Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3192
Title: Atenção ao pré-natal: violência institucional expressa na voz das mulheres
Authors: Pereira, Evelin de Araújo
metadata.dc.contributor.advisor: Alves, Valdecyr Herdy
metadata.dc.contributor.advisorco: Rodrigues, Diego Pereira
metadata.dc.contributor.members: Alves, Valdecyr Herdy
Rodrigues, Diego Pereira
Leão, Diva Cristina Morett Romano
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Pereira, Evelin de Araújo. Atenção ao pré-natal: violência institucional expressa na voz das mulheres. 2014. 60 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2014.
Abstract: Introdução: Estudos revelam a escassez de discussão acerca da violência institucional na área obstétrica, em especial durante o pré-natal, caracterizada pela falta de acesso qualificado aos serviços de saúde. Objetivo: Identificar a violência institucional na assistência ao pré-natal, na rede de atenção básica município de Niterói, sob a ótica das gestantes. Metodologia: Trata-se de pesquisa descritiva, exploratória, qualitativa, tendo como cenários cinco Unidades de Saúde de Atenção Básica da Prefeitura de Niterói (RJ). Cinquenta gestantes inscritas no Programa de Pré-natal do Sistema Único de Saúde (SUS) da rede municipal de saúde foram sujeitos do estudo. A técnica para coletar os dados foi a entrevista semiestruturada, baseada em roteiro previamente elaborado, após assinatura das gestantes no Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, como prevê a Resolução CNS-466/12. Resultados e Discussão: A violência institucional no pré-natal está caracterizada pela demora no atendimento, lentidão no processo de realização de exames médicos e no recebimento dos resultados, além do não empoderamento das gestantes. Conclusão: É imprescindível repensar a assistência objetivando práticas mais humanizadas atreladas ao conhecimento científico, e também abordar o tema nos cursos de graduação em Enfermagem.
metadata.dc.description.abstractother: Introduction: Studies have shown the lack of discussion about the institutional violence in obstetrics, especially during the prenatal, characterized by lack of access to qualified health services. Objective: To identify the institutional violence in prenatal care in the primary care network Niterói, from the perspective of pregnant women. Methodology: This is a descriptive, exploratory, qualitative research, with the five scenarios Health Care Units Basic Prefecture of Niterói (RJ). Fifty pregnant women enrolled in the program Prenatal the Unified Health System (SUS) of the municipal health network were the study subjects. The technique for data collection was the semi-structured interview based on predefined script, after signature of the pregnant women in the Informed Consent, as provided for CNS-466 resolution / 12. Results and Discussion: The institutional violence in prenatal care is characterized by delays in care, slowness in the process of medical examinations and receipt of results, and not the empowerment of the women. Conclusion: It is essential to rethink the assistance aiming more humanized practices linked to scientific knowledge, and also address the topic in undergraduate courses in Nursing.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3192
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso - Niterói

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Evelin de Araújo Pereira.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons