Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/21385
Title: Trajetórias intelectuais no exílio: Adolfo Casais Monteiro, Jorge de Sena e Vítor Ramos
Authors: Oliveira, Fábio Ruela de
metadata.dc.contributor.advisor: Facina, Adriana
metadata.dc.contributor.members: Silva, Douglas Mansur da
Lemos, Renato Luís do Couto Neto e
Almeida, Gelsom Rozentino de
Mariano, Hélvio Alexandre
Engel, Magali Gouveia
Issue Date: 2010
Abstract: Esse estudo analisa a trajetória intelectual de três professores e críticos literários portugueses antissalazaristas que se exilaram no Brasil entre 1954 e 1974. A atuação de Adolfo Casais Monteiro, Jorge de Sena e Vítor Ramos foi significativa no âmbito das Faculdades de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLs) públicas paulistas, no grupo de oposição ao fascismo português e no "Suplemento Literário" do jornal O Estado de S. Paulo. Além de exercerem as atividades de professores, ensaístas e poetas, reuniram-se e militaram no jornal Portugal Democrático, destacado instrumento de luta contra o salazarismo – a ditadura mais longa do século XX. A tese de que foram "intelectuais orgânicos" (GRAMSCI) contra hegemônicos se fundamenta a partir da biografia de militantes antifascistas e por seus ensaios e livros, que igualmente configuraram um canal de difusão do marxismo na crítica literária de língua portuguesa. A situação e a experiência do exílio propiciaram-lhes as condições para a elaboração de suas obras e para a militância antissalazarista e anticapitalista. Quanto ao material consultado para esse trabalho destaca-se a Coleção Portugal Democrático (1956-1975 / 205 edições), os depoimentos orais e as obras de cada um dos três, cujas trajetórias constituem um capítulo da história intelectual e cultural coetâneas de Brasil e Portugal.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/21385
Appears in Collections:PPGH - Teses - Niterói



This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons