Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3241
Title: A produção científica sobre infecção do trato urinário na gestação : considerações para a assistência de enfermagem
Authors: Nascimento, Vanessa Diniz do
metadata.dc.contributor.advisor: Teixeira, Aldira Samantha Garrido Abreu
metadata.dc.contributor.members: Teixeira, Aldira Samantha Garrido Abreu
Leão, Diva Cristina Morett Romano
Pereira, Patrícia
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Nascimento, Vanessa Diniz do. A produção científica sobre infecção do trato urinário na gestação : considerações para a assistência de enfermagem. 2014. 68 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2014.
Abstract: O sexo feminino é acometido por Infecção do Trato Urinário (ITU) 10 a 20 vezes mais que o sexo masculino. Calcula-se que 48% das mulheres apresentam pelo menos um episódio de ITU ao longo da vida. Entende-se como ITU a presença e replicação de bactérias no trato urinário. Fisiologicamente as mulheres são mais suscetíveis à ITU devido características anatômicas uretrais que facilitam a proliferação de bactérias. Na gestação é a complicação clínica mais comum. Ocorre em 20% das gestantes e se torna responsável por 10% das hospitalizações anteparto. As complicações na gravidez relacionadas à presença da ITU são muitas. Elas podem ocorrer isoladamente ou desencadear uma série de problemas em que uma intercorrência vai induzindo a outra. Sabendo-se do risco aumentado de ITU na gestação, da possibilidade de ocorrência da infecção assintomática e das possíveis complicações maternas e perinatais, se torna inquestionável a necessidade de realização dos exames de EAS/urocultura, rotineiramente durante o acompanhamento do pré-natal. O papel do enfermeiro é de suma importância durante esse processo, pois como membro da equipe de saúde, precisa estar instrumentalizado, munido de um conhecimento prévio para cuidar da gestante que apresenta ITU durante a realização do pré-natal. Para a enfermagem, a relevância desse estudo está associada à garantia da qualidade e segurança no acompanhamento de pré-natal, com ações preventivas de detecção e tratamento precoce da doença, possibilitando o transcorrer de uma gravidez saudável. Mediante a isso, o presente trabalho tem como objetivo, Identificar a produção científica de saúde nas bases de dados virtuais sobre a mulher que apresenta ITU no período gestacional descrevendo as evidências apontadas na literatura sobre a temática e analisar as propostas e as condutas para a assistência de enfermagem a gestante nas bases de dados consultadas. Trata-se de um estudo exploratório com uma abordagem qualitativa do tipo revisão integrativa, tendo como questão cenário as bases de dados virtuais Scientific Eletronic Library Online (Scielo) e na Biblioteca Virtual da Saúde nas fontes, Lilacs e BDENF com a questão de pesquisa: Quais as evidências científicas que abordam a mulher com Infecção do Trato Urinário no período gestacional? Para tal, foram utilizados como critério de inclusão: artigos com texto completo, somente em português, com recorte temporal de 10 anos. Foram excluídos publicações que correspondam a editoriais, teses, resumos de congressos, anais, opiniões e artigos e teses científicas, com texto completo e que estivessem em português e inglês. RESULTADOS: de acordo com a análise dos estudos destacamos como fatores de risco para ITU na gestação as primigestas, menores de 20 anos, com nível econômico baixo, menor escolaridade, história prévia de ITU e viver sem companheiro. A Urocultura é definida com padrão-ouro para o diagnóstico e a Escherichia coli se apresenta como o patógeno mais prevalente. Uma melhor qualidade do pré-natal está relacionada com melhores indicadores de saúde materno-infantil. O profissional de saúde é o maior responsável pela dificuldade da assistência pré-natal adequada em relação a ITU gestacional. É preciso investir na educação continuada desses profissionais.
metadata.dc.description.abstractother: The female is affected by urinary tract infection (UTI) 10 to 20 times more than the males. It is estimated that 48% of women have at least one episode of ITU throughout life. Understood as ITU the presence and replication of bacteria in the urinary tract. Physiologically, women are more susceptible to UTI due urethral anatomical features that facilitate the proliferation of bacteria. In pregnancy is the most common clinical complication. Occurs in 20% of pregnant women and becomes responsible for 10% of hospitalizations anteparto. The pregnancy complications related to the presence of the ITU are many. They can occur singly or trigger a series of problems in that a complication will inducing another. Given the increased risk of UTI in pregnancy, the possibility of occurrence of asymptomatic infection and maternal and perinatal complications, becomes the unquestioned need for carrying out the examinations of EAS/urine culture, routinely during prenatal monitoring. The nurse's role is of utmost importance during this process, because as a member of the team of health, must be used with a prior knowledge to take care of pregnant women presenting ITU during prenatal care. For nursing, the relevance of this study is associated to the quality assurance and safety in prenatal follow-up, with preventive actions of detection and early treatment of the disease, enabling the course to a healthy pregnancy. By this, the present work aims at identifying the scientific production of health in virtual databases about the woman who features in gestational period ITU describing the evidence cited in the literature on the subject and analyse the proposals and the ducts for the nursing care to pregnant women in the databases consulted. This is an exploratory study with a qualitative approach of integrative review type, having as scenario question virtual databases Scientific Electronic Library Online (Scielo) and on the health Virtual Library, Lilacs and sources with the research question BDENF: what the scientific evidence that approach the woman with urinary tract Infection in gestational period? To this end, were used as a criterion for inclusion: full-text articles, only in Portuguese, with timeframe of 10 years. Excluded publications that match editorials, theses, abstracts of conferences, Annals, opinions and articles and scientific theses, with full text and they were in Portuguese and English. RESULTS: according to the analysis of the studies highlighted as risk factors for UTI in pregnancy the primigestas, under 20 years, with low economic level, less schooling, previous history of ITU and live without companion. The urine culture is set with gold standard for the diagnosis and the Escherichia coli presents itself as the most prevalent pathogen. A better quality of prenatal care is related to better indicators of maternal and child health. The health professional is the most responsible for the difficulty of adequate prenatal care compared to gestational UTI. You have to invest in continuing education of these professionals.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3241
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Vanessa Diniz do Nascimento.pdf1.14 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons