Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/2324
Title: Ingestão de cálcio e fósforo e estado nutricional de adolescentes gestantes de Niterói, RJ
Authors: Neves, Doralice Batista
Ribeiro, Gabrielle Gracio
metadata.dc.contributor.advisor: Sally, Enilce de Oliveira Fonseca
metadata.dc.contributor.members: Sally, Enilce de Oliveira Fonseca
Silva, Bruna de Andrade Messias
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Abstract: A gestação implica em uma série de alterações no organismo da mulher sendo justificadas pela maior demanda por nutrientes, a fim de atender às necessidades maternas e ao desenvolvimento fetal. Os extremos da idade materna podem ser motivo de preocupação para um resultado obstétrico desfavorável. Durante a gestação a mulher pode estar vulnerável à inadequação nutricional por não conseguir um balanço positivo. No caso da adolescência, coexistem o desenvolvimento físico materno e o do feto. O objetivo geral desse estudo foi avaliar a ingestão dietética de cálcio, fósforo e o estado nutricional de gestantes adolescentes atendidas nas unidades básicas do SUS do município de Niterói, RJ. As medidas antropométricas e uma entrevista para levantar as informações socioeconômicas foram realizadas no LANUFF, segundo os procedimentos padronizados e por pesquisadores treinados. As informações sobre ingestão dietética foram obtidas por meio de entrevistas telefônicas em dias não consecutivos e em horários previamente agendados. No momento da entrevista telefônica as gestantes portavam um álbum de fotografias de alimentos e preparações para estimar o tamanho das porções ingeridas que elas levaram para casa. A amostra foi composta por63 gestantes menores de 20 anos. A média da idade das gestantes foi de16,8±1,5 anos e a menarca em média 11,6±1,5 anos. A idade gestacional variou de 8 a 37semanas, com a maioria se encontrando no2º trimestre gesta cio nale a classe econômica predominante foi a C2.Com relação ao estado nutricional pré-gestacional segundo o IMC por idade18,75% das gestantes iniciaram a gestação com sobrepeso/obesidade, 12,5% com baixo peso e 68,75% eutróficas. Segundo o IMC por semana gestacional que classificou o estado nutricional gestacional metade das adolescentes estavam com adequação, quase um terço com baixo peso, 11,11% com sobrepeso e 7,93% com obesidade. Nas duas fases gestacionais nas quais foram classificadas,as gestantes com sobrepeso e obesidade estavam concentradas nas classes econômicas C, D/E. Em relação à ingestão dietética, o consumo de cálcio cuja média de 651,7±367,1 mgfoi insuficiente para a maioria das gestantes com apenas 7,5% delas com ingestão dentro do recomendado configurando uma situação preocupante. O consumo de fósforo (1297,3 ±484,5 mg) ficouacima do recomendado. Em relação aos macronutrientes, a contribuição percentual ficou dentroda faixa recomendada pela FAO/WHO. Asmédiaspercentuaisde ingestão de proteína de lipídeos e de carboidratos foram de 14,7%,29,8%e 55,5%, respectivamente.Exceto para o cálcio, cuja ingestão ficou muito abaixo da recomendação, a ingestão dos macronutrientes e do fósforo estava adequada. Por se tratar de uma população adolescente é importante investir em ações educativas que promovam a alimentação adequada durante o período gestacional no contexto das consultas de pré-natal e que levem em conta as características socioeconômicas, as quais podem são fatores que podem interferir no estado nutricional. A identificação precoce da inadequação no estado nutricional das gestantes favorece a orientação nutricional direcionada, colaborando para um resultado positivo para a saúde materna e o nascimento da criança em condições saudáveis.
metadata.dc.description.abstractother: Pregnancy involves a number of changes in the woman's body being justified byincreased demand for nutrients,in order to meet the needs maternal and fetal development. The extremes of maternal age may be of concern to an adverse obstetric outcome. During pregnancy a woman may be vulnerable to nutritional inadequacy at not getting a positive balance. In the case of adolescence, coexisting maternal physical and the fetus. The overall objective of this study was to evaluate the dietary intake of calcium, phosphorus and nutritional status of pregnant adolescents met the basic units in the city of Niteroi SUS, RJ. Anthropometric measurements and an interview to raise the socioeconomic information were doneintheLANUFF, according to standardized procedures and trained researchers. Information on dietary intake were obtained through telephone interviews on nonconsecutive days and previously scheduled times. At the time of the telephone interview pregnant women carried a photo album of foods and preparations to estimate the size of the portions eaten they took home. The sample consisted of63 pregnant women under 20 years. The mean age of patients was 16.8 ± 1.5 years and menarche averaged 11.6 ± 1.5 years. Gestational age ranged from 8 to 37 weeks, with most meeting the 2nd trimester and the prevailing economic class was the C2. Regarding the pre-gestational nutritional status according to BMI by age 18,75% of pregnant women started pregnancy overweight / obese, 12.5% with low weight and 68.75% eutrophic. According to BMI by gestational week ranked gestational nutritional status of adolescent girls were half with adequacy, almost a third with low weight, 11.11% overweight and 7.93% were obese. In both gestational stages in which they were classified, pregnant women with overweight and obesity were concentrated in the economic classes C, D / E. In relation to dietary intake, calcium intake to an average of 651.7 ± 367.1 mg was insufficient for most pregnant women with only 7.5% with intake within the recommended setting a worrying situation. The phosphorus (1297.3 ± 484.5 mg) was above the recommended. Regarding macronutrients, the percentage contribution was within the range recommended by FAO / WHO. The average percentage of protein intake was 14.7% and the average lipid percentage was 29.8%. Already the average carbohydrate intake reached 55.5%. Except for calcium, whose intake was well below the recommendation, the intake of macronutrients and phosphorus was adequate. Because it is an adolescent population is important to invest in educational activities that promote adequate nutrition during pregnancy in the context of prenatal consultations and taking into account the socioeconomic characteristics, which can are factors that can influence the nutritional status . Early identification of inadequate nutritional status of pregnant women favors targeted nutrition counseling,
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/2324
Appears in Collections:MGN - Trabalho de Conclusão de Curso



Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.