Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/226
Title: Ajuste neoliberal no Brasil: privatização e desnacionalização do sistema bancário brasileiro no governo FHC (1995-2002)
Authors: Brandão, Rafael Vaz da Motta
metadata.dc.contributor.advisor: Piñeiro, Théo Lobarinhas
Issue Date: 2013
Citation: Brandão, Rafael Vaz da Motta. Ajuste neoliberal no Brasil: privatização e desnacionalização do sistema bancário brasileiro no governo FHC (1995-2002). 2013. 391 f. Tese (Doutorado em História) – Departamento de História, Universidade Federal Fluminense Niterói, 2013. Disponível em: <http://www.historia.uff.br/stricto/td/1461.pdf>.
Abstract: A desnacionalização e as privatizações do sistema bancário brasileiro no governo Fernando Henrique Cardoso (1995/2002) constituem o principal objeto de estudo desta tese. Nela, são discutidas a crise do Estado de Bem-Estar Social nas décadas de 1960 e 1970 e a emergência de um novo regime de acumulação baseado na dominância do capital financeiro e no modelo neoliberal. O neoliberalismo, colocado em prática pela primeira vez enquanto programa de governo no Chile sob a ditadura Pinochet na década de 1970, tornou-se hegemônico nos países do capitalismo avançado na década de 1980, especialmente no Reino Unido no governo Thatcher e nos EUA no período Reagan. Nos anos 90, diversos governos da América Latina também passaram a implantar o modelo neoliberal em seus países. No Brasil, o ajuste neoliberal teve o seu início no governo Fernando Collor (1990/1992) e foi aprofundado pelo governo FHC (1995/2002), responsável pela estabilização macroeconômica, consubstanciada no Plano Real, e pela reforma do Estado brasileiro, cujas duas principais características foram a abertura da economia ao capital estrangeiro e as privatizações de empresas estatais. No setor bancário, o resultado desta política levou a um intenso processo de desnacionalização do setor, com o crescimento de instituições bancárias controladas pelo capital estrangeiro, e a uma forte redução no número de bancos públicos estaduais, que foram privatizados e tiveram o seu controle repassado para o capital privado.
metadata.dc.description.abstractother: The desnationalization and the privatizations of the brazilian banking system during the Fernando Henrique Cardoso’s government (1995/2002) are the object of this thesis. On this, are discussed the Welfare State crisis on 1960 and 1970 decades and the emergency of a new form accumulation based on the financial capital dominance and the neoliberalism model. Put into practice while government’s policy firstly in Chile during the Pinochet’s dictatorship in 1970 decades, than in the capitalism advanced countries, as United Kingdom with Margareth Tatcher and USA with Ronald Reagan, after, in Latin America in 90’s, the neoliberalism know his world triumph. In Brazil, the neoliberalism adjustment, iniciated during Collor’s government (1990/1992) and deepned in FHC’s period (1995/2002) which was responsible for the Real Plan and the brazilian State’s reform. The two most important charactheristics of FHC’s government were the economy opening for the foreign capital and the privatizations. On the banking sector, the results of this policy lead to the desnationalization process of the sector, with the increase of the foreigner banks in brazilian financial system, and the reduction on the public sector banks.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/226
Appears in Collections:PPGH - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Brandao, Rafael-Tese-2013.pdf2.49 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.