Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3298
Title: Trabalho na praia: contribuições da Engenharia de Produção e da ergonomia sob o olhar da atividade
Authors: Mamedio, Camilla Azevedo
metadata.dc.contributor.advisor: Alvarez, Denise
metadata.dc.contributor.members: Figueiredo, Marcelo Gonçalves
Andrade, Emmanuel Paiva de
Issue Date: 10-Apr-2017
Abstract: O litoral carioca, um dos principais símbolos mundiais do Brasil, afirmou-se ao longo do tempo como espaço de intenso uso social. Dentre as diversas formas de relações que ali se estabeleceram, encontram-se as relações de trabalho. Há 10 anos, estimativas já sugeriam cerca de 200 mil trabalhadores em atividade aos finais de semana de sol em que, somente nas areias, chegavam a movimentar R$ 10 milhões. Esses trabalhadores, por exercerem atividades em local atípico de trabalho e, em grande parte, como estratégia de sobrevivência sob frágeis contratos jurídicos, têm as capacidades e as potencialidades de suas vivências pouco reconhecidas e compreendidas. Desse modo, o presente estudo remonta as transformações das praias cariocas, discutindo questões como trabalho, informalidade e espaço até que atinja a figura do ambulante de praia em ponto fixo. Em seguida, analisa sua situação de trabalho, através da apropriação da Análise Ergonômica do Trabalho (AET) e dos conceitos da Ergonomia da Atividade. Da análise do trabalho, de diálogos e das observações livres, emergem duas questões de maior criticidade: dificuldade de controle de consumo e ausência de uma equipe de trabalho permanente. A partir disso, foram recomendadas práticas e estudos específicos para a superação positiva dessas questões, guiados pelos conhecimentos teóricos da Engenharia de Produção e da Ergonomia.
metadata.dc.description.abstractother: Rio de Janeiro’s seashore, one of the main international symbols of Brazil, has affirmed itself overtime as a space of intense social use. Among the different types of relationships established in this place, there is the work relationships. Ten years ago, it was estimated that around 200 thousand workers were active during sunny weekends, and that only in the sand they would move up to R$10 million. These workers perform their activities in atypical places and for the most part as a survival strategy under fragile contracts, which make their capabilities and their experience’s potentials poorly known and understood. This way, the following study goes back in the transformations of Rio’s beaches, discussing issues like work, informality and space until it reaches the figure of a beach “ambulante” (vendor) in a fixed point. The study then analyzes their work situation through the Ergonomic Work Analysis (EWA) and the concepts of Activity-centred Ergonomics. From the work analysis, dialogues and free observations, two critical issues emerge: the difficulty in controlling the sales and the absence of permanent work team. From this, specific studies and practices were recommended for the positive overcoming of these issues, guided by the theories of Production Engineering and Ergonomics.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3298
Appears in Collections:TEP - Projeto Final de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Projeto Final Camilla Mamedio.pdf4.32 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.