Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/183
Title: Mulheres do babaçu: gênero, maternalismo e movimentos sociais no Maranhão
Authors: Barbosa, Viviane de Oliveira
metadata.dc.contributor.advisor: Costa, Suely Gomes
metadata.dc.contributor.members: Motta, Márcia Maria Menendes
Soihet, Rachel
Damasceno, Caetana Maria
Correia, Maria da Glória Guimarães
Issue Date: 2013
Citation: BARBOSA, Viviane de Oliveira. Mulheres do babaçu: gênero, maternalismo e movimentos sociais no Maranhão. 2013. 266 f. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2013. Disponível em: < http://www.historia.uff.br/stricto/td/1449.pdf>.
Abstract: O presente trabalho trata de histórias de mulheres quebradeiras de coco babaçu no Maranhão, no que se referem a representações sociais, relações de trabalho, gênero e maternalismo, construção de identidades, problemas agrários e ambientais, modelos e mecanismos de organização e constituição de movimento social. Este trabalho estrutura-se em alguns eixos básicos e complementares de investigação. Destaca a importância de uma economia doméstica do babaçu amparada no trabalho feminino, analisando as representações sociais desse recurso natural e evidenciando a invisibilidade dos extrativistas diante dos setores dominantes. Analisa as relações de gênero e trabalho e os usos do tempo entre camponeses maranhenses envolvidos com a agricultura e a quebra do coco, apontando para sinais de maternalismo nos discursos e nas práticas das quebradeiras de coco. Aborda também experiências de quebradeiras de cocoque, com ou sem a participação de outros agentes e grupos, construíram identidades coletivas e desenvolveram estratégias de mobilização e formas de resistência num contexto de conflitos e lutas pela terra e pelo acesso e preservação dos babaçuais. E percorre, ainda, o processo de construção da identidade de quebradeira de coco e outras identidades a ela relacionadas (“mulher”, “negra” “quilombola”, “indígena” etc.), analisando conquistas e mudanças na trajetória de mulheres extrativistas depois de sua inserção no MIQCB, inclusive no tocante à ampliação de sua autonomia e na construção de ideais de igualdade de gênero.
metadata.dc.description.abstractother: This work analyzes stories of babassu coconut breaker’s women in Maranhão, in referring to social representations, labor relations, gender and maternalism, identity construction, agricultural and environmental problems, models and mechanisms of organization and formation and social movement. This work is divided into basic and supplementary axes of research. It highlights the importance of a domestic economy of babassu supported in female work, analyzing the social representations of this natural resource and highlighting the invisibility of peasants in face of a dominant sectors. It analyses gender relations and work, and the uses of time between peasants involved with agriculture and the breaking of coconut in Maranhão, pointing to signs of maternalism in the discourses and practices of coconut breakers. It also discusses the experiences of coconut breakers that with or without the participation of other agents and groups, constructed collective identities and developed mobilization strategies and forms and resistance in the context of conflicts and strugless over land and access and preservation to babassu palm. And, it observes also the process of construction of coconut breaker’s identity and other identities related to it (“woman”, “black”, “maroon”, “indigenous”, etc.) , analyzing changes and achievements in the trajectory of women after their insertion in MIQCB, including the expansion of their autonomy and the construction of ideals of gender equality.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/183
Appears in Collections:PPGH - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Barbosa, Viviane-Tese-2013.pdf1.54 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons