Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3282
Title: Gerenciando a segurança da clientela pediátrica nas incompatibilidades medicamentosas em uso do metotrexato endovenoso
Authors: Dias, Leandro Silva
metadata.dc.contributor.advisor: Silvino, Zenith Rosa
metadata.dc.contributor.advisorco: Martins, Tathiana Silva de Souza
metadata.dc.contributor.members: Moreira, Marléa Chagas
Christovam, Barbara Pompeu
Fuly, Patricia dos Santos Claro
Issue Date: 2012
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Dias, Leandro Silva. Gerenciando a segurança da clientela pediátrica nas incompatibilidades medicamentosas em uso do metotrexato endovenoso. 2012. 102 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Enfermagem Assistencial) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, 2012
Abstract: A terapia com vários fármacos é a regra na quimioterapia antineoplásica e no tratamento de determinadas doenças infecciosas. Nesses casos os objetivos consistem na melhora da eficácia terapêutica e no retardo da emergência de células malignas ou de microrganismos resistentes aos efeitos dos fármacos disponíveis. Nas prescrições, das crianças internadas com patologias oncológicas, identificou-se como principal quimioterápico o Metotrexato (MTX), perfazendo um total de 3 a 4 doses por prescrição no tratamento de linfomas não Hodgkin e leucemias linfoides agudas. A interação farmacológica ocorre, quando um fármaco interfere com outros, alterando o efeito esperado, podendo ser prejudicial, á medida que causa aumento de riscos ao paciente. As interações farmacêuticas, também chamadas incompatibilidades medicamentosas, caracterizam-se por ocorrerem in vitro, isso é antes da administração no organismo, quando misturado dois ou mais fármacos em uma mesma seringa, equipo de soro ou outros recipientes. Objeto de estudo: As incompatibilidades físico-químicas dos medicamentos durante o ciclo de infusão do MTX endovenoso na clientela pediátrica com LLA e Linfoma não Hodgkin. Hipotese: O aprazamento de medicamentos concomitante a infusão do Metotrexato (MTX), realizado pelo enfermeiro, podem causar incompatibilidades que diminuem ou potencializam o efeito terapêutico deste quimioterápico. Objetivos: Traçar o perfil do tratamento farmacológico das crianças com LLA e LNH, durante o ciclo do MTX internadas na unidade pediátrica; verificar a prevalência das incompatibilidades físico-químicas entre os medicamentos administrados via endovenosa nas crianças com LLA e LNH, internadas na UP; estabelecer diretrizes para a Gerência do Cuidado de Enfermagem à crianças com LLA e LNH em uso de MTX endovenoso com a criação de um protocolo de aprazamento e administração. Foi um estudo observacional transversal, com abordagem quantitativa dos dados. A mostra foi composta por 13 pacientes com LLA e LNH, que atenderam os critérios de inclusão deste estudo, dos quais emergiram 86 prescrições. Os dados foram coletados no período de janeiro de 2008 à dezembro de 2011 e sofreram estatística descritiva e foi calculado a prevalência das incompatibilidades medicamentosas. O sexo masculino apresentou 61,5% da amostra, enquanto o feminino 38,5%; LLA com 85,6% e LNH com 15,2%; 100% de acessos centrais monolumen. Os eletrólitos apresentaram o maior numero de doses administradas, seguido do antiemético, e dos quimioterápicos. A interação medicamentosa do tipo farmacêutica, de maior prevalência foi a entre o cloridrato de ondansetrona e o bicarbonato de sódio a 8,4%, seguida da entre o cloridrato de midazolan e o bicarbonato de sódio. A pesquisa contribui para que o enfermeiro, se aproprie ainda mais dos conhecimentos relacionados a farmacocinética, farmacodinâmica e farmacêutica, assim como sobre as reações adversas medicamentosas, para que possam realizar a gerência do cuidado, no que tange toda a dinâmica da terapia medicamentosas, ou seja, uma assistência de enfermagem segura, livre de danos, sejam eles temporários ou permanentes, assegurando que os pacientes permaneçam o mínimo possível no ambiente hospitalar, assim como ter uma terapêutica medicamentosa com o resultado final que é a prevenção ou cura de doenças, e também eficácia nos tratamentos paliativo
metadata.dc.description.abstractother: Therapy with multiple drugs is the rule in cancer chemotherapy and in the treatment of certain infectious diseases. In such cases the objectives consist in improving the therapeutic efficacy and delay the emergence of malignant cells or microorganisms resistant to the effects of available drugs. In the prescriptions of children with oncological diseases, was identified as the main chemotherapeutic methotrexate (MTX), making a total of 3 to 4 doses per prescription in the treatment of non-Hodgkin lymphomas and acute lymphoid leukemias. The pharmacological interaction occurs, when a drug interferes with other, changing the desired effect and may be harmful, as will cause the patient to increased risks. The drug interactions, also called drug incompatibilities, characterized by occur in vitro that is prior to administration in the body, when two or more components mixed in one syringe, serum catheter or other containers. Object of study: The physico-chemical incompatibilities of drugs during the course of intravenous infusion of MTX in pediatric clients with ALL and non-Hodgkin's lymphoma. Hypothesis: The scheduling of drugs concomitant infusion of methotrexate (MTX), performed by the nurse, can cause incompatibilities that reduce or enhance the therapeutic effect of chemotherapy. Objectives: To describe the pharmacological treatment of children with ALL and NHL, during the cycle of MTX admitted to the pediatric unit and verify the prevalence of physical and chemical incompatibilities between drugs administered intravenously in children with ALL and NHL, admitted in UP; establish guidelines for the Management of Nursing Care for children with ALL and NHL in MTX intravenously with the creation of a protocol for scheduling and administration. It was an observational cross-sectional quantitative data approach. The show was comprised of 13 patients with ALL and NHL, who met the study inclusion criteria, 86 of which emerged prescriptions. Data were collected from January 2008 to December 2011 and suffered descriptive statistics and calculated the prevalence of drug incompatibilities. The male group showed 61.5% of the sample, while females 38.5%, 85.6% with ALL and NHL with 15.2%, 100% hits central monolumen. Electrolytes showed the highest number of doses administered, followed by an anti-emetic, and chemotherapy. The type of pharmaceutical drug interaction, was the most prevalent of the ondansetron hydrochloride and sodium bicarbonate to 8.4%, followed by between midazolam hydrochloride and sodium bicarbonate. The research contributes to the nurse, to appropriate further knowledge related to pharmacokinetics, pharmacodynamics, and pharmaceutical, as well as on adverse drug reactions so that they can carry out care management, regarding the dynamics of drug therapy, or is a safe nursing care, free of damage, whether temporary or permanent, ensuring that patients remain as little as possible in the hospital environment, as well as having a drug therapy with the end result is the prevention or cure of diseases, and also effective in the palliative treatment
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3282
Appears in Collections:MPEA - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Leandro Silva Dias.pdf1.13 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.