coming from the highland region of the state. Having a percentage transformed into an Environmental Preservation Area of Guapimirim in 1984, the region is one of the only ones in Brazil with protected mangrove, being the habitat of several species of fish, plants, crustaceans and mammals, such as the boto, symbol of the city of Rio. Because the basin is responsible for supplying water to millions of people living nearby, uncontrolled urbanization and activities along the Macacu River have a direct impact on Guanabara Bay's water quality and siltation. Knowing the urgency of an intervention, the scientific knowledge developed at LARA, Laboratory of Radiology and Environmental Change of the Institute of Physics of UFF, is of great importance for the preservation of the region because it is one of the few Brazilian laboratories that have the necessary infrastructure. for stable isotope analysis and which studies climate change and environmental degradation. Based on the dissertation Dr Renan Cardoso, who investigated the contributions of sedimentation of the work of COMPERJ, this monograph sought to build means of approximation between academic research in physics and the school community for the sensitization and dissemination of scientific knowledge aimed at respect and protection. of the environment. The product of this monograph is an educommunication video, in which Prof. Dr. Roberto Meigikos Anjos, in an interview, discusses the creation of LARA, the usefulness of the scientific knowledge generated in this laboratory for the school community and the worst environmental and economic consequences of the watershed silting caused by the excess sedimentation resulting from the inadequate management of the soil, can cause.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/16105
Appears in Collections:IFF - Trabalhos de Conclusão de Curso - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Andre Luis de Oliveira Machado.pdf2.53 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons