Please use this identifier to cite or link to this item: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3530
Title: Avaliação e correlação dos níveis de estresse e depressão dos discentes de enfermagem
Authors: Coutinho, Luíza Figueira Batista
metadata.dc.contributor.advisor: Cortez, Elaine Antunes
metadata.dc.contributor.members: Cortez, Elaine Antunes
Braga, André Luiz de Souza
Valente, Geilsa Soraia Cavalcanti
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Federal Fluminense
Citation: Coutinho, Luíza Figueira Batista. Avaliação e correlação dos níveis de estresse e depressão dos discentes de enfermagem. 2016. 118 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Universidade Federal Fluminense, 2016.
Abstract: O cotidiano da vida acadêmica muitas vezes torna-se agente estressor para os estudantes, podendo provocar sentimentos de medo, incerteza, cansaço, insegurança e em casos mais graves pode levar à depressão e ao suicídio. No caso dos estudantes de enfermagem esses fatores merecem muita atenção, uma vez que, em sua futura vida profissional, esses indivíduos irão se deparar com diversas circunstâncias desafiadoras. Assim, esta pesquisa objetivou avaliar, através de questionários validados e auto-aplicáveis, os níveis de estresse e depressão dos discentes de enfermagem, levantar a prevalência dessas manifestações e correlacionar os dados encontrados de acordo com os períodos acadêmicos. Metodologia: Trata-se de um estudo de campo de caráter exploratório e descritivo, com abordagem quantitativa. Os participantes foram 36 alunos, 18 do 1º período e 18 do 9º período, da Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa. A coleta de dados foi realizada nos meses de Outubro e Novembro de 2016, através do preenchimento do Inventário de Depressão de Beck (BDI) e da Escala de Estresse Percebido (PSS-14). Os dados obtidos foram analisados com auxílio do SPSS v.21. Resultados: Neste estudo observou-se a que a prevalência para o estresse foi de 69,44% (25) em nível médio, 25 % (9) em nível alto e 5,6 % (2) em nível baixo. Quanto à depressão, notamos prevalência de depressão mínima, equivalente a 36,1% (13) dos casos investigados, em torno de 30,6% (11) de casos de depressão leve a moderada, 25% (9) em nível moderado - grave e 8,3 % (3) de depressão grave entre os graduandos. Não foi observada relevância estatística significativa entre os resultados dos alunos dos dois períodos estudados. Conclusão: Essa pesquisa evidenciou que sinais e sintomas de estresse e depressão são cada vez mais comuns entre os estudantes de ensino superior em enfermagem. Esses fatores, por sua vez, afetam negativamente e diretamente, a saúde mental e qualidade de vida desses indivíduos. Portanto, seria oportuno que houvesse na instituição de ensino superior um programa de suporte psicológico destinado aos acadêmicos de enfermagem, capaz de ajudar esse público a superar os desafios relacionados ao curso, a carreira e futura atuação profissional.
metadata.dc.description.abstractother: The daily life of academic life often becomes a stressor for students, which can provoke feelings of fear, uncertainty, fatigue, insecurity and in more serious cases can lead to depression and suicide. In the case of nursing students these factors deserve a lot of attention, since in their future professional life these individuals will encounter a number of challenging circumstances. Thus, this study aimed to evaluate, through validated and self-applicable questionnaires, the levels of stress and depression of nursing students, to raise the prevalence of these manifestations and to correlate the data found according to the academic periods. Methodology: This is an exploratory and descriptive field study, with a quantitative approach. The participants were 36 students, 18 from the 1st period and 18 from the 9th period, from the Afonso Costa Aurora Nursing School. Data collection was performed in October and November 2016, through the completion of the Beck Depression Inventory (BDI) and the Perceived Stress Scale (PSS-14). The data obtained were analyzed using SPSS v.21. Results: In this study, the prevalence for stress was 69.44% (25) at the medium level, 25% (9) at the high level and 5.6% (2) at the low level. As for depression, we observed a prevalence of minimal depression, equivalent to 36.1% (13) of the cases investigated, around 30.6% (11) of cases of mild to moderate depression, 25% (9) at a moderate level - Severe and 8.3% (3) severe depression among undergraduates. No significant statistical significance was observed between the results of the students of the two periods studied. Conclusion: This research evidenced that signs and symptoms of stress and depression are increasingly common among students of higher education in nursing. These factors, in turn, negatively and directly affect the mental health and quality of life of these individuals. Therefore, it would be opportune if there were in the institution of higher education a program of psychological support for nursing students, capable of helping this public to overcome the challenges related to the course, career and future professional activity.
URI: https://app.uff.br/riuff/handle/1/3530
Appears in Collections:EEAAC - Trabalhos de Conclusão de Curso

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TCC Luiza Figueira Batista Coutinho.pdf1.17 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons