Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3422
Title: O ensino de língua estrangeira em Niterói: um olhar político-linguístico
Authors: Rocha, Luana Franco
metadata.dc.contributor.advisor: Pereira, Telma Cristina de Almeida Silva
metadata.dc.contributor.members: Savedra, Mônica Maria Guimarães
Moraes, Stela Maria Sardinha Chagas de
Issue Date: 25-Apr-2017
Abstract: Em meio à interculturalidade que vivemos hoje, em que a informação é compartilhada cada vez mais rápido e a um número maior de pessoas, o plurilinguismo é peça imprescindível para trocas culturais ao redor do globo. Todavia, ao lançar um olhar sobre o percurso histórico do ensino de línguas estrangeiras no Brasil, é possível verificar que o acesso às línguas sempre foi um privilégio das elites socioeconômicas do país (VILLALTA, 2004). Considerando esse déficit na educação pública, a Secretaria de Educação do Estado do Rio e a Fundação Municipal de Educação de Niterói propõem dois projetos pilotos de ensino público de línguas estrangeiras: o primeiro oferecendo ensino bilíngue para adolescentes do Ensino Médio e o segundo promovendo o ensino de línguas estrangeiras nas primeiras séries do Ensino Fundamental. A fim de lançar um olhar crítico a essas políticas linguísticas, este trabalho adotou uma metodologia de base qualitativa com análise documental e aplicação de entrevistas junto aos sujeitos atuantes nas políticas. O trabalho responde aos questionamentos apontados por Cooper (1997) – quem toma que decisões, por que, como, em que condições e com que efeitos – de forma a desenvolver uma avaliação desses dois projetos pioneiros no Brasil. Os resultados obtidos apontam para duas principais problemáticas encontradas ao longo da implementação dos projetos: a formação docente e a violência nas escolas, contribuindo, assim, para as pesquisas sobre avaliação de políticas linguísticas
metadata.dc.description.abstractother: Amid the interculturalism we live in today, where information is shared increasingly faster and to a greater number of people, plurilingualism is an essential part for cultural exchanges around the globe. However, when we look at the history of foreign language teaching in Brazil, one can see that access to languages has always been a privilege of the socioeconomic elites of the country (VILLALTA, 2004). Considering this deficit in public education, the Secretariat of Education of the State of Rio and the Municipal Foundation of Education of Niterói propose two foreign language public teaching pilot projects : the first offering bilingual education for teenagers in high school and the second promoting the teaching of foreign languages in the early grades of Elementary School. In order to cast a critical glance at these language policies, this study has adopted a qualitative methodology based on documental analysis and interviews with the acting subjects in the policies. The work answers to questions pointed out by Cooper (1997) – who decides what, why, how, under what conditions and with what effects so as to develop an assessment of these two pioneering projects in Brazil. The results point to two major pitfalls found during the implementation of both projects: the teacher training and the violence in the schools, thus contributing to the research on evaluation of linguistic policies
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3422
Appears in Collections:POSLING - Tese e Dissertação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Luana Franco Rocha.pdf2.96 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons