Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/2429
Title: Tecnologia educacional e o uso de imunobiológicos em crianças com câncer: uma revisão integrativa
Authors: Saldanha, Rafel Ernane Lima
metadata.dc.contributor.advisor: Fuly, Patricia dos Santos Claro
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Saldanha, Rafael Ernane Lima Saldanha. A tecnologia educacional e o uso de imunobiológicos em crianças com câncer: uma revisão integrativa. 2016. 59 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem e Licenciatura)-Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016
Abstract: INTRODUÇÃO: A assistência em oncologia pediátrica requer do profissional de saúde uma prática resolutiva, seja qual for a situação da doença vivenciada pela criança e seus desdobramentos no cotidiano familiar (INCA, 2014). Para tanto, é necessário que o Enfermeiro articule saberes e prática, e tenha habilidades para gerenciar os cuidados de enfermagem de maneira consciente, reflexiva e crítica. Sendo assim é preciso atentar para o fato de que as terapêuticas selecionadas para o tratamento aumentam mais ainda essa necessidade e os cuidados. Dentre esses cuidados, a cobertura vacinal da criança deve ser cuidadosamente acompanhada frequentemente pelo Enfermeiro responsável, para não gerar outros problemas como; o desenvolvimento de doenças imunopreviníveis, pois nem todas as vacinas são recomendadas devido as suas composições. Utilizar a tecnologia educacional nesse cuidado com a vacinação em crianças no tratamento com câncer pode ser um instrumento facilitador de educar e orientar tanto a equipe quanto os familiares. OBJETIVO: Analisar as evidências disponíveis na literatura nacional e internacional que indicam a utilização de tecnologias educacionais pelos Enfermeiros no uso de imunobiológicos em crianças com câncer em idade vacinal. MÉTODO: Revisão integrativa qualitativa da literatura nacional e internacional, na (BVS) utilizando as bases de dados; LILACS, SciElo e PubMed, com os descritores; enfermagem oncológica, vacinação e educação, num recorte temporal de 2006 a 2016. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Foram evidenciadas 15 produções para a análise, categorização e discussão. A vacinação infantil em situações como o câncer em tratamento precisa ser mantida e particularizada para cada caso que esteja em questão, sabendo que as mães são as principais acompanhantes dos pacientes, elas precisam ser orientadas. Sendo o Enfermeiro e a sua equipe, integrantes presentes no atendimento, precisam educar e orientar, de forma clara e funcional sobre as particularidades que a vacinação especial apresenta. Para isso, a utilização de tecnologia educacional é indicada em alguns estudos como um método funcionante. CONCLUSÃO: A falta de evidências que abordem a temática por completo em seus conteúdos, mostra a necessidade de pesquisas realizadas por profissionais protagonistas dos cuidados oncológicos prestados aos pacientes pediátricos em idade vacinal. Oferecer subsídios para esses profissionais atuarem baseados em evidências, utilizando tecnologias da maneira correta em cada ocasião mostra-se essencial para que a assistência seja de qualidade e integral
metadata.dc.description.abstractother: INTRODUCTION: The care in pediatric oncology requires the health professional for resolute practice, whatever the children experienced the disease situation and its developments in family life (INCA, 2014). Therefore, it is necessary that the nurse articulates knowledge and practice, and has skills to manage nursing care consciously reflective and critical. Therefore one should not overlook the fact that the therapeutic selected for treatment, increase further this need and care. These precautions, immunization coverage of children should be carefully monitored by the nurse often responsible, not to generate other, the development of immunopreventable diseases, as not all vaccines are recommended due to their compositions. Use educational technology in this care immunization of children in treatment with cancer can be a facilitator to educate and guide both the team and the family. To analyze the evidence available in the national and international literature indicating the use of educational technologies by nurses in the use of biopharmaceuticals in children with cancer vaccination age. METHOD: Qualitative Integrative review of national and international literature, (BVS) using the databases; LILACS, SciELO and PubMed, with the descriptors; oncology nursing, immunization and education, a time frame from 2006 to 2016. RESULTS AND DISCUSSION: We highlighted 15 productions for analysis, categorization and discussion. Child immunization in situations such as cancer treatment needs to be maintained and adapted for each case is concerned, knowing that mothers are the primary caregivers of patients, they need to be targeted. As the nurse and your team members present at the service, they need to educate and guide, in clear and functional on the particularities that special vaccination features. For the use of educational technology is indicated in some studies as a functioning method. CONCLUSION: The lack of evidence to address the issue completely on its contents, shows the need for research performed by professional actors of oncological care for pediatric patients in vaccination age. Offer subsidies for these professionals act based on evidence, using technology in the right way on each occasion is shown to be essential for the assistance is of quality and integral
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/2429
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Rafael Ernane Lima Saldanha.pdf667.84 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.