Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3285
Title: Dinâmica do fósforo em sedimentos de manguezal em um gradiente de degradação da vegetação
Authors: Borges, Anderson de Carvalho
metadata.dc.contributor.advisor: Patchineelam, Sambasiva Rao
metadata.dc.contributor.members: Machado, Wilson Thadeu Valle
Mello, William Zamboni de
Bernardes, Marcelo Corrêa
Rezende, Carlos Eduardo de
Issue Date: 4-Apr-2017
Abstract: O sedimento e a vegetação de manguezal podem influenciar a qualidade ambiental de áreas afetadas por efluentes urbanos devido à retenção ou incorporação de contaminantes como o fósforo. Considerando a importância dos manguezais, e a dinâmica do fósforo para este ecossistema, este trabalho caracterizou as formas de fósforo em sedimentos de manguezal de Mauá (Baía de Guanabara), usando o fracionamento do fósforo entre formas orgânicas e inorgânicas. Para a realização deste trabalho foram feitas coletas de sete testemunhos de sedimento, localizados: (1) na planície de lama onde não havia presença de manguezal (testemunho PL); (2) em áreas com a vegetação de manguezal degradada provavelmente por cortes (testemunhos MD1 e MD2); (3) onde a vegetação foi morta provavelmente por pragas (testemunho MP); (4) onde o manguezal tem árvores senescentes (testemunho MS); (5) onde a vegetação estava aparentemente saudável (testemunhos MV1 e MV2). Os resultados mostraram que os valores médios do fósforo inorgânico (PI) no sedimento diminuem em direção ao continente. Esta variação pode ser explicada pela incorporação do PI pela vegetação de manguezal que também está preservada neste sentido. Os testemunhos MD1 e MD2 apresentam os valores de PI mais elevados da área. Esse resultado pode ser explicado por estes pontos apresentarem sedimentos de cor marrom, evidenciando serem sedimentos oxidados e estes têm uma forte tendência de seqüestrar o PI. O aumento do PI nos testemunhos PL, MD1, MD2, MP, e MS em direção à superfície dos testemunhos, provavelmente se deve ao aumento do aporte de efluentes urbanos a partir de 1950 (dados de 210Pb), que coincide com o aumento da população urbana do Rio de Janeiro. Os valores médios de fósforo orgânico (PO) e matéria orgânica (MO) aumentam em direção ao continente. Esses dados podem ser explicados pela preservação da floresta nos testemunhos mais próximos do continente. O percentual %PO no testemunho PL é 16% e este testemunho tem forte correlação negativa da MO com o PO. Os testemunhos MD1 e MD2 apresentam %PO igual a 6% e 17%, respectivamente. Estes testemunhos apresentam fraca correlação da MO com o PO. No testemunho MP o %PO é igual a 55% e este testemunho tem fraca correlação da MO com o PO. Estes resultados evidenciam que a MO e o PO têm diferentes origens. No testemunho MS o %PO é 70% e o PO tem forte correlação positiva com a MO. Nos testemunhos MV1 e MV2 o %PO é respectivamente de 90 e 86%. Nestes testemunhos o PO apresenta forte correlação positiva com a MO. A comparação com outros trabalhos na Baía de Guanabara mostrou que o testemunho PL apresenta concentrações de PT próximas das encontradas dentro da área da baía, evidenciando um quadro de contaminação por fósforo neste ambiente. Os resultados evidenciam a importância da vegetação de manguezal para a distribuição e o fracionamento geoquímico do fósforo nos sedimentos estudados.
metadata.dc.description.abstractother: Sediment and vegetation of mangrove forest can influence the environmental quality of areas affected by urban sewage due to retention or incorporation of contaminants such as phosphorus. Considering the importance of the mangroves and dynamics of the phosphorus for this ecosystem, this work characterizes the organic and the inorganic fractions of phosphorus in sediments of the Mauá mangrove forest (Guanabara Bay). For this study, seven sediment core were collected (1) in the mud flat without presence of mangrove trees (core PL), (2) in areas with vegetation degraded probably by deforestation (cores MD1 and MD2), (3) in areas with dead vegetation probably by insect attacks (core MP), (4) where the mangrove forest has senescent trees (core MS), (5) in an area with vegetation is apparently healthy (core MV1 and MV2). The results showed that the average values of inorganic phosphorus (IP) in the sediment decrease in the continent direction. This variation can be explained by the incorporation of IP by mangrove vegetation also preserved in this direction. Core MD1 and MD2 showed higher values of IP. This result may be explained by a presence of oxidized sediments (with brown color), since oxidized sediments tend to sequester phosphorus. The increase of IP in cores PL, MD1, MD2, MP and MS from bottom to surface problably is due to an increase of urban effluent input since 1950 (210Pb data), in agreement with the increase of the Rio de Janeiro urban population. The average values of organic phosphorus (OP) and organic matter (OM) in the sediment increases in the continental direction. These results can be explained by the preservation of the forest in the cores next to the continent. The %PO in core PL is 16% and this core showed a strong negative correlation of OM with OP. Cores MD1 and MD2 presented a %OP of 6% and 17%, respectively. These cores presented weak correlation of OM with OP. In core MP the %OP is equal to 55% and this core showed weak correlation of OM with OP. These results show that OM and OP have different origins. In core MS, the %OP is 70% and the OP has strong positive correlation with the OM. Cores MV1 and MV2 have %OP of 90 and 86%, respectively. In these cores the OP showed strong positive correlation with OM. The comparison with other studies in Guanabara Bay showed that TP concentrations of core PL closer to those within the bay area, evidencing a context of phosphorus contamination in this environment. The results evidence the importance of mangrove vegetation on phosphorus distribution and geochemical fractionation in sediments.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3285
Appears in Collections:PPG-GEO - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Diserta__o_1__1_[1].Anderson.2006.pdf1.4 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.