Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/2426
Title: Tradução e adaptação semântica para versão em português do “Mental Health Literacy Scale”
Authors: Campos, Jéssica Dias Leite
metadata.dc.contributor.advisor: Ferreira, Helen Campos
metadata.dc.contributor.advisorco: Sweetland, Annika
metadata.dc.contributor.members: Sousa, Viviane Alves de
Cortez, Elaine Antunes
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Campos, Jéssica Dias Leite. Tradução e adaptação semântica para versão em português do “Mental Health Literacy Scale”. 2016. 60 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem e Licenciatura)-Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016
Abstract: Muitos pesquisadores têm reforçado a importância do empoderamento cientifico por parte dos enfermeiros a respeito dos conhecimentos básicos na temática saúde mental. Sobre o empoderamento individual acerca de saúde mental, Jorm et al, introduziram o termo „mental health literacy’ (conhecimento sobre saúde mental1) definindo como crenças e conhecimentos sobre os problemas mentais. Nesse contexto, anos posteriores, O‟Connor e Casey seguiram sequência de critérios metodológicos e criaram a primeira escala mensuração quantitativa do tipo Likert capaz de obter a compreensão do nível de conhecimento sobre saúde mental o “Mental Health Literacy Scale” (MHLS). Ao olhar para a literatura brasileira sobre mensuração de instrução em saúde mental, percebe-se que existe a necessidade de mais pesquisas nessa área. Assim sendo, o presente estudo objetiva descrever o processo de tradução e adaptação semântica para a versão em português do MHLS. Realizou-se estudo documental, exploratório descritivo no qual submeteu-se o instrumento original a um processo metodológico, inspirado nas recomendações da OMS, divididos em 4 etapas: I Tradução – 5 tradutores independentes receberam instrumento via e-mail e traduziram para o português mantendo a originalidade de sentido do documento original; II Concordância entre tradutores – as similaridades e divergências das traduções foram observadas pelos tradutores e após análise, foi elaborado a adaptação consensual; III Análise de Especialistas – o documento consensual da tradução foi apresentado a 1 psicóloga e 4 enfermeiras vinculadas ao departamento de saúde pública do Município de Itaboraí convidados a participar de uma entrevista cognitiva para identificar possíveis inadequações de expressões linguísticas e contextuais advindas com a tradução, buscar clareza e avaliar a compreensibilidade da versão em português do instrumento; IV Adaptação e documento final – as sugestões e observações dos especialistas levaram a correção das inadequações e a elaboração de um layout que facilitasse a visualização e entendimento. Os resultados mostraram que, após todo o processo de tradução e adaptação, o instrumento em português do MHLS intitulado como “Escala em instrução em saúde mental” se mostra semanticamente compreensível e contextualmente adequada ao português
metadata.dc.description.abstractother: Many researchers have emphasized the importance of scientific empowerment for nurses to have basic knowledge of mental health. (RIBEIRO et al, 2010). Speaking of empowerment about mental health, Jorm et al introduced in 1997 the term “mental health literacy,” which is defined as beliefs and knowledge about mental problems. In this context, years later, O‟Connor and his research team, using a sequence of methodological steps, created the first quantitative instrument using a Likert scale: the “Mental Health Literacy Scale” (MHLS) which is able to assess the level of knowledge, beliefs, and attitudes about mental health. Looking into the Brazilian literature about measuring the level of mental health literacy, it is possible to notice that there is a need for more research on this topic. Therefore, this study aims to describe the translation and semantic adaptation process of the MHLS Brazilian version. It was an exploratory and descriptive study. Inspired by the WHO recommendations for translation and adaptation, the original MHLS version was subjected to a methodological process divided into four steps: I) Translation: 5 independent translators received the document through email and translated it from English to Portuguese without losing the original meaning; II) Agreement among translators: the similarities and differences among translations were observed and analyzed until all translators agreed about which wording was best; III) Expert panel: – this translated version was presented to 1 psychologist and 4 nurses in the Itaboraí public health system and they evaluated the version regarding the clarity, comprehensiveness of the scale as well as they identified inappropriate language making suggestions about cultural adaptations; IV) Adjustments and final version: based on the experts‟ opinions, the Brazilian Portuguese version of the scale was finalized. The results show that, after the process of translation and adaptation of the MHLS to the Brazilian language and context titled as “ Escala em Instrução em saúde mental,” the scale is semantically understandable and appropriate for use in the Brazilian context
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/2426
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Jéssica Dias Leite Campos.pdf1.07 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.