Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3430
Title: Histórico da contaminação em sedimentos do estuário do Rio Morrão (Cubatão – SP)
Authors: Ferreira, Suéllen Satyro
metadata.dc.contributor.advisor: Patchineelam, Sambasiva Rao
metadata.dc.contributor.advisorco: Machado, Wilson Thadeu Valle
metadata.dc.contributor.members: Albuquerque, Ana Luiza Spadano
Bernerdo, Alfredo Victor Bellido
Silva, Wanilson Luiz
Issue Date: 26-Apr-2017
Abstract: Este estudo determinou os teores de Hg, Ag, Al, Ca, Cd, Co, Fe, K, Li, Mn, P, Pb e Zn em testemunho retirado do rio Morrão, localizado no estuário Santos- Cubatão, em uma das áreas mais industrializadas do Brasil, buscando estimar as fontes possíveis deste elementos e principalmente dos poluentes. As fontes mais prováveis são uma siderúrgica e uma fábrica de fertilizantes, ambas próximas a área de estudo e com portos próprios como principal meio de recebimento de matériasprimas e escoamento de produtos. Os resultados mostraram que a área possui altos valores de concentração para Hg (0,12-1,81mg.kg-1); Ag (0,04-1,36 mg.kg-1); Ca (0,15-3,18%); Cd (0,08-5,69 mg.kg-1); Co (8,30-17,0 mg.kg-1); Cu (13,9-79,7 mg.kg- 1); Fe (3,01-29,94%); Mn (204-2540 mg.kg-1); P (560-44079 mg.kg-1); Pb (20-196 mg.kg-1); Zn (67-499 mg.kg-1). Alguns destes teores podem ser comparados com áreas bastante degradadas no mundo. O Fe foi utilizado para datar o testemunho, com isso foram identificadas três fases de contaminação, Fase 1 entre 95-48 cm, com taxa de sedimentação de 2,76 cm/ano, correspondente a época de construção da usina e baixa produção de aço; Fase 2 entre 48-18 cm, com taxa de sedimentação de 3,75 cm/ano, período qual, houve uma grande aceleração na produção de aço; e Fase 3 entre 18-1 cm, com taxa de sedimentação de 1,0 cm/ano, relativo a implementação do controle ambiental em Cubatão e com a produção de aço ainda alta. Além disso, o Fe também foi utilizado como um rastreador dos poluentes oriundos da siderúrgica, e o P para a fábrica de fertilizantes. Assim, através de uma análise de componentes principais, os elementos Mn, Ag, Zn, Pb, Cu e Co foram relacionados a produção de aço, enquanto que o Ca demonstrou um comportamento difuso. O Hg, também não mostrou nenhuma tendência quanto às fontes citadas, assim foi sugerido que sua fonte seria o carvão utilizado na siderúrgica, de onde é retirado o C para fabricação do aço e também usado como fonte de energia. Entretanto as maiores concentrações encontradas para este elemento estão em profundidades que seriam correspondentes a época préindustrial, porém não há registros de atividades poluidoras para este período nesta região. Os fatores de enriquecimento se mostraram bem elevados. Alguns casos se mostraram extremamente críticos como Ag (20,62), Cd (41,51) e P (55,78), alertando para o fato de que a região está altamente impactada.
metadata.dc.description.abstractother: This study determined Hg, Ag, Al, Ca, Cd, Co, Fe, K, Li, Mn, P, Pb e Zn concentrations in a sediment core of the Morrão River, located at Santos-Cubatão Estuarine System, which is one of the most industrialized areas in Brazil, trying to estimate the possible sources of these elements, and mainly the pollutants. The most likely sources are the steel and fertilizer industries, besides their harbors which are the mainly way to receive raw materials and export their products. The results showed very high values for the analyzed elements Hg (0,12-1,81 mg.kg-1); Ag (0,04- 1,36 mg.kg-1); Ca (0,15-3,18%); Cd (0,08-5,69 mg.kg-1); Co (8,30-17,0 mg.kg-1); Cu (13,9-79,7 mg.kg-1); Fe (3,01-29,94%); Mn (204-2540 mg.kg-1); P (560-44079 mg.kg- 1); Pb (20-196 mg.kg-1); Zn (67-499 mg.kg-1), some of them can be compared to very degraded areas around the world. The Fe was used to dating the sediment since its excess concentration is related to the steel production. So three contaminations phases were identified, Phase 1 between 95-48 cm, with a sedimentation rate of 2,76 cm/ano, corresponding to the steel plant construction and low production; Phase 2 among 48-18 cm, with a sedimentation rate of 3,75 cm/ano, it was when a big acceleration happened at the steel production; and Phase 3 between 18-1 cm, with a sedimentation rate of 1,00 cm/ano, relative to the implementation of the environmental control at Cubatão and a high steel production. Furthermore, Fe was taken as a tracer for the pollutants that come from the steel plant and P for those that are originated from the fertilizer industry. Thus, through a principal component analysis, the elements Mn, Ag, Zn, Pb, Cu and Co were related to steel production. Ca showed a difuse behavior. The Hg didn’t demonstrated any trend to the discussed sources, then it was suggested that its source could the coal used at the steel plant, which is removed C to make the steel, and is used as a source power. However the highest concentrations were found at the bottom of the core, which is related to preindustrial times, nevertheless there aren’t any records about pollutants activities on the study area in those years. The enrichment factors were very high, in some cases they are extreme, as happen to Ag (20,62), Cd (41,51) e P (55,78). This could be a warning showing how highly impacted the area is.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3430
Appears in Collections:PPG-GEO - Teses e Dissertações

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Suéllen Satyro Ferreira - Dissertação de Mestrado (Fevereiro.pdf9.74 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.